Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Qualcomm provoca novo iPhone: o Android tinha primeiro

Fabricante de chips para celular divulgou lista com aparelhos de concorrentes que já tinham tecnologias esperadas no novo modelo da Apple, lançado ontem

Por Da redação 13 set 2017, 16h40

A fabricante de chips Qualcomm fez uma provocação indireta à Apple na véspera do lançamento dos novos iPhones. A empresa divulgou uma lista de celulares que utilizam o sistema operacional Android e já contam com as tecnologias previstas para o novo modelo topo de linha da Apple, o iPhone X – algumas delas foram incluídas no aparelho.

Todos os telefones listados usam o sistema operacional Android, feito pelo Google, concorrente direto do iOS da Apple. Fãs das duas tecnologias frequentemente debatem na internet sobre qual é sistema é o melhor.

  • Uma das tecnologias que já funcionavam em celulares com Android é o reconhecimento facial, um dos destaques do novo telefone da Apple. A Qualcomm lembra que o recurso já existe no Galaxy 8, da Samsung. A funcionalidade do concorrente, no entanto, tem sido criticada pela facilidade de fraude – Apple diz que essa vulnerabilidade não acontecerá no iPhone X.

    Até mesmo o desing do aparelho, em que a tela ocupa quase toda a superfície do smartphone, foi apontado pela Qualcomm como pioneiro em outro celular, o Mi Mix 2, da chinesa Xiaomi.

    Um dos destaque da apresentação dos novos iPhones é a capacidade de fazer apps com realidade aumentada com alto nível de detalhes graças às inovações do novo sistema operacional e capacidade dos telefones. A lista da Qualcomm desdenha do feito: o Phab Pro 2, da Lenovo, foi lançado no ano passado com a tecnologia.

    Até mesmo tecnologias que já existiam nos iPhones anteriores foram lembradas pela concorrente da Apple, como a câmera dupla. O iPhone 7 Plus, do ano passado, já tinha o recurso, que foi melhorado nas novas versões 8 Plus e X. Mas a Qualcomm lembra que o One M8, da HTC, já tinha a função desde 2014.

    Especialistas do setor dizem que o mérito dos iPhones é a integração com qualidade de diferentes tecnologias, e não o pioneirismo no lançamento delas.

    A Qualcomm e a Apple também travam uma batalha por patentes nos tribunais. Enquanto a Qualcomm acusa a Apple de violar suas patentes e busca suspender as vendas de iPhone nos Estados Unidos, a empresa fundada por Steve Jobs diz que a concorrente cobra ilegalmente por elas e pede indenizações de mais de 1 bilhão de dólares (3,1 bilhão de reais) em três países.

    Continua após a publicidade
    Publicidade