Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Voos promocionais da Gol não darão direito a milhas

Companhia anunciou na noite de terça-feira uma mudança em sua política de acumulo de milhagens do programa de fidelidade Smiles

Por Da Redação 11 set 2013, 11h20

A Gol anunciou um novo modelo para contagem de milhas, em que as tarifas promocionais não vão mais garantir acúmulo de pontos aos passageiros, informou a companhia aérea na noite de terça-feira, afirmando que a mudança recompensará o cliente que é mais fiel à empresa.

Nos voos domésticos, o cálculo levará em conta o valor da passagem, em vez da distância do voo, como é feito atualmente. Já nos voos internacionais, a referência continuará sendo a distância. As novas regras passarão a valer para as compras feitas a partir de 10 de outubro, acrescentou a companhia em comunicado.

Leia também:

Tribunal manda Gol reintegrar 850 empregados da Webjet

Prejuízo da Gol cai 39,5% no 2º tri, a R$ 433 milhões

Para as passagens domésticas, cada 1 real gasto pelo passageiro será convertido em três milhas na tarifa flexível ou duas milhas na tarifa programada. As tarifas promocionais não vão mais acumular milhas. Segundo a Gol, elas “já oferecem benefícios nos preços”. “Com a mudança, os clientes serão estimulados a acumular mais milhas voadas e resgatar bilhetes prêmio com maior frequência”, acrescentou a empresa.

Nos voos internacionais a mudança ficou por conta do número mínimo de milhas recebidas. Serão 5.000 milhas em voos para os Estados Unidos, 3.000 milhas para a América Central e 1.000 milhas para destinos na América do Sul.

“Para voos codeshare (em que há compartilhamento com outras companhias), não existe mínimo, porém as conexões também serão consideradas para o acúmulo de milhas”, informou a Gol.

Continua após a publicidade

Pontos – Na tarifa promocional e programada, os clientes de voos internacionais receberão o piso. Na tarifa “flexível”, ganharão 25% a mais sobre o patamar mínimo. O acréscimo será de 50% na tarifa “comfort”, mais cara.

A Gol afirmou que clientes da categoria Smiles Diamante da companhia passarão a acumular no mínimo 1.000 milhas em qualquer voo da empresa, exceto para as tarifas promocionais nos voos dentro do Brasil.

A concessão de bônus por categoria de fidelização continua sendo contemplada na política de milhagem: os clientes Smiles Diamante recebem 100% a mais sobre as milhas acumuladas, os clientes Ouro ganham 50% a mais e os clientes Prata, 25%.

Custos – O presidente da Gol, Paulo Kakinoff, afirmou no final de agosto que a empresa poderia intensificar corte de oferta de assentos por causa da alta do dólar contra o real frente a um nível fraco de atividade econômica do país.

Leia ainda:

Crescimento do mercado de fidelidade dificulta troca de pontos e aéreas buscam alternativas

A Gol tem reduzido oferta em voos domésticos desde 2011 diante de alta nos preços do combustível de aviação, agravada pela valorização do dólar. A meta da empresa é reduzir capacidade em 9% este ano.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade