Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Produção de chocolate cai, mas não afeta segmento premium

Foram fabricadas 384.289 toneladas nos nove primeiros meses do ano, queda de 2%. Na contramão, segmento gourmet cresce a dois dígitos

A produção de chocolate no Brasil caiu 2% no acumulado dos nove primeiros anos, para 384.289 toneladas, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab). Em igual período do ano anterior, foram produzidas 391.999 toneladas. “O produto está em 600 mil pontos de venda no país. Um bombom custa ao redor de 0,80 reais. O que está acontecendo é que o consumidor não tem dinheiro e não está comprando”, afirmou o presidente da ABICAB, Getúlio Ursulino Netto.

Leia também:

Aumento da contaminação por ebola pode encarecer chocolate

Com bombons grátis, Lindt abre primeira loja no Brasil

A produção de chocolates premium, por outro lado, aumentou ao longo dos últimos meses. “Esses produtos vão bem, em detrimento do consumo de massa”, acrescentou Ursulino Netto. O segmento vem crescendo a uma taxa de 20% ao ano, atingindo hoje aproximadamente 30 mil toneladas anualmente, de um total de 473 mil toneladas produzidos no país. “Com poder de compra maior, o consumidor busca cada vez mais produtos sofisticados, seja para consumo próprio ou como opção de presente”, afirmou Caio Tomazeli, diretor adjunto de Chocolates Premium da Abicab. Para o segmento premium, a expectativa de faturamento em 2014 é de 2,4 bilhões de reais, o que representa um crescimento de 26%.

As empresas estrangeiras também ampliaram sua participação no mercado interno, com crescimento de 14,3% no primeiro semestre do ano. O Brasil é o terceiro maior mercado do mundo em chocolates, com um consumo per capita de 2,5Kg ano.