Blogs e Colunistas

25/08/2014

às 20:07 \ Direto ao Ponto

O que espera Aécio para reapresentar o vídeo que desmonta a vigarice franciscana?

Pouco antes de oficializar a candidatura à Presidência da República, o senador Aécio Neves usou o horário reservado na TV à propaganda partidária para escancarar o estelionato eleitoreiro reprisado desde 2006. O vídeo de 34 segundos, de janeiro deste ano, mostra que a transposição das águas do São Francisco é conversa de 171. A obra só avança nos cronogramas fictícios do PAC e imaginação dos embusteiros, que  prometem concluir o monumento à inépcia logo depois da próxima eleição.

Na semana passada, Dilma resolveu inaugurar de novo o colosso reduzido a ruínas sem ter existido. O que espera Aécio Neves para reprisar o vídeo que desmoraliza a vigarice franciscana?

25/08/2014

às 18:53 \ Direto ao Ponto

Na 2ª parte da radiografia de uma fraude, Brizola confessa: nunca entendeu direito o que Dilma dizia nas reuniões do PDT gaúcho

A segunda parte da biografia resumida (e não autorizada)  começa com a chegada de Dilma Rousseff a Porto Alegre, para onde se transferiu por decisão do segundo marido, o gaúcho Carlos Araújo, e vai até a entrada no PT, em companhia de um grupo até então filiado ao PDT de Leonel Brizola. “Eles se venderam por um prato de lentilhas”, ironizou Brizola. Dilma conseguiu um dote menos mesquinho: trocou de partido para voltar ao cargo de secretária de Minas e Energia, agora a serviço do companheiro Olívio Dutra.

Meses antes, ao fim de uma reunião do PDT gaúcho, o chefão do partido confessou que, “talvez porque essa moça fale pouco”, não conseguia entender direito o que Dilma dizia. Morreu sem saber que ninguém entende dilmês.

25/08/2014

às 16:30 \ Opinião

‘O bonde do Planalto’, de J.R Guzzo

Pouco a pouco, os brasileiros começam a se perguntar o que valeria mais a pena para o país, e sobretudo para eles próprios, nas eleições de outubro próximo: manter Dilma Rousseff na Presidência da República, em sociedade com o ex-presidente Lula e o PT, ou enviar para lá um candidato contrário às figuras que mandam no Brasil há doze anos, e querem continuar mandando? Cada um chegará às suas conclusões até a hora de votar, e aí seja o que Deus quiser. Mas, além das questões sobre crescimento da economia, atendimento nos hospitais públicos, Bolsa Família e mais um mundo de temas que vão da construção de aeroportos no interior de Minas Gerais à compra de refinarias de petróleo no Texas, seria muito saudável que a campanha eleitoral colocasse em cima da mesa de discussões, sem medo, a seguinte pergunta: o que vai acontecer com as liberdades públicas e individuais depois de anunciado oficialmente o lado que ganhou? » Clique para continuar lendo

25/08/2014

às 11:33 \ Direto ao Ponto

Dilma ressuscita na TV a obra invisível que, em parceria com Lula, fingiu inaugurar duas vezes para tapear eleitores nordestinos

ATUALIZADO ÀS 11H33

Em 2009, Lula voltou a jurar de morte o fenômeno que atormenta o Nordeste desde o século 19: a seca acabaria para sempre. Não em 2010, como prometera em 2008, mas dali a três anos, assim que fosse concluída a transposição das águas do Rio São Francisco: “Vai sê inaugurada definitivamente em 2012, a não sê que aconteça um dilúvio ou qualquer coisa”, garantiu o palanque ambulante.

Em 2012, Dilma Rousseff confirmou que, como avisara o padrinho, o sertão iria mesmo virar mar. Mas só em 2014. Dilúvio não houve, nem se soube de qualquer coisa suficientemente poderosa para ordenar ao São Francisco que permanecesse onde sempre esteve. O que teria acontecido? A obra foi subestimada pelos responsáveis, explicou a responsável pela obra.

Meses atrás, convidada a justificar o prosseguimento dos trabalhos de parto iniciados há cinco anos sob a supervisão da Mãe do PAC, Dilma irritou-se com Dilma: “Num acredito que uma obra dessas em qualquer lugar do mundo leve dois anos pra sê feita”. Só no Brasil Maravilha que o padrinho criou e a afilhada aperfeiçoa. Tanto assim que, na semana passada, a candidata à reeleição confessou que o deslumbramento fluvial não se tornará visível tão cedo.

De volta ao São Francisco para gravar cenas planejadas pelo marqueteiro João Santana, a supergerente caprichou no dilmês de comício para explicar os motivos de mais um adiamento: Tente entender o palavrório reproduzido sem retoques nem correções:

“Acho que uma parte significou a chamada curva de aprendizado, você tem de aprender a fazer. A segunda parte, eu acho que a complexidade da obra é maior do que se supunha, principalmente quando você considera que não é pura e simples a abertura de canal. É também estações de bombeamento”.

Cenas da visita ao rio que teima em não sair do leito ilustraram a ressurreição da vigarice franciscana no horário eleitoral da TV. Além de exterminar a seca, o milagre das águas agora também vai “irrigar esperanças e secar muita lágrima dos nordestinos”. Basta votar em Dilma e ter paciência para esperar mais um ano e pouco. Ou mais um mandato. Ou mais um século. Haja cinismo.

24/08/2014

às 18:09 \ Opinião

Oliver: ‘Pau, pedra e fim do caminho’

VLADY OLIVER

No pontapé inicial da abjeção televisiva chamada “horário eleitoral gratuito” – que é o que ele menos é –, eu já cantava aqui mesmo uma bola que ninguém se atreveu a cortar em nome de alguma decência nessa política bronca que nos rodeia; a ausência de um discurso que realmente se destaque em meio à mesmice e capitalize a imensa vontade do brasileiro de sair do pântano moral em que chafurdamos. É nessa trincheira que entendo tanto a indignação demonstrada pelo comentarista Reynaldo-BH quanto as duras – e sensatas – críticas feitas por Reinaldo Azevedo ao reino encantado da nova candidata, incluída na peleja pelas portas do imponderável. » Clique para continuar lendo

23/08/2014

às 22:29 \ Feira Livre

Imagens em Movimento: Uma ficção real ou uma realidade encantada?

SYLVIO DO AMARAL ROCHA

sugestaodeimagemO embate entre retratar a realidade ou dar asas à imaginação está presente desde o nascimento da Sétima Arte. Como fica evidente na história dos irmãos Lumiére  e na de George Méliès , seus inventores sempre procuraram se colocar de um dos lados, excluindo completamente o outro e protagonizando uma briga que existe mesmo antes da criação das nomenclaturas “cinema de ficção” e “cinema documentário”. » Clique para continuar lendo

23/08/2014

às 18:01 \ Opinião

Reynaldo-BH: Para fingir que não é política, a Protetora das Saúvas persegue o poder com a fantasia de retirante de butique

REYNALDO ROCHA

Um dia o prefeito da maior capital do país se definiu como alguém que não era de centro, nem de direita e nem de esquerda. Entendi que ele era de baixo.

Agora temos uma política profissional – sempre viveu disso – repetindo o discurso de Collor: cuidado com os políticos (os outros). O perigo maior é ela própria.

Messiânica, com ar de retirante de butique, seringueira de Brasília e acusadora de todos os que ousam discordar do que diz, Marina Silva faz lembrar o que de pior temos nestas terras tupiniquins: o antigo PT, dono de ética e das verdades. Deu no que sabemos. Difícil escolher entre o descaramento explícito e a desfaçatez silenciosa.

» Clique para continuar lendo

23/08/2014

às 11:11 \ Opinião

‘O céu é o limite’, de Roberto Pompeu de Toledo

PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA DE VEJA

A cada trinta anos, com margem de erro nunca superior a alguns poucos meses, o sr. Absurdo da Silva bate ponto, com o característico estardalhaço, na política brasileira. Por obra sua, em agosto de 1954, o senhor que então ocupava o Palácio do Catete saiu de uma exaustiva reunião fazendo crer que se licenciava do cargo para, poucas horas depois, amanhecer morto, com uma mancha vermelha no pijama a denunciar o tiro que desferira no coração. Em março de 1985, observada a aludida margem de erro, pregou uma peça no senhor que no dia seguinte ocuparia o Palácio da Alvorada. Forçou-o, em vez disso, a internar-se num hospital, acometido do mal que o mataria no mês seguinte. Na semana passada, com a brutalidade que também lhe é característica, roubou a vida de uma jovem promessa da vida pública brasileira e fez a campanha eleitoral para a Presidência voltar à estaca zero.

» Clique para continuar lendo

23/08/2014

às 7:05 \ Feira Livre

Um passeio pelo passado do Rio

Nesta semana, a coluna convida os leitores para uma viagem pelo Rio do passado, a bordo de imagens enviadas por Moacir Japiassu, velho amigo, grande jornalista e romancista cinco estrelas. Sem tanto carro e tanta gente congestionando ruas, avenidas ou calçadas, sem tanto arranha-céu atravessando a sinfonia das maravilhas naturais, deguste sem pressa cada pedaço da Cidade (sempre) Maravilhosa.

Corcovado - 1885

Corcovado – 1885

» Clique para continuar lendo

22/08/2014

às 20:32 \ Homem sem Visão

Luís Inácio Adams diz que nome é destino, João Santana enxerga uma cozinheira por trás da rainha e Graça Foster entra na disputa de agosto com o apoio de Cerveró

HSV“O doutor Adams vive dizendo que nome é destino: quem se chama Luís Inácio sempre enxerga um inocente por trás de todo culpado”, confidenciou um dos cinco estagiários encarregados de formalizar nesta sexta-feira a candidatura do chefe da Advocacia-Geral da União ao título de Homem sem Visão de Agosto. Depois de revelar que o combativo bacharel trocou o sobrenome de batismo (Silva) por sugestão de um tio viciado em mascar chiclete, a mesma fonte informou que o xará de Lula acredita que vai fazer bonito já na primeira briga de foice pelo troféu. Aos amigos íntimos, o promissor estreante Luís Inácio Adams tem resumido numa frase as razões do otimismo: “Quem não vê nada de mais na negociata em Pasadena nasceu para HSV”. » Clique para continuar lendo

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados