Blogs e Colunistas

23/07/2014

às 21:14 \ Direto ao Ponto

1 minuto com Augusto Nunes: Aécio não deveria limitar-se a mostrar que nada fez de errado. Que tal desafiar Lula a contar o que sabe sobre as pilantragens de Rose Noronha e o enriquecimento meteórico de Lulinha?

Diante das provocações de Lula, ressalva o comentário de 1 minuto para o site de VEJA, Aécio Neves não deveria limitar-se a deixar claro que nada houve de irregular na construção de um pequeno aeroporto na cidade mineira de Cláudio. Já que o ex-presidente descobriu que todas as denúncias e suspeitas precisam ser esclarecidas, o senador do PSDB poderia convidá-lo a contar o que sabe sobre pelo menos duas histórias muito mal contadas: as aventuras de Rose Noronha e o enriquecimento do filho Lulinha.

O que Lula tem a dizer sobre as patifarias da amiga especialmente íntima que transformou em  subsede de quadrilha o escritório paulista da Presidência da República? Por que segue escondendo da Polícia Federal, do Ministério Público e da Justiça informações que poderiam apressar o completo esclarecimento do caso? Por que o Instituto Lula banca as despesas de Rose e os honorários da tropa de advogados contratados para defendê-la?

Só o chefe e parceiro de Rose conhece os detalhes desse enredo. Da mesma forma, só o pai de Fábio Luiz Lula da Silva, o Lulinha, pode desfazer algumas dúvidas que intrigam faz tempo milhões de brasileiros: se continuasse filho de metalúrgico, o jovem monitor de zoológico teria conseguido virar empresário e pecuarista em menos de cinco anos? Teria sido contemplado com a carteira de sócio do clube dos milionários se não apresentasse na portaria a carteira de identidade?

Um vídeo de 58 segundos não comporta mais que dois exemplos pinçados num acervo de dimensões amazônicas. O timaço de comentaristas tratará de ampliar a lista, que os candidatos da oposição devem transformar em instrumento de combate. Dilma avisou que em ano eleitoral costuma fazer o diabo. Lula e seus devotos acreditam que, numa disputa pelo poder, o único crime é perder. Aécio já mostrou que sabe disso. Precisa agora deixar claro que não teme o bando de incapazes capazes de tudo.

Não se pode confundir elegância com tibieza. Acaba no chão quem dança minueto com gente que só se move ao som de um forró. Se Lula não for obrigado a renunciar ao papel de campeão da moralidade, qualquer pedófilo terá o direito de candidatar-se a diretor de orfanato.

23/07/2014

às 19:57 \ Opinião

‘A própria Folha, que ‘descobriu’ a pista de pouso construída em terras da família de Aécio, traz explicações perfeitamente razoáveis sobre o caso’, por Ricardo Setti

Publicado na Coluna do Ricardo Setti

Pista de pouso (Foto: Alex de Jesus/Futura Press)

Pista de pouso construída na fazenda de um irmão da avó materna de Aécio Neves (Foto: Alex de Jesus/Futura Press)

RICARDO SETTI

Para o jornal Folha de S. Paulo, assuntos importantes de verdade não são o perigo de uma guerra de vastas proporções devido às mãos sujas de sangue do presidente russo Vladimir Putin no caso do avião civil da Malásia abatido por rebeldes nacionalistas ucranianos que têm seu apoio, nem o sangrento conflito entre Israel e palestinos, nem sequer a controvertida volta de Dunga ao comando da Seleção.

O assunto mais importante do planeta é, uma vez mais para o jornal, algo que a Folha “descobriu”: a pista de pouso de mil metros de comprimento — que o jornal insiste em chamar de “aeroporto”, quando basta ver foto do local para constatar do que efetivamente se trata — construída pelo governo de Minas, no segundo mandato do governador Aécio Neves (PSDB), na cidade de Cláudio, via desapropriação de terrenos que pertenciam a um irmão da avó materna do hoje presidenciável.

» Clique para continuar lendo

23/07/2014

às 16:45 \ Direto ao Ponto

Celso Arnaldo resume a entrevista de Dunga: ‘Agora temos um técnico padrão Dilma’

Todo recado do jornalista Celso Arnaldo Araújo, sejam quais forem o tema e o tamanho, é leitura obrigatória. Transcrevo o que acabou de chegar:

Na coletiva amestrada de ontem, concedida no lupanar da CBF, Dunga prometeu um relacionamento mais amigável com a mídia, aceitando inclusive ─ em escorreito dunguês ─ “sugerimentos” da imprensa para o “melhoramento” da seleção.

Enfim decifrado o mistério que há dias assombra nossos melhores cronistas esportivos, petrificados com o retorno de Dunga: agora temos um técnico padrão Dilma.

23/07/2014

às 13:30 \ Direto ao Ponto

Se aparecer no local de trabalho com mais frequência, Haddad será lembrado para sempre como o pior prefeito da história

Fernando-Haddad

Há um ano e meio no cargo, o prefeito Fernando Haddad acaba de conceder-se o segundo período de férias. Em outubro, foi festejar o aniversário de casamento na Itália. Nesta semana, refugiou-se em algum canto do mundo para convalescer do divórcio litigioso noticiado pelo Datafolha: quase metade do eleitorado de São Paulo nem quer conversa com o encarregado de administrar a maior metrópole brasileira.

Foi uma ruptura e tanto: segundo a pesquisa que o Ibope ainda não teve tempo de retocar, 47% da população acha “ruim” ou “péssimo” o desempenho do prefeito. Só dois antecessores conseguiram ir mais longe que Haddad em 18 meses de governo: Jânio Quadros (66%, em 1987) e Celso Pitta, que em 1998 embolsou a medalha de prata com 54% de desaprovação.

O Datafolha também constatou que o prefeito percorre a rota do naufrágio mais pelo que andou fazendo e menos pelo que deixou de fazer. Os insatisfeitos com Haddad pouco se importam, por exemplo, com o sumiço do Arco do Futuro, codinome do colosso de “intervenções urbanas” que fariam de São Paulo uma Paris com pastel e caldo de cana. A imensidão de indignados é fruto das sucessivas demonstrações de incompetência político-administrativa.

Os 47% de impopularidade se devem às faixas exclusivas semidesertas, às linhas de ônibus que desaparecem misteriosamente da noite para o dia, aos paquidermes sobre todas em acelerada decomposição, à subordinação aos “movimentos sociais” (sobretudo ao liderado por Guilherme Boulos e sua trupe sem-teto armada de telefones celulares), à transformação das principais avenidas em parque de diversões em poder dos black blocs, à expansão da Cracolândia e a tantos outros monumentos ao amadorismo amalucado. Sempre que a luz acesa no poste instalado por Lula na prefeitura informa que vem aí mais uma ideia, a cidade se prepara para outro curto-circuito.

Jânio e Pitta são concorrentes respeitáveis, mas Haddad não demoraria a derrotá-los se aparecesse com mais frequência no local do emprego. Ele chegou aos 47% trabalhando só em dias úteis, reservando todas as noites ao convívio com a família e saindo de férias quando lhe dá na telha. Caso se livre da laborfobia, a produção de projetos e ideias lhe permitirá superar, antes que o mandato chegue ao fim, o recorde estabelecido por Jânio há 27 anos.

A façanha eternizará o companheiro trapalhão na memória paulistana como o pior prefeito da história. Não é pouca coisa.

23/07/2014

às 11:46 \ Opinião

‘Paulistanos ingratos’, editorial do Estadão

Publicado no Estadão desta terça-feira

Ao transformar a cidade de São Paulo em um laboratório de experiências esdrúxulas e marqueteiras, o prefeito Fernando Haddad demonstrou, em menos de dois anos de gestão, que não governa para todos, mas apenas para grupos minoritários estridentes, e que se preocupa somente com os eventuais ganhos eleitorais de suas decisões. Como resultado, Haddad é considerado um mau prefeito por nada menos que 47% dos paulistanos, segundo a mais recente pesquisa Datafolha sobre a qualidade de sua gestão.

Com esse índice, Haddad passou a fazer companhia aos piores prefeitos que São Paulo já teve desde a redemocratização do Brasil. Ele não está muito longe, por exemplo, de Celso Pitta (1997-2000), cuja administração, após 1 ano e 6 meses, foi considerada ruim ou péssima por 54% dos paulistanos. Como os paulistanos hão de se recordar, Pitta foi aquele prefeito que chegou a ser afastado do cargo em razão de denúncias de corrupção e que destroçou as finanças do Município.

» Clique para continuar lendo

22/07/2014

às 21:46 \ História em Imagens

Um Ciro reformado às pressas socorre a candidata atropelada por um Ciro-2013

Durante a entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, exibida  em 2 de setembro do ano passado pela RedeTV!, o impetuoso Ciro Gomes precisou de menos de um minuto para demonstrar que é muito mais perigoso como aliado do que como adversário. A vítima da vez foi Dilma Rousseff, atropelada por um Ciro-2013 em alta velocidade e desgovernado.

“A oposição vai chegar na época da reeleição e dizer o seguinte: ‘Presidenta, a senhora entregou o quê?’”, avisa o entrevistado. Em seguida, previne, os adversários lembrarão a Dilma algumas das muitas façanhas consumadas por Juscelino Kubitschek “em apenas cinco aninhos” e insistirão na cobrança desmoralizante: “A senhora em quatro entregou o quê?”

E o que o senhor acha que ela vai entregar?, quer saber o entrevistador. “Eu mesmo que sou aliado não sei”, engata uma quinta o Ciro-2013, que vai tirando do porta-malas parte da pilha de obras paralisadas, atrasadas, esquecidas, incompletas ou agonizantes. E por que isso acontece?, quer agora saber o entrevistador. “Porque não tem gestão, meu patrão!”, vai em frente o Ciro-2013.

Nesta terça-feira, um Ciro reformado às pressas irrompeu na contramão para socorrer a aliada que atropelou. “Dilma é a única preparada para governar o Brasil”, mudou de rumo o parceiro no momento acampado num certo PROS. Nenhum oposicionista deve perder tempo com o que recita agora. Mais proveitoso é mostrar o vídeo no horário eleitoral.

22/07/2014

às 19:15 \ Opinião

José Nêumanne Pinto: Fernando Haddad é a mais nova unanimidade paulistana

Em sua coluna Direto ao Assunto, veiculada pela Rádio Jovem Pan, o jornalista José Nêumanne Pinto comenta o alto índice de rejeição de Fernando Haddad, atualmente em 47%. De todos os prefeitos de São Paulo, o petista perde apenas para Jânio Quadros, que atingiu 66%, e Celso Pitta (54%). Confira:

22/07/2014

às 16:59 \ Opinião

‘De calças curtas’, de Dora Kramer

Publicado no Estadão desta terça-feira

DORA KRAMER

Justiça seja feita, o governo e boa parte do PT não alimentaram de vento a certeza de que a eleição de 2014 estava ganha.

A despeito das evidências em contrário, até pouco tempo atrás todas as pesquisas eram sustentadas na afirmação de que “se a eleição fosse hoje” a presidente Dilma Rousseff ganharia no primeiro turno.

O principal indício de que se tratava de uma precipitação era o fato de que nem Luiz Inácio da Silva com toda a sua popularidade conseguira vencer no primeiro turno nenhuma das duas eleições.

» Clique para continuar lendo

22/07/2014

às 12:21 \ Vídeos: Entrevista

O Roda Viva com Goulart de Andrade: “Jornalismo é contar histórias”

O entrevistado do Roda Viva desta segunda-feira foi o jornalista Goulart de Andrade. Criador do programa Comando da Madrugada, Goulart fez história na televisão brasileira com reportagens produzidas nas madrugadas paulistanas, sempre precedidas pelo bordão “Vem comigo”. A bancada de entrevistadores foi composta por Daniel Bergamasco (VEJA São Paulo), Keila Jimenez (Folha de S. Paulo), Gérson de Souza (TV Record), Rodolpho Gamberini (primeiro apresentador do Roda Viva) e pela jornalista Rose Nogueira.

21/07/2014

às 20:31 \ Direto ao Ponto

O técnico Dunga é o mesmo de 2010. A opinião do colunista também não mudou

Em 21 de junho de 2010, às vésperas da derrota contra a Holanda que eliminou o Brasil da Copa da África do Sul, resumi o que achava do técnico Dunga no post republicado na seção Vale Reprise. Agora devolvido ao comando da Seleção, ele continua o mesmo. A opinião do colunista também não mudou.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados