Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Operação da PF investiga fraudes em previdências municipais

Segundo a PF, 13 fundos de investimentos estão sendo investigados - eles teriam obtido títulos de dívidas sem lastro emitidas por empresas de fachada

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira a Operação Encilhamento, nova etapa da Operação Papel Fantasma, que apura fraudes em regimes de previdência municipais. Ao todo, 13 fundos de investimentos estão sendo investigados.

Segundo a PF, os fundos contêm títulos de dívidas sem lastro, emitidas por empresas de fachada – o valor total dos títulos ultrapassa 1,3 bilhão de reais. O lastro é o que garante o valor do dinheiro.

Ainda de acordo com a PF, 28 institutos de previdência municipais adquiriram papéis sem lastro, direta ou indiretamente. Durante a investigação, foram identificados o envolvimento de uma empresa de consultoria e evidências que apontam para corrupção de servidores ligados a alguns dos institutos.

Em 2016, a PF identificou a soma de 827 milhões de reais em apenas oito dos 13 fundos de investimento, que deveriam ser utilizados para o pagamento das aposentadorias dos servidores municipais.

Na manhã desta quinta-feira, policiais federais e auditores-fiscais da Receita Federal cumpriram 60 mandados de busca e apreensão e 20 mandados de prisão temporária nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso, Santa Catarina e Goiás.

Os investigados responderão por crimes contra o sistema financeiro nacional, fraude à licitação, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. As penas podem variar de 2 a 12 anos de prisão.