Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Santander aumenta limite do financiamento para 90% do valor do imóvel

Instituição é a primeira a subir porcentual da casa própria que pode ser parcelado; na prática, consumidor pode dar entrada menor para comprar o imóvel

Por Larissa Quintino Atualizado em 7 jan 2020, 14h59 - Publicado em 7 jan 2020, 14h08

O Santander anunciou nesta terça-feira, 7, o aumento de limite de financiamento imobiliário de 80% para 90% do valor do imóvel. Com isso, o cliente tem a possibilidade de desembolsar uma entrada menor, de 10% e não 20%. O banco é o primeiro do país a trabalhar com esse porcentual de financiamento.

O novo teto é aplicado ao Sistema de Amortização Constante (SAC), modalidade em que as parcelas são atualizáveis e tendem a diminuir com o tempo. A taxa mínima oferecida é de 7,99% ao ano, a depender do relacionamento com o banco.

Segundo o Santander, os financiamentos com entrada de 10% são parceláveis em até 420 meses (35 anos) e as condições são válidas para a aquisição de unidades a partir de 90.000 reais.

Em nota, o banco  afirma que o cliente “pode somar a renda com mais de uma pessoa, mesmo sem ter parentesco” e também usar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A aprovação está sujeita a análise de crédito.

Guerra de taxas

Com a queda da Selic, atualmente em 4,5% ao ano, os bancos vêm diminuindo suas taxas de juros de financiamento imobiliário. No financiamento pré-fixado e corrigido pela TR, os menores juros são da Caixa, de 6,5% ao ano. Em setembro, o Bradesco diminuiu suas taxas para 7,30% ao ano e o Itaú para 7,45%. Os bancos também apostam em novos produtos. Caixa e BB têm linhas de crédito imobiliário que usam a inflação (IPCA) mais taxa de juros pré-fixada para a correção das parcelas.

Continua após a publicidade
Publicidade