Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Produção de veículos no país tem queda de 10% em março

Apesar do ritmo menor na indústria, vendas de carros, caminhões e ônibus sobem 1% no mesmo período

Por Da redação - Atualizado em 4 abr 2019, 14h22 - Publicado em 4 abr 2019, 12h47

A produção de veículos no Brasil caiu 10% em março ante igual mês do ano passado, segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 4, pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). No período, foram 240,5 mil unidades produzidas, entre automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Com o resultado de março, o primeiro trimestre terminou com a produção de 695,7 mil veículos, retração de 0,6% em relação a igual período do ano passado. 

Segundo o presidente da Anfavea, Antonio Megale, a queda na produção se deve ao recuo das exportações, em razão da crise na Argentina, principal destino dos veículos brasileiros.”O primeiro semestre do mercado argentino está absolutamente comprometido. Esperamos que comece a melhorar depois disso”, afirmou. Outro motivo apontado foi a enchente na fábrica da Mercedes-Benz, em São Bernardo do Campo (SP), que gerou paralisação das atividades na planta.

Além disso, Megale cita ainda a greve dos funcionários da Ford como uma terceira causa desse desempenho. Os trabalhadores ficaram mais de 40 dias sem trabalhar após o anúncio pela montadora, em fevereiro, do fechamento da fábrica em São Bernardo do Campo.  Eles voltaram à produção na terça-feira, 2. Atualmente, o grupo Caoa negocia a compra da planta.

Publicidade

O caso é um exemplo do primeiro trimestre marcado por crise das montadoras no país. Além da Ford, a GM também chegou a anunciar que fecharia as fábricas de São Caetano do Sul e São José dos Campos e que poderia acabar com suas atividades no país caso seus lucros não voltassem.

No entanto, depois de diversas negociações com sindicatos e governos municipais e estaduais, a montadora anunciou um investimento de 10 bilhões de reais nos próximos quatro anos para entrar no programa de isenção de 25% do Imposto Sobre Circulação de Mercadoria (ICMS) do Governo do Estado de São Paulo.

A queda na produção também refletiu no número de empregos em março. Segundo o balanço da Anfavea, 987 vagas de trabalho foram fechadas nas montadoras. Em 12 meses, são 1.241 empregos a menos. Atualmente, o setor automotivo emprega 129.980 funcionários.

Vendas

Apesar da queda na produção, as vendas de veículos registraram resultados positivos no trimestre. Nos três primeiros meses do ano, 607,6 mil unidades foram comercializadas, alta de 11% em relação ao mesmo período de 2018.

Publicidade

Só em março 209,1 mil unidades foram vendidas, alta de 0,9% em relação a igual mês do ano passado e avanço de 5,3% na comparação com fevereiro.

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)

Publicidade