Blogs e Colunistas

15/04/2015

às 21:00 \ Feira Livre

A profética charge do Alpino

Publicado originalmente em 27 de março

charge1

Clique aqui para ver outras charges do Alpino e confira sua página no Facebook

15/04/2015

às 16:32 \ História em Imagens

No centro de São Paulo, militantes do PT ouvem o que o povo pensa

Nesta terça-feira, dia em que a Polícia Federal preparava a prisão do tesoureiro petista João Vaccari Neto, milicianos do partido que virou bando tiveram a má ideia de desfraldar bandeiras vermelhas nas imediações do Teatro Municipal, na capital paulista, e começar a distribuir panfletos atribuindo a crise da água ao governador Geraldo Alckmin. Lula repete  há anos que o Brasil é dividido entre “eles” e “nós”. O chefe da seita está começando a colher o que plantou.

15/04/2015

às 16:31 \ Direto ao Ponto

O vídeo que garantiu a indicação do advogado Luiz Fachin para a vaga de Joaquim Barbosa no STF

Trechos do vídeo gravado na campanha eleitoral de 2010:

“Apoiamos Dilma para prosseguirmos juntos na construção de um país capaz de um crescimento econômico que signifique desenvolvimento para todos, que preserve os bens naturais. Um país socialmente justo que continue acelerando a inclusão social e que consolide, soberano, sua nova posição no cenário internacional. Um país que priorize a educação, a cultura, a sustentabilidade e a erradicação da miséria. Um país que preserve sua dignidade reconquistada. O governo que queremos é o governo que preservou as instituições democráticas e jamais transigiu com o autoritarismo. Um governo que não tentou, casuisticamente, alterar a Constituição para buscar um novo mandato”.

“Um governo que sempre escolheu para chefe do Ministério Público Federal o primeiro da lista tríplice elaborada pela categoria e não alguém de seu convívio ou conivência. Um governo que reestruturou a Polícia Federal, a Defensoria Pública, que apoiou a criação do importante Conselho Nacional de Justiça e a ampliação da democratização das instituições judiciais. Nestes últimos anos, a liberdade de manifestação de ideias fluiu no país. Não houve um ato sequer do governo que limitasse a expressão do pensamento em sua plenitude, e essas são as liberdades que devem ser mantidas”.

“Muito mais que uma candidatura, o que está em jogo é o que foi conquistado. Por isso tudo, declaramos em conjunto o apoio a Dilma Rousseff. É hora de unir nossas forças no segundo turno para garantir as conquistas e continuarmos na direção de uma sociedade justa, soberana e solidária”.

15/04/2015

às 12:30 \ Opinião

Editorial do Estadão: ‘O não a Dilma persiste’

Embora as manifestações do último domingo contra a corrupção e a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff tenham demonstrado, como era previsto, mobilização popular inferior à do evento de 15 de março, 6 em cada 10 brasileiros continuam a repudiar o governo petista e um número maior ainda, 63%, deseja o impeachment da chefe do governo, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada no mesmo dia. O teor dessas manifestações de desagrado em relação ao desempenho da presidente, que, como as de março, se estenderam às principais cidades do País, sugere algumas reflexões importantes sobre a crise política em que o País está mergulhado.

» Clique para continuar lendo

14/04/2015

às 21:52 \ Direto ao Ponto

1 Minuto com Augusto Nunes: O BNDES virou uma Casa da Moeda clandestina a serviço dos amigos do governo

Neste pavoroso prelúdio do segundo mandato, Dilma Rousseff já mostrou que as mudanças ensaiadas por Joaquim Levy passarão ao largo do BNDES reduzido por Lula a uma obscenidade perdulária. O que já foi um banco público virou uma espécie de Casa da Moeda clandestina, que distribui entre nações ou empresas amigas da seita no poder o dinheiro que falta ao país. Nesta segunda-feira, o premiado foi o consórcio que está construindo a hidrelétrica de Belo Monte.

Favorecido por um financiamento de 22,5 bilhões de reais, o grupo de empresas foi liberado pela direção do banco de pagar a multa de quase 75 milhões de reais decorrente de atrasos nas obras. Em vez de cobrar a bolada que saiu do bolso dos pagadores de impostos, o BNDES prorrogou o prazo fixado no cronograma original. Como ocorreu com a farra bilionária no porto cubano de Mariel, o acordo foi feito nas sombras. Os brasileiros que bancam o socorro suspeitíssimo estão proibidos de saber o que houve.

Não é difícil acabar com essa gastança criminosa. Basta que se conjuguem uma operação em regra da Polícia Federal, a quebra do sigilo dos contratos assinados pelo banco desde janeiro de 2003, um time de procuradores bons de briga e um juiz decidido a cumprir a lei. Será uma devassa e tanto. Depois do Petrolão, os mensaleiros ficaram com cara de amadores. Quando chegar a hora do BNDES, os saqueadores da Petrobras talvez sejam rebaixados a aprendizes.

O País do Futebol não assusta mais ninguém. O que agora assombra o mundo é o País da Corrupção. No campo da roubalheira, o Brasil está pronto para golear qualquer rival.

14/04/2015

às 17:41 \ Direto ao Ponto

Vote na enquete (ou sugira outra opção): Absolvido pelo PT de todos os pecados cometidos no Petrolão, que emprego merece o tesoureiro João Vaccari Neto?

abrevaccari_valeesta

A enquete anterior fez a seguinte pegunta: “Depois de promover José Sérgio Gabrielli a “herói”, qual destas figuras Lula vai homenagear com a medalha da Ordem dos Orgulhos da Nação?” Com 6.630 de um total de 20.682 votos, a resposta vencedora foi Rosemary Noronha

14/04/2015

às 17:17 \ Direto ao Ponto

O balanço do primeiro trimestre do segundo mandato resumido em uma frase só

TODO MÊS FOI BEM PIOR QUE O ANTERIOR E MUITO MELHOR QUE O SEGUINTE.

14/04/2015

às 17:03 \ Opinião

Merval Pereira: ‘A retificação que não houve’

Publicado no Globo

MERVAL PEREIRA 

A suposta retificação da delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, negando que houvesse sobrepreço nas licitações da estatal, deixou em polvorosa os petistas, sobretudo os “grandes blogueiros” que o presidente do PT um dia identificou como militantes petistas nas redes sociais.

Se não havia sobrepreço, e o financiamento aos partidos políticos saía do lucro das empreiteiras, qual o prejuízo que a Petrobras teve? Esse raciocínio, que aparenta lógica, mas é apenas cínico, cai por terra logo com a primeira constatação: a nova diretoria da Petrobras está preparando a divulgação do balanço auditado onde admitirá perdas entre R$ 6 bilhões e R$ 10 bilhões com a corrupção na companhia.

» Clique para continuar lendo

14/04/2015

às 15:11 \ Vídeos: Entrevista

O Roda Viva com Alexandre de Moraes, secretário de Segurança Pública de SP

O entrevistado do Roda Viva desta segunda-feira foi Alexandre Moraes, secretário de Segurança Pública de São Paulo. Foram abordados, entre outros assuntos, os índices de criminalidade no estado, as deficiências da legislação, a falta de sintonia entre a PM e a polícia civil e a modernização do sistema de segurança. Participaram da bancada de entrevistadores José Vicente da Silva Filho, coronel reformado da PM e ex-Secretário Nacional de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, vice-presidente do Conselho do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e professor da FGV, e os jornalistas Marcelo Godoy (Estadão), Renato Lombardi (Rede Record) e Antonio Carlos Prado (IstoÉ).

» Clique para continuar lendo

14/04/2015

às 15:02 \ Opinião

José Casado: ‘Vítima ou vilã?’

Publicado no Globo

JOSÉ CASADO

A realidade bate à porta: depois de um ano de investigações sobre corrupção na Petrobras, o governo, a companhia estatal e seus principais fornecedores começam a perceber os riscos a que estão expostos no país e no exterior.

Semana passada, a Presidência da República se mobilizou porque o Tribunal de Contas decidiu apurar a responsabilidade de diretores e conselheiros da empresa, desde 2004, em negócios com prejuízos extraordinários.

O TCU pode ajudar a iluminar um lado obscuro: a cadeia de comando que conduziu a Petrobras ao engajamento — simultâneo e a qualquer custo — numa miríade de transações suspeitas com refinarias, navios, plataformas, boias, sondas e ativos no exterior.

» Clique para continuar lendo

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados