Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

PIB: exportações e importações caem 9,8% e 8,3% no terceiro trimestre

Indústria da transformação representou 50,9% do total exportado, enquanto bens da indústria extrativa pesaram 30,8% e agropecuária, apenas 17,8%

Por Luisa Purchio Atualizado em 2 dez 2021, 12h57 - Publicado em 2 dez 2021, 11h08

Apesar da forte recuperação da atividade econômica mundial após a superação da pandemia da Covid-19 com os avanços da vacinação, a pressão da demanda sobre a oferta e os problemas na cadeia global de suprimentos prejudicaram o comércio internacional no terceiro trimestre de 2021. No Brasil, estes problemas se somaram à seca que derrubou a produção do agronegócio em 8% no terceiro trimestre em relação ao trimestre anterior, segmento que mais contribui com as exportações do país.

Dados com ajuste sazonal do PIB divulgados pelo IBGE nesta quinta-feira, 2, mostram que, no terceiro trimestre de 2021 em relação ao trimestre anterior, as exportações de bens e serviços caíram 9,8%, enquanto as importações tiveram queda de 8,3%. O encarecimento das commodities de metais e as peculiaridades da lavoura brasileira levaram a uma diferença na participação dos segmentos na exportação. De acordo com o boletim trimestral da Secretaria de Comércio Exterior, a indústria extrativa vem ganhando mais participação nas exportações desde o começo de 2020, o que foi ainda mais impulsionado pela alta dos preços que ocorreu a partir do terceiro trimestre de 2020.

No terceiro trimestre de 2021, as exportações de bens da indústria de transformação representaram 50,9% do total exportado, enquanto os bens da indústria extrativa tiveram participação de 30,8% e os produtos agropecuários, de apenas 17,8%. De acordo com o IBGE, os itens com melhor desempenho entre as exportações foram os produtos de metal, máquinas e equipamentos e principalmente os serviços. Já as importações mais significativas foram de veículos automotores, produtos farmoquímicos, máquinas e equipamentos e produtos químicos.

Desaceleração pontual

Os dados divulgados pelo IBGE refletem uma desaceleração nos meses de julho a setembro de 2021, mesmo que, ante o mesmo trimestre do ano anterior, as exportações de bens e serviços apresentaram alta de 4,0%, enquanto as importações de bens e serviços subiram 20,6%. Já, no acumulado do ano, as importações de bens e serviços cresceram 15,6% e as exportações subiram 6,6% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Vale lembrar que essa alta anual era esperada, uma vez que o comércio global caiu significativamente no ano passado com a queda do consumo e o fechamento de atividades em meio à pandemia da Covid-19.

Continua após a publicidade

Publicidade