Clique e assine a partir de 9,90/mês

Varejo espera faturar R$ 1,2 bi com Black Friday

Com vendas enfraquecidas, lojas físicas e virtuais esperam antecipar o faturamento do Natal e queimar estoques

Por Da Redação - 23 nov 2014, 13h12

Para o varejo, a megaliquidação Black Friday, que acontece no próximo dia 28, é uma maneira de antecipar o faturamento do Natal. Em 2014, a expectativa é de que a receita de vendas só das lojas on-line atinja R$ 1,2 bilhão em um único dia, segundo a E-bit, empresa especializada em informações do comércio eletrônico.

Leia também:

Black Friday: pela metade do dobro!

Saiba como evitar as armadilhas da Black Friday

Continua após a publicidade

Caso a projeção se confirme, o resultado desta 4.ª edição do evento será 56% maior em relação a Black Friday 2013. O maior número de ofertas deve impulsionar o faturamento, já que o enfraquecimento das vendas elevou estoques no varejo. Para Pedro Eugênio, fundador do site Busca Descontos, que trouxe a Black Friday para o País, “as empresas vão aproveitar para rifar os estoques. O consumidor vai ter boas surpresas”. Segundo ele, o desconto médio nos preços no evento de 2013 variou entre 20% e 30% e, em alguns itens, chegou a 60%.

Além do maior número de produtos em oferta, é esperado para este ano um aumento na quantidades de lojas participantes, tanto no varejo físico quanto no virtual. No comércio eletrônico, a estimativa é que mais de 20 mil estabelecimentos participem da Black Friday, segundo o presidente do conselho de e-commerce da Fecomércio/SP, Pedro Guasti.

Entre as empresas estreantes este ano está a Kalunga, rede especializada materiais de escritório e informática. “Decidimos participar porque no ano passado tivemos um aumento do movimento no dia sem estarmos na Black Friday”, conta o gerente de e-commerce da rede, Felipe Algazi. A Kalunga vai colocar itens com promoções idênticas no site e nas lojas físicas. Também criou uma ferramenta no site que mostra a evolução dos preços desses itens para comprovar que o desconto é real.

Quem planeja fazer compras em lojas físicas ou virtuais deve ficar atento para não cair em golpes e falsos descontos de preços maquiados. Confira algumas dicas para não cair em armadilhas nesta Black Friday.

Continua após a publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade