Blogs e Colunistas

22/02/2011

às 18:27 \ Direto ao Ponto

Para que os brasileiros deixem a Líbia, basta um pedido de Lula ao amigo e irmão Kadafi

Desde domingo, centenas de brasileiros em perigo na Líbia aguardam o pouso do avião fretado pelo Itamaraty. Desde domingo, o chanceler Antonio Patriota espera sentado a autorização do governo local para o pouso em algum aeroporto. Desde domingo, Lula faz de conta que conhece só de vista o homem que há 42 anos manda e desmanda no país. O que espera Patriota para interromper a amnésia malandra e recordar ao ex-presidente os tempos em que entrava sem bater na tenda beduína onde Muammar Kadafi conversa, descansa e dorme escoltado pela guarda pessoal só de mulheres?

Há pouco mais de um ano e meio, na reunião da União Africana realizada em Sirte, na Líbia, Lula e Kadafi andaram protagonizando cenas que, infiltradas em qualquer dramalhão de cinema, fariam a plateia inteira chorar lágrimas de esguicho.  “Meu amigo, meu irmão e líder”, derramou-se o convidado de honra, olhos nos olhos com o anfitrião, na abertura da discurseira. Kadafi pareceu especialmente comovido, naquele 1º de julho de 2009, ao ouvir o parceiro responsabilizar os países industrializados pelo “caráter perverso da ordem internacional”.

Em seguida, o orador acusou a imprensa em geral e os jornalistas brasileiros em particular de tratar com “preconceito premeditado” as relações amistosas entre os governos latino-americanos e as ditaduras da região. Só gente preconceituosa poderia fingir que não vê “a persistência e a visão de ganhos cumulativos que norteia os líderes africanos”, todos muito conscientes de que  “consolidar a democracia é um processo evolutivo”. Kadafi ficou tão animado com o palavrório que no encontro seguinte, promovido na Venezuela, propôs uma aliança militar, “nos moldes da OTAN”, entre os liberticidas africanos e os companheiros cucarachas.

No momento, o terrorista vocacional não tem tempo para pensar nessas grandezas: está inteiramente absorvido pela guerra de extermínio movida contra o povo líbio. Mas atenderá imediatamente ao telefone se souber que é Lula quem está do outro lado da linha. E, se ouvir o pedido, não se negará a suspender por algumas horas o bombardeio aéreo da população civil para permitir que o avião do Itamaraty recolha os brasileiros. Ninguém recusa o que pede um amigo e irmão. (Se recusar, o Brasil colherá mais uma prova de que a política externa da cafajestagem, parida pelo que Ricardo Setti batizou de “lulalato”, serviu apenas para envergonhar o país governado por um megalomaníaco).

Além de acionar o ex-presidente, Antonio Patriota deve reforçar urgentemente o esquema de segurança da embaixada na Líbia. Assustado com a força da insurreição popular, Kadafi tem consultado o companheiro Hugo Chavez sobre planos de fuga e refúgios seguros. O último a tratar desses assuntos com o imaginoso venezuelano foi o hondurenho Manuel Zelaya. Os dois decidiram que um bom esconderijo seria a embaixada brasileira em Tegucigalpa. Kadafi avisou nesta terça-feira que prefere morrer a deixar o país. Se Patriota não abrir o olho, o bolívar-de-hospício e o ditador acuado tentarão abrir em Tripoli mais uma Pensão do Lula.

Share

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado

145 Comentários

  • Valentina de Botas

    -

    23/1/2012 às 18:56

    Oi, Augusto!
    Por suas belas linhas, Augusto, o leitor é guiado invariavelmente ao encontro de ideias claras, expostas de modo límpido, em linguagem cristalina. A objetividade, a honestidade e a coragem com que você expõe suas opiniões, além de um appeal todo próprio do seu estilo, distiguem já uma marca, uma grife. Muito valiosa, ou antes, muito preciosa. Ela mesma um valor. Não falo de dinheiro, mas de algo sem preço, por isso ainda mais valioso. Falo do jornalista que não se fraciona entre o profissional e o homem – o primeiro não escamoteia o segundo e este só melhora aquele. Inteireza de caráter. Que não se abriga no esmerado tratamento que a língua tem nos seus textos, pois há verdadeiros crápulas que escrevem muito bem. Ela se oferece na marca, na grife como um todo, daí esta ser um valor. Valores não têm preço. A origem das críticas ao seu trabalho só o enobrece; o respeito e a admiração de quem o conhece também. Dito isso, pergunto: como alguém, conforme li entre os comentários, pode se opor à defesa que você faz dos brasileiros vulneráveis naquela Líbia de quase um ano atrás? Como alguém pode apoiar o abjeto comportamento de Lula? Não pode e, por isso, os milicianos o fazem selvagemente. Ninguém sensato espera bom senso dos seguidores da seita, um velho desconhecido deles. Não surpreendem, mas não deixa de ser chocante a confirmação da expectativa: sem argumentos, desviam o assunto para o ‘seu problema com Lula’, de ordem psicológica. Ora, seu problema com Lula é o mesmo dos demais brasileiros apreciadores da decência: a falta desta no protocaudilho. Kadafi está morto, não vi nem quero ver os vídeos da brutalização do ditador. Minha torcida pelo povo líbio, minha repulsa ao sórdido irmão e líder de Lula, minha ojeriza a ditaduras e a tal amizade não são suficientes para condescender com linchamentos. Isso é somente a aplicação brutal da cruel lei de Talião. O processo complexo e incerto que o país terá de cumprir seria aplainado com o julgamento do ditador, que lhe mostraria aspectos da civilização desprezados por ele e que a própria Líbia parece desconhecer, além de sinalizar para a população que os ciclos de violência terminaram. Significaria subir degraus na escala civilizatória. O vil espetáculo de sua morte chancelou seus torpes métodos. Rebeldes? Rebeldes foram Martin Luther King, Elvis Presley, os zelotes de Massada, Ulisses Guimarães, até Hebe Camargo foi uma rebelde. A turba assassina é apenas a replicação de kadafis. Não é difícil escolher entre defender a civilização, nutrindo a esperança de que suas luzes alcancem lugares primitivos do mundo, o que a Coluna inspira, e agir como os milicianos liderados por Lula que, julgando-se superiores a tudo, abraçam qualquer assassino primitivo inimigo de seus inimigos: prefiro a lucidez otimista e a riqueza sem preço de um caráter íntegro, fico com a grife AN. Um beijo, Valentina.

    Um beijo, Valentina.

  • Osvaldinho

    -

    28/2/2011 às 0:07

    Na hora de deixar o Brasil para ganhar dinheiro no país dos outros, muitos deles formados por universidades publicas, pagas com o dinheiro de imposto e taxas deste povo que passa fome e a maioria não tem seguer o ensino básico, vão todos muito bem e quando tem oportunidade de serem entrevistados por tv brasileira, “tiram onda” dizendo: “Aqui não tem a violência e insegurança que existe no Brasil”, “Meu sálario de tantos mil dólares no brasil nao seria nem 15% disso”, “Aqui o povo tem cultura, instrução e educação, não é como o Brasil onde o povo é ignorante e só pensa em
    futebol e carnaval”. São essa pérolas que ouvimos sempre, mas quando tudo vira merda lembram que tem para onde voltar e as autoridades brasileiras tem que se virar para tirar as “belezinhas” destes “paraísos” e o pior a viagem de volta paga pelas
    embaixadas, ou seja, com o dinheiro dos “sem cultura”, “sem educação” e se demora para retira-los do país em comflito acham que tem direito a reclamar. É, “brasileiro ser muito bonzinho”

  • VAL F. ARALDI BASTOS

    -

    27/2/2011 às 3:08

    Cheguei a uma conclusão,quem viver,verá.O poste ainda vai arrumar um ministério para que o molusco fique com o avião presidencial.Não vejo outra explicação perante a insistência em comprar outro para a “sra presidenta” com + “autonomia” de vôo,balela.É dinheiro sobrando enquanto brasileiros morrem de fome.

  • Almirante Kirk

    -

    27/2/2011 às 1:55

    Vendo a foto,sugiro uma enquete:qual das três múmias,presentes na foto,é a mais horrorosa?!

  • Almirante Kirk

    -

    27/2/2011 às 1:45

    PERGUNTO AO bocó esquerdopata(pleonasmo) “Ricardo”
    - 24/02/2011 às 18:53:
    Esqueceu ou nunca leu ou ouviu falar sobre a Guerra Fria???!!!
    Tente novamente,agora sob o contexto acima referido – caso tiver capacidade intelectual e cultural para tanto,é claro,o que duvido…

  • Almirante Kirk

    -

    27/2/2011 às 1:37

    Que foto!!!
    Que gente mais feia,rsrsrs
    Feios,sujos,asquerosos,nojentos etc.!!!
    Dêem-me licença,por favor – vou vomitar…

  • duduvieira

    -

    26/2/2011 às 14:48

    …Meu prezado AN;
    ..Amei essa foto, demais. Será que essa foto é do dia em que Kadaf convidou o ex- Pres. Lulalá, para ir sozinho na sua Tenda? Porque não convidou o Companheiro Evo tambem ? Talvez Lulalá iria!!

  • JORGE ELIAS

    -

    25/2/2011 às 22:27

    A oposição deveria fazer um ‘out door’desta foto e fixa-lo nas cidades mais populosas do pais,em locais de gande movimento.

  • 100destino

    -

    25/2/2011 às 7:05

    ‘É impresionante como sertas pesoas dão azar na vida de outras , o desgraçado do Kadaf tava a 40 anos no poder e ai veio o Lula dizer que ele era seu amigo e irmão . pronto , bastou pro povo encher ele de po=rra=da .
    se o Kadaf encontrar ele mas uma vez vai dar me……. heheheh

  • vania.alves

    -

    24/2/2011 às 21:48

    Quando vc diz ” até que enfim apareceu alguém da cambada”, me faz perder a vontade de postar qualquer comentário…………………………………………………………………

    Então, não comente. Nem encerre o comentário com a conversa fiada de sempre: “Não sou petista”. É o quê?

  • Ricardo

    -

    24/2/2011 às 18:53

    porque nao faz satira com os EUA, Pais que sustentou e sustenta a DITADURA nestes paises? Lula pode ter amizade com quem quiser, mas isto nao significa que compactue com a DITADURA…

    Até que enfim apareceu alguém da cambada. O silêncio estava ficando estridente.

  • ana soriano

    -

    24/2/2011 às 18:36

    Os lulamaníacos do Congresso e Senado devem ter razões inconfessáveis para idolatrarem tanto um
    presidente que só denegriu a imagem destepaiz.
    Esse nosso ex-presidente só pode ter complexo de inferioridade para bajular tantos ditadores.
    Ou é o que ele queria para si: ter o poder de exterminar os adversários como tem esse Kadafi, que é um dos homens mais ridículos que vi em toda minha vida.

  • Siará Grande

    -

    24/2/2011 às 17:05

    A foto devia ficar na área permanente de seu blog de forma permanente, para ficar o registro histórico dos cumpanhêros.

  • jorge

    -

    24/2/2011 às 16:17

    Augusto,ate q ponto os radicais religiosos e a Al Qaeda estariam por tras disso. O movimento e mesmo democratico ou corremos o risco de novas Teocracias??

  • SIMONE SOARES

    -

    24/2/2011 às 13:39

    que maravilha, só falta o fidel, o chaves e mais alguns serial killers…

  • Francisco Dias

    -

    24/2/2011 às 13:19

    Quanto tempo ainda vamos ter que esperar, para termos o prazer de ver nosso povo (não polvo) acordar desta
    letargia e começar a cobrar (mas cobrar mesmo), resultados positivos e trabalho dos nossos tão esforçados políticos. Que não seja uma eternidade!!!

  • Batista

    -

    24/2/2011 às 13:13

    A História fará justiça.

  • Jeremias-no-deserto

    -

    24/2/2011 às 11:56

    Já fiz meu comentário a esse excelente texto do Augusto, mas não resisto à tentação de fazer uma outra observação pertinente à foto que ilustra a matéria, pois ela é muito expressiva e traduz de forma cabal o que se passa na cabeça dessa chusma islamobolivariana. Notem a expressão quase orgástica de Lula ao apertar a mão do já caquético Muamar, que parece estar babando ao responder aos afagos lulanianos. Ao fundo,como um torcedor de arquibancada que não pagou ingresso, um Evo com cara de tocador de flauta de bambu peruana na Praça da República, assiste a tudo de forma embevecida. É um quadro antológico que vai perseguir o molusco até o fim de seus dias. Bem feito.

  • darcy antonio moura

    -

    24/2/2011 às 11:11

    ditadores amigos dos estados unidos e de obama.mubarak.são todos santos,mas se for amigo do lula é demõnio

  • pericles

    -

    24/2/2011 às 11:02

    As coisas são assim mesmo. Quando é para aparecer fazendo política antiamericana, o ex estava sempre pronto. Agora, quando o ambiente fica pesado e trabalhadores brasileiros precisam de sua ajuda o presidente de honra (que honra, hein?) do Partido dos trabalhadores envia o rabo entre as pernas e toma chá de sumiço!

  • arilson sartorato

    -

    24/2/2011 às 10:29

    O LULA SÓ NÃO DEU A MÃO PARA LUCIFER,POIS ESTE NÃO APARECEU, E ESTÁ AGURDANDO O MOLUSCO EM SUA MORADA PARA RECEBE-LO DE ABRAÇOS ABERTOS,COM DIREITO A PALANQUE.

  • arilson sartorato

    -

    24/2/2011 às 10:23

    FALTOU O HUGO CHAVEZ ,AMABINIDEJAD E O FIDEL NESTA FOTO,PARA COMPLETAR A IRMANDADE E A CONFRARIA CRIADA PELO APRENDIZ DE CAUDILHO, QUE ATENDE PELA ALCUNHA DE LULA.

  • REVOLUÇÕES e REVOLTAS

    -

    24/2/2011 às 8:48

    Percebam o poder que o povo tem. Os políticos brasileiros que abram o olho. As sacanagens que praticam e divulgadas diariamente, em nada diferenciam destes ditadores que estão caindo e outros que logo despencarão de seus tronos. O efeito dominó chegou e vai atingir muita gente nesta tão maltrata américa do sul.
    Quando se está revoltado, e o poder não dá a devida atenção aos lamentos, só indo para as ruas. Este sempre será o melhor argumento para se restabelecer a ordem.

  • TÕ VENDO TUDO !

    -

    24/2/2011 às 8:23

    Zé Ramalho > A Terceira Lâmina
    A Terceira Lâmina
    Zé Ramalho
    Composição: Zé Ramalho
    É aquela que fere
    Que virá mais tranqüila
    Com a fome do povo
    Com pedaços da vida
    Como a dura semente
    Que se prende no fogo
    De toda multidão
    Acho bem mais
    Do que pedras na mão…

    Dos que vivem calados
    Pendurados no tempo
    Esquecendo os momentos
    Na fundura do poço
    Na garganta do fosso
    Na voz de um cantador…

    E virá como guerra
    A terceira mensagem
    Na cabeça do homem
    Aflição e coragem
    Afastado da terra
    Ele pensa na fera
    Que o começa a devorar…

    Acho que os anos
    Irão se passar
    Com aquela certeza
    Que teremos no olho
    Novamente a idéia
    De sairmos do poço
    Da garganta do fosso
    Na voz de um cantador…

    E virá como guerra
    A terceira mensagem
    Na cabeça do homem
    Aflição e coragem
    Afastado da terra
    Ele pensa na fera
    Que o começa a devorar…

    Acho que os anos
    Irão se passar
    Com aquela certeza
    Que teremos no olho
    Novamente a idéia
    De sairmos do poço
    Da garganta do fosso
    Na voz de um cantador…

    Heiá! Oh! Oh!
    Heiá! Oooooooh!
    Oh! Oh! Oh! Oh!

  • Viernes

    -

    24/2/2011 às 0:54

    Um pôvo cego que já era, ignorantizado em termos expressos por um governo populista e deixado por uma oposição fraca.
    É, o Brasil não é um pais sério… Quem lê esta matéria, infelizmente, não é quem os coloca no poder. Não precisa ir ao oriente médio pra ver o desmando, basta ver que mais de 700 pessoas acabam de MORRER no Rio, irmãos Brasileiros, e está tudo bem, o que importa é que o Ronaldo tem hipotireoidismo… Por menos, num pais sério, um governador cairia…

    Abraço muito triste a todos

  • ROBERTO MIRANDA

    -

    23/2/2011 às 23:41

    Do jeito que pensam os estadistas desse governo, logo, logo, Kadafi virá fazer companhia à Battisti.

  • fatima

    -

    23/2/2011 às 23:00

    O Lulla deveria levar o amigo Kadafi para o apê dele em São Bernardo. Aí seriam dois desocupados, cínicos megalômanos, rindo da tragédia do povo, enquanto secam mais uma garrafa.

  • jose

    -

    23/2/2011 às 22:55

    Os amiguinhos ditadores do lulla estão na berlinda TE-PREPARA BURRO CHAVEZ a tua hora tá chegando!!! Quando essa revolta do mundo Árabe vai chegar na America Latina? ou até mesmo em Brasilia? Acorda Brasil!

  • juarez

    -

    23/2/2011 às 21:34

    O salário é muito bom, milicianojuarez.

  • maria mariana

    -

    23/2/2011 às 21:08

    Augusto Nunes:
    Vendo essa foto parece que lula e kadafi estão cantando: “você meu amigo de fé meu irmão camarada”
    Chega a ser nojento a intimidade do ex presidente com os ditadores assassinos e sanguinários, mas todos eles terão o que merecem.

  • Blumenau

    -

    23/2/2011 às 20:23

    Augusto.
    Que foto!Como estes assassinos se atraem…
    Será que junto com os brasileiros virá aquela Drag Queen de óculos Ray-Ban,suja de sangue.Quem sabe o tirano da hora seja convidado pra ficar no apto do lulla em São Paulo.Os ptistas vão bater palmas,e quem sabe até ter um orgasmo.

  • Carlos Mendes

    -

    23/2/2011 às 20:22

    O sr. f tavares, na resistência, que fez postagem às 18:13, não entendeu o objetivo da minha postagem, que foi dar amplo conhecimento do episódio em que o jornalista Lúcio Flávio Pinto está sob mordaça de juiz federal. O texto jornalístico por mim assinado estará na edição de amanhã no “Estadão”. Bem reduzido, por sinal, e enxuto. A Agência Estado, a estas horas, já deve ter distribuído, como é de praxe.

  • Juarez Nogueira

    -

    23/2/2011 às 19:34

    Augusto, caríssimo
    O sintoma é mais grave que megalomania.
    Lula já se comparou a Jesus Cristo.
    A Síndrome de Jerusalém é um transtorno mental, quando a pessoa acredita ser um personagem bíblico.
    A doença foi identificada em 1982 pelo Dr.Yair Bar-El, direitor do hospital psiquiátrico de Jerusalém, onde foram tratados o rei David, Sansão, Jesus e a Virgem Maria.
    O termo altamente evocativo poderia ser usado para descrever qualquer pessoa que acredite ser o salvador – de uma empresa, por exemplo, de uma equipe esportiva, de qualquer organização ou instituição.
    De um país.
    Já conhecemos essa aplicação do termo.
    E o que acontece quando a Síndrome de Jerusalém é agravada por uma sociopatia.
    O sociopata parece um tipo afável, carismático, mas é egocêntrico, despreza as leis, as regras e as obrigações, não tolera frustrações.
    É previsível o que em geral acontece quando a veneração acaba.
    (www.juareznogueira.blogspot.com)

  • Sergio G

    -

    23/2/2011 às 19:06

    Reparou que os milicianos comentam no horário comercial, à tarde?
    Devem usar a conexão da repartição pública…

    Muito bem lembrado, caro Sergio. abração

  • LUCIA

    -

    23/2/2011 às 18:37

    brasileiros!!!! prestem ATENÇAO aos protestos pelo mundo. pensem no nosso pais. ta precisando seguir alguns exemplos. banir estes politicos vagabundos que estao nos escravisando ao bel prazer deles!!!!!!!!!!!que tal?

  • f tavares, na resistência

    -

    23/2/2011 às 18:32

    leonardo X, na resistência,10:00h,
    - claro que todos podem concluir, mesmo os que não são do ramo, que contratos de obras são regiamente pagos a quem os agencia, mesmo quando dentro do país. daí a permanente disputa (êpa!) por verbas, emendas ao orçamento, tudo “carimbado” com os nomes dos beneficiários, empreiteiros, construtores, indústria pesada… claro, também, que os contratos internacionais são ainda mais generosos, porque são pagos em moeda de circulação mundial, geralmente através de depósitos efetuados diretamente nas contas internacionais dos interessados. tem sido assim desde sempre, sendo que hoje, a canalha petista, liderada pelo especialista em falcatruas zédirceu, inventou a obra feita com dinheiro de um país e gerenciada pelo outro, como a refinaria de pernambuco, a ampliação de itaipu, as instalações industriais da petrobras por toda a américa latina e até na áfrica… o tribunal de contas não pode controlar a aplicação dos recursos, porque são administrados pelo parceiro internacional. e, quando o dinheiro é de fora, também o equivalente ao tcu de lá não pode intrometer-se no gerenciamento brasileiro. é a própria mina do ali babá, só que eterna… o mercado financeiro é sensível, rápido e ágil para colocar no devido lugar, as ações dessas empresas sob risco iminente de prejuizos incalculáveis… se cairem, nunca mais se reaprumam, como aconteceu com a mendes junior. alah akbar!

  • catson aruak

    -

    23/2/2011 às 18:28

    Assunto de vigarista é assim: fala o que quer, porque não vai cumprir nada mesmo. Quanto mais empolado fala, mais mentira arrota.

  • veiaco

    -

    23/2/2011 às 18:15

    Estão alugando um navio na Itália pra trazer os brasileiros, mas a suite presidencial é do Kadafi que vem ver as terras que comprou por aqui.

  • f tavares, na resistência

    -

    23/2/2011 às 18:13

    carlos mendes, 14:23h,
    - para ser considerado verídico, o epísódio pode ser apenas relatado pelo senhor, que todos acreditamos em sua versão. mas por favor, publicar um processo inteiro, com datas, despachos, decisões, providências administrativas, não contribui para a autenticidade ou para a divulgação do fato: nenhum leitor se dará ao trabalho de ler um texto desse tamanho, nem se for assinado pelo titular da coluna…

  • Francisco Rocha

    -

    23/2/2011 às 17:23

    Essa foto é um nojo!
    Ela retrata fielmente a estupidez desse Lula, ao cumprimentar de forma íntima (esse jeito presunçoso e asqueroso lula de ser…), um dos maiores sanguinários da humanidade, que em teor de maldades se iguala a Pol Pot e a Idi Amin Dada.
    Uma estupidez admirada por outro imbecil ao fundo.
    Mas a foto tem uma utilidade:
    Mais alguns dias, as custas de outras centenas de assassinatos, deve ser apeado do poder esse bandido mundial, expondo toda a carneficina promovida por ele ao longo dos último 42 anos de ditadura na Líbia. Daí poderemos esfregar na cara da petralhada quem eram os ‘amores’ do nécio enquanto presidente.

  • Antipete

    -

    23/2/2011 às 17:22

    Que vergonha esse Lula ter contacto com um terrorista!!! Eu nao sei qdo essa nacao ira acordar!! Esse PT fez uma lavagem cerebral nessa nacao, nao eh possivel isso!!! E agora temos uma desgovernando uma potencia como o nosso Brasil!!! No momento tenho vergonha de ser Brasileiro minhas senhoras e senhores. Nao aguento mais!!!!

  • Enio

    -

    23/2/2011 às 17:17

    Essa marvada dor de cotovelo que não passa!

    Você tem razão.O Lula precisa desencarnar.

  • sisi

    -

    23/2/2011 às 16:52

    ECA……mais nada.

  • Francisco

    -

    23/2/2011 às 16:47

    Augusto Nunes: Você conhece o jornalista Sebastão Nery?

    Conheço bem.

  • Vanderlei

    -

    23/2/2011 às 16:32

    Essa é a troupe dos famigerados picaretas que continuam atacando os ididotas, incautos e analfabetos. Essa foto reflete a falta de vergonha desse energúmeno, cachaceiro, líder do Mensalão e vagabundo moral.

  • Eduardo Oliveira

    -

    23/2/2011 às 16:12

    Como eu acho engraçado pessoas perceberem por fotos a intimidade…rsrs

    A foto ilustra a declaração de amor, milicianeduardo: “Meu amigo, meu irmão e líder”…

  • Eduardo Oliveira

    -

    23/2/2011 às 16:09

    Caro Augusto, quero deixar claro que para brasileiro ser agredido por oficiais não precisa sair do país, basta comparecer em uma manifestação contra o aumento da tarifa dos ônibus que com certeza receberá toques de “Líbia”! Absurdas as cenas de manifestantes e vereadores de SP sendo agredidos por nossas polícias!
    Qual a sua posição prticular em relação ao assunto?
    Obrigado!

  • Antônio Mário

    -

    23/2/2011 às 15:28

    Já que vc censurou meu comentário, deixando apenas a primeira frase, acho que vc deve procurar um analista sim, pode até ser o do Lula, por que não?
    …aquela história da largatixa…

    E você precisa procurar urgentemente um cursinho intensivo de português, milicianantoniomario. “Largatixa” é dose.

  • Sofia Maria

    -

    23/2/2011 às 14:28

    Esta foto mostra claramente não um encontro de presidentes(sic)que eventualmente poderia acontecer mas sim de grandes amigos,dada a intimidade demonstrada na mesma.Ou alguém pode dizer o contrário?E mais o cocaleiro ao fundo!
    Bom,então cabe uma pergunta:cadê o cachaceiro,sempre lépido e fagueiro,palpitante juramentado,por onde andará?Não comentou nada ainda sobre o amigo Kadafi.

  • Carlos Mendes

    -

    23/2/2011 às 14:23

    Veja aí, meu caro Augusto Nunes, a quantas anda a censura por estas plagas amazônicas.

    CASO SUDAM: JUIZ FEDERAL CENSURA JORNALISTA

    Despacho datado de 22 de fevereiro do juiz Antônio Carlos Almeida Campelo, titular da 4ª Vara Cível Federal do Pará, nos autos do processo 2008.8903-9, no qual os irmãos Romulo Maiorana Júnior e Ronaldo Maiorana, principais executivos do grupo Liberal de comunicação, além de outros dirigentes da corporação, são processados, a partir de denúncia feita em 2008 pelo Ministério Público Federal, por crime contra o sistema financeiro nacional, através do uso de fraude, para a obtenção de recursos dos incentivos fiscais da Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia), que somaram 3,3 milhões de reais até 1999:
    “Tendo em vista a notícia publicada no Jornal Pessoal (Fevereiro de 2011, 1ª Quinzena, pág. 5) e a decisão de fls. 1961 dos autos, na qual decretou o sigilo do procedimento deste feito, oficie-se ao editor do referido jornal com a informação de que o processo corre sob sigilo e qualquer notícia publicada a esse respeito ensejará a prisão em flagrante, responsabilidade criminal por quebra de sigilo de processo e multa que estipulo, desde já, em R$ 200,00 (duzentos mil reais) [o erro é do texto original].
    O ofício deve ser entregue em mãos com cópia deste despacho.
    Intimem-se. Vista ao MPF”.
    No mesmo dia o Diretor de Secretaria da 4ª Vara, Gilson Pereira Costa, encaminhou o ofício, recebido no dia seguinte, 23, pelo jornalista Lúcio Flávio Pinto, que de pronto deu ciência sobre a determinação perante o oficial de justiça. Como não podia deixar de ser, o jornalista acatou a decisão do magistrado, mas dela pretende recorrer, na forma legal, em defesa do direito (que a liberdade de imprensa lhe confere) de continuar a prestar informações sobre tema de relevante interesse público, como é o caso em questão. Trata-se de denúncia feita pelo fiscal da lei, que é o MPDF, de fraude e malversação de recursos oriundos de renúncia fiscal da União Federal em proveito de projetos econômicos aprovados pela Sudam. Ressalte-se que a liberdade de informação possui tutela constitucional e os julgados dos tribunais superiores têm se orientado no sentido de que o sigilo não se aplica quando incide sobre questão de alto interesse público.
    A matéria publicada na última edição do Jornal Pessoal, da 1ª quinzena de fevereiro, que motivou a liberação do Juiz da 4ª Vara Cível da Justiça Federal é a seguinte:
    Ronaldo confessa.
    “Rominho” viaja
    Pela terceira vez seguida o empresário Romulo Maiorana Júnior faltou a uma audiência do processo a que responde por crimes contra o sistema financeiro nacional, perante a 4ª vara cível da justiça federal, em Belém. As duas primeiras audiências de instrução foram adiadas a pedido dele, por se encontrar ausente de Belém. No dia 1º, data marcada com quase cinco meses de antecedência para ouvi-lo, o principal executivo do grupo Liberal estava em Miami, nos Estados Unidos, onde tem residência, adquirida recentemente. Só voltou a Belém na madrugada do dia 6, depois de quase um mês em férias.
    Seu irmão, Ronaldo Maiorana, diretor editor-corporativo do principal jornal do grupo de comunicação, foi à audiência, junto com Fernando Nascimento, diretor da TV Liberal, e João Pojucam de Moraes, diretor industrial de O Liberal. Todos estão indiciados no mesmo processo por crime previsto no artigo 19 da lei 7.492, de 1986 (mais conhecida como lei do “colarinho branco”): “Obter, mediante fraude, financiamento em instituição financeira”.
    A pena prevista é de reclusão, por 2 a 6 anos, e multa. A pena poderá ser aumentada de um terço “se o crime é cometido em detrimento de instituição financeira oficial ou por ela credenciada para o repasse de financiamento”, como é o caso. O que significa que a pena máxima irá a oito anos de reclusão
    Condenado por me agredir fisicamente, em 2005, Ronaldo Maiorana só voltou a ser réu primário no ano passado, quando decorreu o prazo de cinco anos de suspensão da execução da sentença, por acordo que fez com o Ministério Público do Estado, substituindo a aplicação da pena pela doação de cestas básicas a instituições de caridade.
    Ronaldo confirmou a denúncia feita pelo Ministério Público Federal, de que ele e o irmão mais famoso fraudaram o capital próprio da Tropical Indústria Alimentícia (nome original da atual Fly, que já foi Bis) para receber dinheiro dos incentivos fiscais da Sudam, o mesmo crime que atribuem ao ex-deputado federal Jader Barbalho, por ter indicado dirigentes da Sudam acusados de desvio de dinheiro público, do qual tirou proveito.
    Com o dinheiro público, os Maioranas implantaram uma fábrica de sucos regionais (que se transformou em refrigerantes artificiais do tipo pet) no distrito industrial de Icoaraci. A Sudam liberou 3,3 milhões até 1999, quando começou a investigação da fraude. O processo já dura mais de uma década.
    A fraude era simples: os dois irmãos sócios depositavam um valor referente à contrapartida de recursos próprios num dia e o sacavam no dia seguinte, quando a Sudam autorizava a liberação, pelo Banco da Amazônia, da colaboração financeira da União, através de renúncia fiscal. Ronaldo se defendeu alegando que não sabia que essa é uma conduta ilícita. Sua defesa argumentou que, uma vez descoberta a fraude, o dinheiro da Sudam foi devolvido e o projeto implantado a partir daí apenas com recursos próprios.
    A ressalva, porém, não atenua a confissão de culpa: a doutrina e a jurisprudência dos tribunais brasileiros são pacíficas, ao caracterizar esse tipo de procedimento como delito formal. Para que ele se consume, basta que seja utilizado um meio fraudulento para acessar recursos públicos, independentemente de haver ressarcimento posterior. A correção do ilícito não elide a culpa. Logo, Ronaldo Maiorana é réu confesso desse crime. O empresário chegou a chorar ao ser questionado pelo representante do MPF no interrogatório.
    Esse foi o momento de maior pressão sobre ele. As perguntas feitas pelo juiz Antônio Carlos de Almeida Campelo foram genéricas e não se relacionavam diretamente com os fatos imputados. Ele se interessou por questões como saber quantos empregos o empreendimento gera e se o réu possui outras empresas.
    O tom da audiência foi tão cordial que no início da sessão o magistrado perguntou ao réu se poderia chamá-lo de doutor. Ao final, se levantou para cumprimentá-lo e aos seus advogados. Essa afabilidade contrastou com os termos do despacho do juiz em 23 de setembro do ano passado, quando, designando nova data para a audiência, ele escreveu que a instrução do processo “vem sendo postergada por razões diversas. A pedido dos réus”.
    O retardamento tem um objetivo claro: protelar o andamento do processo, recebido pelo juiz em agosto de 2008, a partir de denúncia do Ministério Público Federal, depois de oito anos de apuração, para que o crime prescreva e seus autores permaneçam impunes. É o que a justiça precisa evitar que aconteça. Este é o seu papel, não o contrário.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados