Clique e assine com 88% de desconto

Sindicato convoca greve de 46.000 funcionários da GM nos EUA

Paralisação marcada para a meia-noite deste domingo deve-se a impasse nas negociações de condições dos trabalhadores temporários

Por Da Redação - Atualizado em 16 set 2019, 12h06 - Publicado em 15 set 2019, 16h30

O sindicato United Auto Workers (UAW), um dos que representam trabalhadores da indústria automobilística nos Estados Unidos, convocou os 46.000 funcionários da General Motors (GM) a entrar em greve à meia-noite deste domingo, 15.

A paralisação foi decidida na manhã de hoje, em meio a um impasse nas negociações do acordo coletivo envolvendo as condições dos trabalhadores temporários que dão expediente na montadora. “Este é nosso último recurso”, disse Terry Dittes, que lidera as negociações do sindicato com a GM. “Defendemos os direitos fundamentais da classe trabalhadora deste país”.

“Os responsáveis sindicais de todo o país se reuniram na manhã de hoje, após a expiração, no sábado à noite, do acordo coletivo da GM em vigor desde 2015, e decidiram entrar em greve”, informou o sindicato.

Funcionários do UAW disseram que as partes estavam distanciadas nas negociações, iniciadas em julho, com divergências envolvendo salários, benefícios, segurança e o status dos trabalhadores temporários.

Publicidade

Os trabalhadores da Ford e Fiat Chrysler concordaram em prorrogar seus acordos coletivos, mas a direção da GM foi informada ontem que o sindicato não estenderia o seu. (Com informações da AFP)

Publicidade