Coluna Augusto Nunes

Augusto Nunes

Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido.

sobre

Colunista de VEJA.com, colaborador da edição impressa e apresentador do Roda Viva. Foi redator-chefe de VEJA e diretor de redação das revistas Época e Forbes e dos jornais O Estado de S. Paulo, Jornal do Brasil e Zero Hora. Autor do livro 'Minha Razão de Viver - Memórias de Samuel Wainer'.

  • “O ano que começa mais cedo” e outras cinco notas de Carlos Brickmann

    Por: Augusto Nunes

    Publicado na Coluna de Carlos Brickmann

    Depois do Carnaval? Não, 2016 é diferente. Começa amanhã, dia 7, com a volta do juiz Sérgio Moro ao trabalho, depois dos feriados de fim de ano. Começa com a Polícia Federal se sentindo mordida com o corte de verbas. Começa com o empresário José Carlos Bumlai, amigo de Lula, com livre acesso às dependências do Palácio, e Delcídio do Amaral, líder do governo no Senado, presos e pressionados: ou fazem delação premiada ou estão sujeitos a longas penas.

    Há mais. O grupo de trabalho do Ministério Público encarregado de investigar políticos recebeu reforço: cinco subprocuradores para atuar especificamente nos recursos dos envolvidos na Operação Lava Jato ao Superior Tribunal de Justiça; e outros quatro investigadores. Cada caso pode ter inúmeras ramificações. Nas palavras do ministro Teori Zavascki, “puxa-se uma pena e vem uma galinha”.

    Fernando Henrique, entrevistado no Manhattan Connection de domingo, disse que um dos problemas para tentar resolver politicamente a crise é que nunca se sabe se, na hora da conversa, o interlocutor estará solto. Fernando Henrique vê a situação com clareza: enquanto o trabalho da Justiça se desenvolver, tudo fica parado. E o avanço das investigações é imprevisível: se Delcídio e Bumlai falam, é uma coisa; se silenciam, é outra. Quem diria, há não muito tempo, que o líder do governo no Senado seria preso? Quem diria que o maior empreiteiro do Brasil, Marcelo Odebrecht, passaria meses preso e não sairia nem no Natal?

    STF e STJ soltarão muita gente. Mas quem ocupará seu lugar em Curitiba?

    Ajuda à memória

    Só para lembrar, há inquéritos no Superior Tribunal de Justiça sobre o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, do PMDB, e do Acre, Tião Viana, do PT. Outro envolve o ex-ministro (de Dilma) Mário Negromonte, do PP baiano. Os três fazem parte do grupo político que apoia a presidente.

    Negromonte só não é ativo na luta contra o impeachment porque está hoje no Tribunal de Contas.

    Movimento permanente

    Os prazos em que ocorrerão os principais eventos judiciários dependem de uma série de fatores ─ inclusive feriados, dias de ponto facultativo, etc. Por exemplo, o ministro Teori Zavascki deu prazo de dez dias para que o deputado Eduardo Cunha se manifeste sobre o pedido do Ministério Público para afastá-lo da Presidência da Câmara. Dez dias não são dez dias: o prazo começa quando Cunha for notificado da decisão. Isso só pode ocorrer em fevereiro, quando o Supremo volta do recesso e manda notificá-lo. Se a notificação for entregue pelos oficiais de justiça na segunda, dia 1º, o pedido de afastamento pode começar a ser julgado na sessão de quarta, dia 17. Se a notificação não for logo entregue, talvez fique tudo para março.

    São dez dias que podem valer por 50. Só que, enquanto não há decisão, a política fica fermentando e esquentando a crise.

    Crise? Que crise? 

    1 – Lembra daquelas terríveis cenas de pessoas barradas na porta de hospitais fluminenses por falta de vagas? Da moça que deu à luz na rua, porque nem no corredor do hospital quiseram aceitá-la? Das declarações do governador Pezão, de que o dinheiro tinha acabado, que os cofres estavam raspados, que não sobrava nem para a Saúde? Pois a situação deve ter melhorado muito: no dia 31, o governo do Rio determinou gastos de R$ 120 milhões com propaganda oficial em 2016 (a quantia pode chegar a R$ 150 milhões). É o mesmo que foi gasto no ano passado, sem um tostão sequer de economia. Pensando bem, é até pouco: para botar na cabeça da população que o governo é bom, que é que vão fazer?

    2 – A Câmara dos Deputados gastou, em 2015, R$ 14 milhões com combustíveis e lubrificantes (o levantamento é da Operação Política Supervisionada, de Lúcio Batista). São cerca de 4 milhões de litros de gasolina que o caro leitor teve a honra de pagar para Suas Excelências, que o representam em Brasília.

    3 – Lembre-se: há alguns anos, falou-se muito em trem-bala, e a presidente Dilma Rousseff criou uma estatal, a Empresa de Planejamento e Logística, exclusivamente para tomar conta do projeto. O trem-bala não saiu, não se fala mais no assunto, mas a EPL vai bem, obrigado. Tem 185 funcionários. E gastou R$ 46 milhões em 2015.

    É a prova de que o trem-bala é um meio de transporte ultrarrápido: já passou, ninguém viu, e a gente continua a pagar por ele.

    Mas houve economia

    Nem só de gastança, entretanto, vive o governo. Há ocasiões em que, atento à crise, o Palácio do Planalto decide cortar despesas. Em 2015, por exemplo, o ano em que a presidente Dilma Rousseff declarou que o Brasil seria a Pátria Educadora, o Ministério da Educação teve corte de 10% do orçamento ─ aproximadamente R$ 10,5 bilhões de reais.

    Dinheiro só para áreas prioritárias, como pagamento de diárias de hotéis cinco estrelas no exterior para delegações oficiais.

    Ministros do Brasil

    Todos os envolvidos desmentirão. Mas vários informantes confiáveis, em Brasília, garantiram que o ex-ministro Delfim Netto foi sondado por Dilma para a Fazenda. Desde o início dos governos petistas, Delfim esteve entre os conselheiros informais do presidente Lula.

    Delfim recusou, Nelson Barbosa aceitou.

    Voltar para a home
    TAGs:

    Comentários

    Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

    Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

    *

    1. Fred

      Só precisa fazer propaganda enganosa de bom governo, aqueles que não fazem nada de bom.

    2. LINGUA

      O problema, seu Bricknann, é que Janot, Lewandowsck, Barroso, Zavaskci & cia também voltarão ao trabalho! Ou malhor, ao trabalho…

    3. Guina

      Partindo das informações acima, 4.000.000 de litros de gasolina dariam para rodar, nos modernos carros dos deputados, 40.000.000 km. O que dá uma média de, quase, 80.000 km para cada um deles. Trabalham dentro do carro, viajando? Ou será que estão lançando as milhas que passam voando? Só no país das jabuticabas!

    4. Vinicius

      Apenas um reparo ao texto. A frase “puxa-se uma pena e vem uma galinha”, é do ministro Gilmar Mendes.

      Caro Vinicius, os dois proferiram a frase. Abraço. Naomi

    5. sérgio vasconcelos

      O receio do povo é que depois de todo este estardalhaço com estas prisões e os envolvidos devolvidos aos seus nichos com suas delações premiadas, a pergunta que fica é a seguinte: e a bufunfa..o money,,,o larjan dos cofres públicos que esta gentalha surrupiou? Quando voltará ao seu legítimo dono, o povo brasileiro? Creio que no dia de São Nunca.

    6. Avelino

      Nos 13 anos de desgoverno do PT, o Brasil era tal qual a Ilha da Fantasia. Tudo era bonito, tudo era maravilhoso. Todas as ações de governo que deveriam ter sido tomadas foram adiadas. Agora não dá mais para adiar. A conta está a bater na porta de todos. Marketing ajuda para melhorar a auto estima, mas não dá emprego, não gera renda. Marketing é apenas mais uma despesa do governo. Este governo está terminando. Felizmente…

    7. Resistência

      Há 13 anos esse governo nada faz contra a inflação, nunca foi prioridade, pelo contrário, incentivou a gastança para meter a mão grande no nosso bolso. Menos dinheiro para a quadrilha e menos inflação: compra 0 (zero) em 2016, enquanto essa máfia mandar por aqui. Carro novo? Só quando chegar um elétrico decente. Chega de Petrossauro. Como matar os ratos de fome? vão comer-se uns aos outros.

    8. Geraldo Pereira

      É desanimador ver tanta gastança e o pobre cidadão honesto, que recolhe seus tributos em dia, não ter nada de bons serviços públicos em troca. A saúde está uns caos total. Haja vista o que ocorre no Rio, de um governo incompetente e sem nenhuma noção de Administração Pública.
      A Segurança, também no Rio de Janeiro, é um descalabro. Você é assaltado à luz do dia, em pleno centro da cidade. Imagino como será a segurança das famigeradas Olimpíadas, fruto da megalomania do Sr. Brahma da Silva. Para isso não fata verba mesmo.
      Esse desgoverno PTralha, apoiado, em troca de benesses, pelo PMDB, partido que acolhe o que de pior existe na política brasileira: Renan Calheiros, Eduardo Cunha, Jorge Piciani (tão jovem) e já metido nas falcatruas dessa política nojenta e abjeta. Haja paciência!

    9. Francisco Costa

      Tenho me perguntado e o trem bala ou trem fantasma por onde anda,a EPL tem 185 funcionários consomem tudo isso de grana em um ano e Dilma pretende enfiar goela abaixo dos brasileiros a CPMF.

    10. fernando

      O Delfim deveria ter aceitado. Não era o próprio que, pouco tempo atrás, cantava loas ao governo do PT e ao Lula? Não era ele o guru da economia, do governo dos petralhas? Ele é um oportunista infeliz. Perfeito para ministro desse governo.

    11. brasileirinho

      A proposito da indignação do vaticano, de certa parcela da população, de políticos, de certos setores da mídia mundial e, em particular, da obtusa e estúpida esquerdinha brasileira, contra o Charlie Hebdo;
      Em 1940, Charles Chaplin quando fez o visionário filme, O GRANDE DITADOR, satirizando de forma GENIAL e pesada, o ditador nazista alemão, ADENOID HINKEL, sofreu pesadas criticas de setores do governo americano, da imprensa americana e da sociedade americana, do empresariado americano , este último, enchendo as burras de dinheiro, exportando veículos e equipamentos para a Alemanha nazista, antes dos americanos entrarem na guerra.
      Charles Chaplin, depois da carnificina da Segunda Guerra Mundial, provou ao mundo que estava certo!
      Charlie Hebdo não profetiza nada;
      Mostra a CRUEL realidade, sobejamente mostrada, diariamente, através da mídia, escrita, falada e visualizada,
      As críticas que recebe do vaticano e outros, é, simplesmente, HIPÓCRITA!
      ps Desculpe o assunto fora do texto.

    12. vagabundos

      O QUE DIZER MAIS?? lamentavel, o pais acabou!!!

    13. deaC

      Delfim Neto, cotado pra ministro da fazenda? quando vejo aquele ele dando palpite, da vontade de vomitar.

    14. marco

      Esse governo é uma verdadeira VERGONHA.
      VIVA O JUIZ SÉRGIO MORO.
      viva a imprensa DECENTE E HONESTA
      esses parasitas do PT e toda essa corja metidos a esquerdistas de araque precisam sumir do BRASIL.

    15. Felipe Carrasco

      Enquanto Moro e a turma de Curitiba fazem o que é possível para encarcerar os corruptos sem foro privilegiado, o zagueiro Janot e o pizzaolo Teori cozinham em fogo brando as delações de modo a poupar a cúpula dos PTralhas e aliados a exemplo de Renan. Aos adversários de Dilma, a exemplo de Cunha, o rigor da lei. A vinheta da Globo News (chapa branca) carrega em Cunha, o qual é coadjuvante diante de Lula e Dilma. O ano de 2016 somente começará no dia seguinte ao impeachment de Dilma.

    16. Carruagem de Fogo

      Pergunto a quem entenda de doações legais a orgãos da administração pública e possa ser unicamente usada dita doação,somente pela entidade beneficiada,não passando pelo tesouro.Se,caso positivo-,então poderiamos,todos os descentes deste nosso país,ofertar doações em espécie para custear o andamento das operações da PF/Lava-jato.Só assim,o projeto comularápio poderá ser vencido pela decência dos que sonham com uma sociedade Livre.

    17. J.B.CRUZ

      Este ano vai ser de ‘cão’ para os petistas e de alguns agregados..Lula já está sendo ‘convidado’ a prestar declarações; e, com ele frente a SÉRGIO MORO, esperamos que finalmente se encerre estes tempos terríveis de P.T. por quem o PAÍS tem passado..
      VADE RETRO !!!..

    18. Milton Ribeiro

      Só espero que os 54 milhões de cúmplices que votaram neste governo estejam esbanjando felicidades. Com escola para os filhos, assistência médica de qualidade, com bastante emprego, que a violência não bateu à porta de ninguém, que os preços dos produtos estejam ótimos para eles e sem inflação, com aumento nos salários e que eles estejam vivendo em um outro Brasil. Em 2018, que estes 54 milhões sejam o aporte que falta ao Luiz Inácio, para voltar. Conheço diversos países, mas nunca vi um povinho desinformado como no Brasil.

    19. Diogo

      Infelizmente tudo isso vai acabar em pizza,porque é igual quando se prende ou mata um bandido traficante,já tem mais de 10 para substituí-lo e assim acontece também com os bandidos de colarinho branco.
      Lamento dizer isso,mas é a pura verdade.

    20. José Magalhaes

      Os amigos do rei, continuam coroados de verbas, sejam elas publicitárias ou não.

    21. Rose

      Quanto deu, num cálculo rápido, a soma daquelas diarinhas lá em Paris? Dela e de toda equipe (e também se uma amiga íntima oculta foi junto, também deve entrar na conta).

    22. Adilson:-Nagamine53

      2016 despachado.
      Babalorixá deixou os negócios dele no gramado do Congresso.
      Agora vai.

    23. Markito-Pi

      Carlinhos: V. se esqueceu. Na penúltima nota, das diarias dos ladrões, digo, petistas em viagens oficiais: Está inclusa uma parada em Lisboa para a madame comer bacalhau. Chacrinha, um precursor. “Vocês querem bacalhau?”A anta quer. O povo que pague.

    24. rosemary

      Mandamentos de 2016
      “Não mencionarás os nomes de políticos incapazez e de ladrões do dinheiro dos impostos”.
      “Serão divulgadas diariamente as soluções para os problemas do país apresentadas por especialistas do INSPER”.
      “Os números da arrecadação e dos gastos do governo serão publicados diariamente em todas as mídias”.