Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Produtos regionais brasileiros viram fonte de riqueza

Vinhos, queijos, café e cachaça artesanal, entre outras especialidades, ganham relevância internacional ao terem delimitadas suas regiões de origem

Por Da Redação Atualizado em 19 jan 2022, 16h16 - Publicado em 23 dez 2021, 11h11

O Brasil é uma força nascente no universo das indicações geográficas, mecanismo de reconhecimento da notoriedade de uma região e um povo em produzir bens e serviços específicos é uma forma de proteção à propriedade intelectual brasileira.

O país contabiliza 88 indicações geográficas: 68 indicações de procedência e 20 denominações de origem, sendo esta uma categoria que protege produtos que resultam da combinação entre o saber fazer de uma cultura e as condições geográficas daquele ambiente.

A cada ano, cresce o número de pedidos de proteção e também as concessões. Só em 2021, o Brasil reconheceu 13 novas indicações geográficas.

+ CLIQUE PARA LER A NOVA EDIÇÃO DE VEJA INSIGHTS

No momento em que se discutem formas de potencializar o desenvolvimento regional, reaquecer a economia e valorizar a produção brasileira, o assunto ganha uma particular relevância.

Em sua 13ª. edição, VEJA INSIGHTS traz uma série de artigos que são parte do projeto O Brasil que a Gente Produz, realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Nela o leitor terá contato com cinco produtos tipicamente brasileiros e que tem recebido cada vez mais atenção do mercado internacional. São eles o queijo Canastra e o café do Cerrado de Minas Gerais, o chocolate do Sul da Bahia, os vinhos do Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul e a cachaça, primeiro produto a ter sua denominação de origem reconhecida no país, em 2001.

+ CLIQUE PARA LER A NOVA EDIÇÃO DE VEJA INSIGHTS

Continua após a publicidade

Publicidade