Coluna Augusto Nunes

Augusto Nunes

Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido.

sobre

Colunista de VEJA.com, colaborador da edição impressa e apresentador do Roda Viva. Foi redator-chefe de VEJA e diretor de redação das revistas Época e Forbes e dos jornais O Estado de S. Paulo, Jornal do Brasil e Zero Hora. Autor do livro 'Minha Razão de Viver - Memórias de Samuel Wainer'.

Valentina de Botas: O jeca continuará dizendo que não tem o triplex que é dele e que não é dono do sítio que possui

Por: Augusto Nunes

VALENTINA DE BOTAS

No país do Carnaval em que uma nação perambula em busca de si, inexiste o risco de os farsantes renunciarem à farsa: o jeca continuará dizendo que não tem o triplex que é dele e que não é dono do sítio que possui; Dilma Rousseff visita o Congresso que despreza, como a qualquer instituto da democracia, fingindo que a tragédia brasileira que patrocina resulta do triunfo da opinião sobre os dados.

Tenho alguns dados para ela: na opinião de dois terços de brasileiros, ela é incapaz de tirar o país da crise e o jeca em que ela se escora morreu politicamente e o corpo será removido pelo Código Penal. Antes de entrarmos na Sapucaí para ganhar o público e perder o Carnaval, o para sempre eterno Paulinho da Viola entoou “Foi um rio que passou em minha vida”, uma das mais lindas músicas do mundo. Uma tristeza me carregava, não pensava que conseguiria e me lembrei da Clara Nunes dando um aperto de saudade no tamborim.

Além disso, estava ali acompanhando os alunos estrangeiros para quem eu ensinava português: era um compromisso de trabalho. Então, naquela manhãzinha que nascia única na longínqua apoteose de 1996, me dissolvi na Sapucaí dentro do azul e branco com prata e dourado da Portela bela. Mas não é isso. No Brasil de tantas agonias, a gastança na empolgante epidemia de alegria fugaz nunca fez sentido para mim. Mas o que que faz sentido num país em que o problema da ida da presidente ao Congresso pedir a CPMF não é Dilma ter o vício odioso de quebrar promessas e se fazer de sonsa, mas a ilegalidade do governo?

Prender o jeca, extinguir o PT, destituir o governo ilegal é a solução para a nossa insanidade? Talvez ela não tenha solução, mas essas medidas satisfariam a lei, único caminho para que um país insano ao menos preserve a consciência da doença. Releio tardes vividas pelas ruas de Olinda, eu menina e a parentada em folias no meio dos mamulengos. Mas não é isso. Nem o namoro, eu já mocinha, sob as energias do frevo do Galo da Madrugada do meu Recife antes de o bloco se agigantar na muvuca atual.

A tradução do Carnaval para mim é a cena final de “Zorba, o grego” em que Anthony Quinn e Alan Bates, na sequência de “um acidente magnífico” que os arruinou e para o qual não há solução, resolvem dançar o sirtaki. No Brasil de tragédias sucessivas – danceteria Kiss, Mariana, microcefalia, para ficar nas recentes –, além do lulopetismo, a tragédia cotidiana para a qual a nação desperta tardia e parcialmente quando o esbulho já é o maior espetáculo da Terra, o Carnaval tem sentido?

Tem sentidos: minha filha já comprou um par de cílios postiços coloridos para fantasiar os lindamente espessos e longos cílios naturais dela e eu recuperei meu arranjo de cabelo de outros Carnavais para sairmos num pequeno bloco de rua em São Paulo porque o Anthony Quinn dança o sirtaki de camisa amarela e gravata vermelha, numa praia grega, para que eu não esqueça que a vida, o mais magnífico dos acidentes, não tem solução.

Voltar para a home
TAGs:

Comentários

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

*

76 comentários
  1. Rose

    Referência ao filme “Zorba, o grego”, magnífica.
    Mas o que mais me espanta é a dança das nossas autoridades diante das tragédias.
    Nenhuma liderança política para dar o exemplo e sair com roupa de guerra, luvas e sacos de lixo na mão, e fazer uma varredura na Esplanada dos Ministérios procurando possíveis focos do mosquito da dengue? Sem querer generalizar, mas a maioria é composta por políticos comprados e que compraram votos e campanhas eleitorais. Falta líder de verdade, com vocação e real interesse. A mediocridade reina.
    Por favor, não há nenhum brasileiro formado em Yale, Harward, MIT, Heidelberg ou Cambridge para se candidatar a presidente do Brasil? É pedir muito?

  2. Valentina de Botas

    Que bom, Chris, são preciosos os leitores e brasileiros que, como você, celebram o valor da convivência dos contrários. Também gostei muito da nossa troca. Até outra hora então.

  3. Valentina de Botas

    É isso, Augusto. Além de não ter cura, a jequice dele é progressiva. Um beijo

  4. Chris

    Valentina (7/2 16:11) Entendo seu ponto, apesar de continuar não concordando com o uso do termo “jeca” aqui. Não deixarei de ler esta coluna, ou seus textos por causa desta nossa discordância. Queria dizer que gostei da discussão. Sinto falta de ver debates como o nosso mais vezes entre brasileiros. Até uma outra hora! Chris

  5. Valentina de Botas

    Cara Chris (7/2, 9:54). Bacana saber um pouco da sua história, temos pontos biográficos afins. Lamento com sinceridade que você se sinta ofendida; não peço desculpas porque não tenho culpa: o dicionário Houaiss, eletrônico e impresso, traz a acepção de “jeca” como tenho usado (adjetivo de dois gêneros. Regionalismo: Brasil: que revela mau gosto, falta de refinamento; cafona, ridículo). Perdão se a induzi à confusão de que a associação entre jeca/caipira e humilde é dicionarizada ou que é minha, pois ela não é uma coisa nem outra, mas feita no uso cotidiano que sobrepõe camadas de sentido ou da falta dele às palavras e foi a isso que aludi. O contato que tive e tenho com caipiras não os idealiza, não são “historinhas que povoam o imaginário infantil”, pois eu vi de perto como é a vida deles naqueles cafundós. Mas isso nem tem importância. Sua família é simples? Minha mãe cortava cana aos seis anos de idade, assim, parece que não dá para eu idealizar caipiras, jecas e afins, não é mesmo? Mas isso não é um campeonato de quem conhece menos ou mais essas realidades. Além de achar uma pena que você se sinta ofendida, nada posso fazer a respeito, pois, reafirmo, uso o termo na acepção que você não citou entre o resultado de suas pesquisas e que se descola do caipira “real”. Citei o mesmo uso que o colunista faz do termo, mas também poderia ter lembrado Paulo Francis que se referia do mesmo modo a José Sarney, só para esclarecer que não inventei a coisa. Também isso importa menos agora. Claro que se sentir ofendido escapa das cercas do politicamente correto, mas só se a razão da ofensa não estiver dentro delas – e, no caso de jeca, está porque há esse outro sentido para o termo, que é precisamente o que uso. Mas o que importa mesmo é como você se sente porque as pessoas são sempre mais importantes do que aquilo que um texto pretendeu dizer ou disse, do que ideias ou qualquer outra coisa. Portanto, se mesmo tendo compreendido minha postura (que manterei porque não há ofensa no sentido empregado), você continuar se sentido ofendida e se a ofensa supera o proveito recíproco de ler meus textos, cara Chris, só você pode fazer alguma coisa. Cordialmente, Valentina.

    Valentina e Chris: Minha avó italiana teve de deixar a escola quando imigrou e morreu analfabeta. Meu avô paterno era lenheiro. Meu pai trabalhou na roça. Tive de aprender português duas vezes para deixar de guilhotinar plurais e assassinar concordâncias. Por tudo isso, sou e sempre serei um legítimo caipira de Taquaritinga. Mas jeca já não sou. Jeca é o Lula. Sempre será. Gente como ele não tem cura. Beijos para vocês.

  6. Chris

    Cara Valentina, confesso que me surpreendi com sua resposta para o meu post de ontem (6/2, 6:54). Se você me conhecesse saberia que a cretina seria eu, e não, segundo seu texto, a ideia que apresentei, caso eu tivesse a intenção de pregar o politicamente correto. Não sigo nem moda, nem “onda”. Sou dona do meu próprio pensamento. Estou afirmando que meu comentário não tem este cunho.

    Sabe, eu fiquei curiosa e fui procurar no dicionário a definição da palavra “jeca”. As quatro fontes que verifiquei definem “jeca” como “caipira” e, este último termo, por sua vez, leva, invariavelmente, a seguinte acepção: que ou quem mora na roça, no campo; que ou quem tem modos considerados rústicos, simples, grosseiros ou incultos; que ou quem é tímido, pouco sociável; que é próprio do campo; que é relativo a festa junina; indivíduo matreiro. Em lugar nenhum a palavra “humilde” aparece como sinônimo de “caipira”, como você menciona, portanto, assumo que esta seja uma associação pessoal sua. Ou talvez a imagem do “bom selvagem”, como você mesma usa o termo, seja culpa das novelas globais tão assistidas aí no Brasil.

    Com a devida vênia, o fato de Augusto Nunes usar o adjetivo “jeca” para qualificar a pessoa “Lula” não abona nem melhora esta combinação de palavras. Não se engane, se eu frequento este espaço é porque respeito as pessoas que aqui escrevem, mas isto não me obriga a concordar com elas.

    Adiante, sua resposta desfia uma lista de caipiras que você conhece, que são seus parentes, amigos, colegas e afins. Acontece, minha cara, que eu SOU caipira, do interior, nascida e criada nas montanhas de Minas Gerais. Longe do seu ideal romantizado do caipira, meu conceito sobre o termo não se resume a uma coleção de estorinhas que povoam o imaginário infantil. Eu vi com meu próprios olhos a dureza da vida campestre. A minha família inteira é formada por gente simples, tosca e rústica. Gente que trabalhou ou trabalha de sol a sol no roçado, gente de modos pouco refinados, de pensamento provinciano, porém gente muito esperta. Não enumero estes atributos com o propósito de diminuir os meus. Não. Estou tentando mostrar-lhe que a imagem do caipira singelo e ingênuo é sua e não minha, como você deixou implícito.

    Eu ganhei o mundo com muito trabalho e por mérito próprio. Faz mais de uma década que deixei o Brasil. Já morei na América do Norte, hoje resido na Europa. Posso afirmar-lhe, caipiras brasileiros e gringos (e eles existem aos montes) são todos feitos da mesma matéria bruta. Ser caipira, pra mim, significa ter uma tenacidade que só que convive ou conviveu com a natureza conhece.

    Dito isto, continuo a pensar que “jeca” não é adjetivo devido para qualificar Lula. Existem outros infinitamente mais precisos. E sim, ofendo-me com isto. Sentir-se ofendido não pertence somente ao politicamente correto. Sem mais.

    Respeitosamente, Chris

  7. Mari

    Alalaooooooo, mas que calooooooooor. Assim segue o Carnaval. Crise?? Que Crise?? A cerveja a folia a bebedeira corre solta. A falsa alegria fantasiada pela bebida, a orgia achando que,como é carnaval, tudo pode. Enquanto isso, farsantes continuam a articular contra os foliões desavisados. Parece que o carnaval é a redenção de tudo: O mosquito da dengue segue firme e forte, o zika vírus continua a causar estragos em seres que ainda nem nasceram, será que é o zika?? ou foram as vacinas que o governo aplicou nas grávidas e a culpa, como sempre é de outrem. Porque estão faltando vacinas para as grávidas? Será que já sabem o que causam?? Mas o carnaval segue até quarta-feira de cinzas para a remissão dos pecados. E o Brasil continua a ser enterrado em cinzas, em lodo. Temos um único fio de esperança, A LAVA JATO. E que seja pelo menos um fio, já me basta para ver esses bandidos presos e o Lula algemado. Dilma fora e o PT extinto.

  8. bereta

    Não há como deixar de amá-la, Valentina. Amor ao belo, ao verdadeiro, ao simples, às coisas boas da vida. Vou e volto no blogue do Augusto, leio, releio e a cada vinda aprendo mais e mais. Já me preparava para fechar o laptop quando resolvi dar mais uma voltinha. Parecia que algo me chamava antes da despedida. Eis que me deparo com o seu texto das 13:05, em resposta à Crhis, das 6:54 de hoje. Não foi uma resposta, mas uma aula completa, onde engrandeceu a missivista. Como é bom quando as pessoas tem classe! Obrigado.

  9. Valentina de Botas

    Chris (6/2, 6:54). Não tem de quê, mesmo: não posso lhe fazer esse favor, pois seria uma concessão ao politicamente correto, cretinice a que resisto como resisto ao próprio lulopetismo. A leitura politicamente correta é a única forma de aprisionar o termo “jeca” a uma concepção única. Se quiser, vá ao dicionário e veja as acepções possíveis. É de uma clareza solar que não uso a expressão com o mesmo sentido de “realmente caipira” e, além de não ser a única a usá-lo, não o inventei: ele está no dicionário. Ah, mas ele está associado ao caipira humilde e tal. Pois que se dissocie. Se você não se aborrece, Chris, sugiro que não embarque nesse autoritarismo jeca dos politicamente corretos que parece fazer do termo uma atualização do bom selvagem. Augusto Nunes é caipira de Taquaritinga e foi o primeiro a dizer, quando Lula foi eleito presidente, que o PT é a jequice no poder. Minha mãe, uma fada na minha vida, é uma caipira doce do interior profundo de Pernambuco; tenho 16 casais de tios caipiras que enriqueceram minha infância pobre com deliciosas histórias, músicas, modinhas e comidas da caboclada nordestina; tenho alguns amigos caipiras de outros estados que são meus amores; conheço caipiras de outros países – entre toda essa gente, vi inveja roendo unhas, ódios secando vidas, mediocridade culpando o mérito alheio, mesquinharia atrofiando almas, cobiças deformadoras e também generosidade consoladora, doçura incondicional, sabedoria também em analfabetos, bondades que cicatrizam tudo, enfim, coisas boas e ruins; vi jecas “realmente caipiras” e jecas como o Lula. Conto essas experiências para esclarecer que sei o que é realmente caipira, fazendo o registro fundamental de que não são elas que me dão legitimidade para chamar Lula de jeca, mas o fato de ele ser um jeca.

    Certíssimo, Valentina. Um beijo

  10. Chris

    Por favor, não chame Lula de jeca. Isto ofende a quem é realmente caipira. Obrigada.

  11. jader cabral

    parabens valentina, em meio ao seu maravilhoso texto, gostei de conhecer um pouquinho mais de vc…
    o brasil, o seu povo e principalmente seus politicos não tem futuro… como se diz por ai: vamos empurrando com a barriga, é o levar vantajem, é o jeitinho….
    sabe a fabula da formiga e da cigarra??? nesse pais sacaneia-se a formiga e idolatra-se a cigarra….
    QUE DESGRAÇA DE PAIS É ESSE???

  12. nobile

    Valeu, cara Valentina. Bom divertimento com sua filha no bloco. Eu estou indeciso se vou desfilar na “Acadêmicos de Atibaia” ou na “Império das Astúrias”. Fantasiado de palhaço, é claro.

  13. Marquês de Casca Fina

    Como eu amo os seus textos!
    Este trouxe um leve sabor de tristeza.
    Não aquela tristeza que ensombrece a alma; não a tristeza que estiola a esperança. Não é a tristeza que desalenta. Mas a tristeza que toca a consciência, compele à reflexão e acorda o Espírito. A tristeza tem a sua beleza quando revela um anseio maior pela mudança construtiva, quando é um anelo por uma melhora real e efetiva do individual e do coletivo.
    Tudo passa. Entanto, aquilo que passa ornado pela suavidade da beleza, de certa forma eterniza-se no coração e se torna referência para o crescimento interior.
    É maravilhoso saber fluir através dessa tristeza que você tão delicadamente adorna com as cores de sua beleza interna.
    Obrigado e parabéns.

    O jeca, o PT, e assombrações outras são como essa pretensa e pretensiosa esquerda decadente. Valem tanto quanto o zero antes da vírgula.

    É isso.

  14. Valentina de Botas

    Nobile, está desculpado, se é que há o que desculpar. Obrigada por corrigir o título da música do Paulinho da Viola; “na minha vida” nem cabe na melodia, não é mesmo?

  15. nobile

    Desculpe-me, Valentina, mas a vida não é um acidente nem um acaso. Espero que você descubra isso ainda em tempo, como eu já descobri há muitos anos e posso testemunhar. P.S.: o título correto da obra rima de Paulinho da Viola é “Foi um rio que passou em minha vida”, e não “…que passou na minha vida”.

  16. Rubens Campos

    o lula já passou do estágio de termos raiva… agora temos nojo dele, também…

  17. costa

    Como o sapo barbudo não pode mais ir no seu sítio em Atibaia, e nem no seu triplex do Guarujá, aonde será que ele vai passar o carnaval, na rua vai estar representado pelo Pixuleco.

  18. Margareth Morgado

    Que maravilha!!! Valentina, você é uma poetisa, e das mais inspiradas.
    O Jeca e sua famigerada Famglia serão varridos pelo tufão legal que passará sobre os malignos.

  19. Ana

    Com relação ao comentário do Oliver:

    “Eu divido as pessoas do mundo em três categorias:
    os poucos que fazem as coisas acontecerem,
    os muitos que vêem as coisas acontecem,
    e a grande maioria que não tem ideia do que está acontecendo!”

  20. olavo

    Agora o Brahma vai declarar que foi um presente. Isso se chama defecar e sentar em cima! Quem tem o interesse de dar presentes como estes?

  21. bereta

    Somos, Valentina… somos duque, trinca, quadra, quina, sena….e seremos. Por um tempo ainda haverá vento. Por um tempo a nossa nau, que não é a dos insensatos, navegará em meio a grandes dificuldades. Para nosso conforto, sabemos que existe um PODER MAIOR e esse poder há de nos conduzir ao porto seguro. Nossa tarefa nessa viagem medonha é bombear a água dos porões, insistentemente. Grande abraço, querida ESCRITORA. Muito me honra a sua atenção, fazendo-me melhor, e me obrigando a ser mais e mais cauteloso no que escrevo. Deus a ilumine hoje e sempre.

  22. Paulistana

    Não é revelador sabermos agora q ele usufrui de bens q nega lhes pertencer, mas não teve nenhum constrangimento em tomar como seus os presentes q foram destinados ao Estado Brasileiro e lhes entregue apenas como pessoa reprentante temporária desse mesmo Estado? Ou ele achou q Reis, Sultões, Presidentes e demais figuras mundiais estavam prestando homenagem ao apedeuta do ABC? Depois dos 11 caminhões, chego à conclusão q só não levou o AeroLula pq não conseguiu empreiteiro q lhe construisse um aeroporto a tempo.

  23. Caio Maior

    Caro Augusto Nunes, neste tempo de apreensão e trabalho dobrado não deixo de passar por aqui – e ler as melhores palavras de motivação para a luta incessante do dia a dia.
    Valentina, sou cada vez mais admirador do seu talento, da sua simplicidade do tamanho da grandeza, da integridade do seu caráter.
    Peço a Deus que lhes dê força e inspiração na caminhada. Mais do que necessários, vocês são insubstituíveis.
    Só posso agradecer, mais uma vez.
    Abração Augusto, um beijo Valentina.

  24. freed

    O vagabundo petista das 22:25 dever ser irmão do prefeito.

  25. xi

    Só para constar, nova empresa da esposa de Lulinha:
    http://vetorm.com/?p=762

  26. Flávio Haddad

    Augusto Nunes é o “jornalista” &ˆ))(*$$%ˆ…

    Qualquer coisa é melhor que ser quadrilheiro, sem aspas. Como você.

  27. sos

    Lembram o terreno imenso doado por Lula para fazer a embaixada palestina em Brasília em área de risco para segurança nacional, inclusive quanto à terrorismo,perto do palácio do planalto, fora da áreas de embaixadas? Até construíram uma mesquita lá, não se esquecendo que por ser área de uma embaixada, os carros que se dirigem para lá, nem o local podem ser revistados. Pois é, já está pronto! Silêncio na mídia aqui, mas em Israel já deram a notícia, em Inglês, com foto. Google tradutor, por favor, se ajudar:
    http://www.timesofisrael.com/with-no-israeli-ambassdor-in-brazil-pa-opens-embassy-there/

  28. silva

    “Não existe viva alma mais honesta do que eu”, diz Lula …
    Então, Vejamos sua mudança do Palácio do Planalto:
    “Para fazer a mudança foram necessários 11 caminhões para transportar mais de 8 mil presentes que integram um acervo de 1.403.417 itens levados dos Palácios, sendo que um caminhão era climatizado para levar a adega da presidência. A mudança, claro, foi toda paga com dinheiro público.
    Entre os objetos, Lula levou para casa duas bicicletas e duas esteiras ergométricas da presidência (que devolvidas posteriormente), a cama do Palácio do Alvorada, uma peça de cristal com o primeiro artigo da Constituição Americana dada por Obama, um conjunto de taças de prata dado pela rainha Elizabeth, uma coleção de jóias dadas pela família Real dos Emirados Árabes, 9 mil livros e obras de arte diversas. Confira alguns itens:
    http://reaconaria.org/blog/reacablog/breve-lista-de-objetos-que-lula-levou-da-presidencia/
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po2112201014.htm
    http://atarde.uol.com.br/politica/noticias/1135667-mudanca-de-lula-chega-a-sao-bernardo-do-campo-sp
    Creio que há uma certa conexão com a investigação atual sobre para onde foram os caminhões de mudanças:
    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/mp-apura-se-mudanca-de-ex-presidente-lula-foi-para-sitio-de-atibaia
    Alguma notícia nova deste inquérito mais antigo correlacionado?
    http://reaconaria.org/blog/reacablog/mpf-quer-saber-se-ex-presidentes-roubaram-acervo-presidencial/

  29. osvaldo luiz

    Porque o P.M.D.B., P.D.T., PSOL, P.P., P.V.
    não explicam como chegamos a esse estado de coisas
    não explicam como chegamos a pré falimentar a Petrobras
    não explicam como chegamos a falência na saúde federal?
    não explicam como chegamos a falência na educação federal?
    não explicam como chegamos a falência nos aeroportos?
    não explicam como chegamos a falência nas rodovias federais?
    não explicam como chegamos a falência nas ferrovias federais?
    não explicam como chegamos a um desemprego, inflação e corrupção
    totalmente fora decontrole?
    Pois é P.M.D.B., P.D.T., PSOL, P.P., P.V., vocês que sempre apoiaram o governo Lula&Dilma já já estarão nos programas de TV apresentando soluções para todos os problemas atuais, sendo que na grande maioria deles vocês todos foram canalhamente cúmplices.

  30. Wanda

    Valentina, boa noite. Para o povo brasileiro, o carnaval faz sentido sim. Não brinco carnaval mas gosto de ver o povo curtindo a alegria, brincando, aproveitando esses dias de descontração. Brincando o carnaval ou não, tudo que está acontecendo no Brasil e no mundo vai continuar então quem gosta de carnaval que aproveite bem. Um abraço.

  31. Francisco S

    O triplex não tem dono e está abandonado, o sítio também. Só falta o MST& ASSOCIADOS tomarem conta dos imóveis.

  32. Leandro

    PROPOSTA COERENTE:Já que não tem dono ou que o dono diz que não é dono, o mais bolivariano e justo seria DOAR O SÍTIO PRO MST E O TRIPLEX PRO MTST,hehehehe.

  33. joão alves

    Lula é um mafioso. Dilma ontem na câmara dos deputados só levou no caneco do PT,bem feito

  34. Valentina de Botas

    Comentários deliciosos, agradeço a todos pela leitura. Bereta, meu caro, honra e alegria em ser teu par; somos todos uns pares dos outros, não somos? Hoje, recebi uma mensagem boba de alguém dizendo que acha que eu estava deslumbrada por ser lida aqui. Acha, é? Bem, já fiz tudo o que podia para convencê-lo. Beijos

  35. Huni

    E o ‘caranalha’ lulladrão ARRASTOU ainda os móveis e objetos (património público) lá do Planalto diretinho pro sitiozinho que ‘não é’ dele. Oito carretas cheias de patrimônio público. LADRÃO gabola: “tudo meu, tudo meu” .. “nirnguéin vai si mertê à besta di vi tomá isso tudo qui merti u mãozão na cara dura .. argóra é só mi reisfêistelá nu sírtiu e arrombá a pertobás toda pá mim i pus meu cumpanhêru .. deispois é só corlocá uma rêdi di parasitas lá nu Corngréssu i mi dá béin inté morrê di tânu bebê carcháça i cumê susrráscu mi impápuçânu na bêra da pircina .. us otáriu inda vão bortá uma istáutua minha béin na frênti du Cristo Redentor”.

  36. Juliana

    Entrementes,em janeiro de 1933,após meses de negociações,o presidente alemão Paul Von Hindenburg nomeava Hitler chanceler,começava ali,as maiores atrocidades jamais vista pela humanidade,no verão do mesmo ano,numa beer pitoresca na região central de Berlim estavam Hitler,Goebbels,Hess,Heydrich,Himmler,Goering,e outros figurões do partido para celebrar o orgulho nazi;um repórter americano se aproxima de Goebbels para uma rápida entrevista,ele pergunta;qual o objetivo do partido de vocês agora que ganharam o poder? O mestre da propaganda responde,vamos exterminar seis milhões de pessoas e Hum carteiro,sem acreditar no que ouviu,o repórter reage,porque um carteiro? Cínicamente Goebbels sorri para Hitler,ouviu? Não lhe disse? Ninguém dá a mínima para as pessoas. O carnaval? haaaaa…ninguém dá a minima para o carnaval!!! País de tolos.

  37. Gilberto

    O sitio não é do Lula,ele emprestou apenas para guardar as obras de arte que ganhou quando era presidente e que foram trazidas de Brasilia em 10 caminhões porque eram poucas peças e não compensava trazer de trem e também para abrigar a adega com os vinhos que ele “ganhou”dos embaixadores brasileiros esplhados peloi mundo já nos estertores do seu mandato.E o sitio está sendo utilizado também para cultivar as plantas que dona Marisa usou para desenhar a estrela do PT nos jardins do Palacio.E se tiver que processar alguém,que processem também o Mino Carta que ensinou o Lula a tomar vinho e o Duda Mendonça que incentivou seu vicio.

  38. FM

    Valentina, em Creta o desastre acabou numa bela dança cujos participantes, causaram e assumiram os prejuízos. Aqui o povo, tudo leva a crer, será extorquido e se não reagirem, continuarão pagando com aumentos abusivos de impostos, tarifas de água, luz e telefone, transportes públicos enquanto que os serviços públicos continuarão piorando.

  39. Gonorante

    MUITO BLA BLA BLA, já estão há anos investigando o Lula e não da em nada, eu não acredito mais em ficar na net reclamando, temos que ir para as rua lá sim iremos conseguir justiça e afastar da política estes corruptos e mau caráter da nação, to cansado de ver que tudo da em nada, E A CULPA É DO POVO, que fica em casa e na net só reclamando, tem que estar todo domingo nas ruas até conseguir a mudança, caso contrário vão ficar investigando o LULA MAIS 10 ANOS.

  40. bereta

    Não sou folião. Mas, diante desse texto, vou entrar na folia, psicologicamente. Eu, Pierrô, serei par da mais linda Colombina de todos os tempos: Valentina.

  41. Anonyma

    Bonito texto uma mistura de realismo e poesia é o que eu acho não sei se usei palavras certas para definir mas é o que senti ao digitar.

  42. Luiz Cadioli

    Valentina, para não variar, seus textos continuam magníficos!!!

  43. Romero Ferreira da Silva

    Valentina de Botas, não deves ser algum com mais de cinquenta, escreves com a alma de 20, falas de uma filha que lembra infância, me remete a um Anthony Quinn que eu vi ainda garoto(eu).
    Com mais de 60, me esbaldo numa analise tão humana, tão triste e ao mesmo tempo tão atual, das nossas mazelas.
    Carnaval e cinzas, nasceu maria, cinzas e carnaval, morre e morreu nossa economia, nossas nostalgias.

  44. Helena Silva Naumoff

    Valentina, sua pena produz pérolas. Que talento para escrever. Leio tudo o que você diz bem devagarinho para retardar o fim. Parabéns por suas ideias claras e seu estilo preciso.

  45. fazendas

    Dúvida…
    Comentários na rede sobre reportagem da Folha:
    Boatos ou realidade? O Brasil precisa de esclarecimentos.
    “O repórter poderia ir de Dourados a Porto Murtinho (MS), conversar com fazendeiros da região.
    Ali ele conseguiria até o endereço da fazenda de Lula, Dirceu, Zeca do PT e Delcídio. A fazenda fica no município vizinho Chaco (Paraguai), foi comprada em cash, de porteira fechada, com 300 mil bois dentro.” (Lanterna)
    “Concordo c Lanterna. Naqule Estado/MS todos comentam as fazendas possuídas ilegalmente por essa quadrilha: Dirceu, Lulla, ZecaPT etc. Está a merecer investigação.” (Van)
    “Na cidade(Dourados-MS) desde o princípio, o boato que a usina é do Nine. Por outro lado a usina esta sendo dilapidada , máquinas e equipamentos estão sendo levados embora, não se sabe para onde.”(100 reeleições)

    “Não mencionando boatos de propriedade no Norte do Brasil…cartório abrindo de madrugada para Lula e Lulinha (chegam de jatinho) em compra de fazendas…”

  46. li

    ATENçÂO!
    Quero aproveitar a massiva audiência deste Blog e avisar a todos e,especialmente empreiteiros, engenheiros em férias ou em folga carnavalesca que irei viajar por uma semana. Meu ap e o meu sítio estarão vazios porém não quero que reformem, construam ou acrescentem nada, especialmente cozinhas, mesas de sinuca, barcos, decks, churrasqueiras, etc. Muito obrigado.

  47. P A U L Ã O

    sidnNasc tem razão. O que deve ter de laranjas nessa história, daria para abrir a maior fábrica de suco de laranja das Américas. Ali Babá não passava recibos de seus roubos. O trabalho para se chegar ao bloco do iceberg assemelha-se uma pesquisa que meu amigo desenvolve: ele e sua equipe introduzem carbono em uma célula do organismo e ficam monitorando o seu curso até serem conduzidos para uma célula doente. É assim que tem de ser feito. Quem oculta um triplex, oculta uma ou umas fazendas, sítios, dinheiro em offshore, contas nos reinos de Portugal, Algarves e Espanha, associa-se aos irmãos Castros valem-se do programa mais médicos para retiram sangue e os caminhos que conduzem para rotas nunca dantes navegadas na história deste pais devem ser incontáveis. Portanto, com persistência do pesquisador que descobriu o vírus da dengue, a eficiente Polícia Federal e o Ministério Público poderão seguir as células e assim chegar onde o dragão esconde o ouro.

  48. Haddammann

    O “trirpéxchi” do Guarujá deve ser do Haddammann, como o resultado (depois forjado) da mega-sena foi e é; porque foi lá que meteram a mão na obra que valeria hoje ao Brasil o maior trabalho de lógica estrutural (a interação de energias-puras) feito neste nosso mais que queridinho Brasil. É, foi lá, enquanto aguardava pra ver o Pelé, que o Pensador, faminto, em frio de menos dois graus, com um pedaço de plástico escorado em um quiósque de madrugada, segurou pela última vez um trabalho que levou mais de 28 anos pra fazer. Ali, naquele lugar, espreitado por todos os lados, sendo esbofeteado por policiais drogados, que o Instrutor de Lógica Espacial, disse à um tratante: “Não há outro modo .. que os garotos e garotas das favelas sejam beneficiados então”. E houve uma ressalva de pensamento: “Que nunca, jamais, isso seja dado à pastores de igrejas evangélicas”.
    E a “doação’, para que o trabalho não se desfizesse rasgado e molhado embaixo de chuva e o autor em vias de morrer à mingua ou doente, foi deixada com um tratante de pele marronzinha que rondava o Pensador enquanto os crentes e seus mandantes deliravam com tal ‘triunfo’.

  49. Direto da Florida

    Cuba faliu e pediu penico há tempos. Sem a URSS ficaram orfaos, até que aoareceu o Lula..Já na Florida, os cubanos exilados e seus descendentes são valorizados, cultos e bem sucedidos.Até os presidiarios de Mariel enviados calhordamente por Castro cono “fugitivos” tem filhos na Universidade. O prefeito de Miami, dois dos mais importantes candidatos republicanos a presidente, Marco Rubio e Ted Cruz, são descendentes de cubanos. A Florida explode de riqueza e progresso. Estradas perfeitas de oito pistas, acidentes raríssimos… Pleno emprego. Trem bala nos planos reais ligando Miami a Orlando pra começar…Ninguém sabe o nome do governador nem quando são as eleições. Política é assunto distante. Ianques lamentam o que se passa no Brasil. Triste… dizem eles…Corrupção deste tamanho… Porisso tantas doencas como esta de agora, o Zica Virus..E fazem um ar penalizado pra gente…São umas figuras…

  50. Cacay Balão

    Se a fábula do Pinóquio fosse real, o nariz do Lula tinha ido a Guarujá e voltado…