Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Onda negativa nas techs: outro gigante anuncia demissão em massa

Após Meta, Amazon, Twitter e muitas outras, o anúncio dessa vez é da HP, que deve eliminar até 6 mil empregos até 2025

Por Luana Zanobia
Atualizado em 25 nov 2022, 15h31 - Publicado em 23 nov 2022, 15h49

O ano não está fácil para as empresas de tecnologia. Altamente dependentes de liquidez dos recursos levantados com o mercado financeiro, situação que é encontrada quando os juros estão baixos, as techs enfrentam uma situação econômica bastante oposta ao ideal para a sustentabilidade de seus negócios. A política contracionista adotada pelos bancos mundiais para controlar a inflação tem penalizado o desempenho dessas companhias. Com o cenário econômico ainda turvo, uma onda negativa começa a se avolumar, resultando em resultados financeiros fracos e demissões em massa.

Após Meta, Amazon, Twitter e muitas outras, o anúncio desta vez é da HP, fabricante americana de computadores pessoais, que eliminará entre 4 mil a 6 mil empregos até o fim do ano fiscal de 2025 para reduzir custos. Os cortes devem resultar em uma economia de até 1,4 bilhão de dólares. Segundo o presidente da companhia, Enrique Lores, após um difícil quarto trimestre fiscal e uma perspectiva não tão boa pela frente, era necessário cortar mais de 10% da força de trabalho, como parte de uma estratégia para criar uma HP “pronta para o futuro”. A empresa possuía um total de 51 mil funcionários em todo o mundo, sendo assim, as demissões representam um corte de 12% na força de trabalho da empresa.

Os juros altos e a queda do poder de compra das famílias também impactam as vendas de computadores.  As vendas da HP caíram 11% em comparação ao mesmo período do ano passado. Após o pico de consumo durante a pandemia – estimulado pelos juros baixos e pela própria condição de isolamento social e de home office – as vendas de computadores e notebooks caíram. A HP registrou um prejuízo de líquido de 2 milhões de dólares no quarto trimestre fiscal de 2022, revertendo o lucro líquido de 3,1 bilhões de dólares registrado no mesmo período do ano passado. As receitas líquidas também diminuíram 11%, para 14,7 bilhões de dólares.

A Meta, controladora do Facebook, WhatsApp e Instagram, anunciou recentemente um corte de 11 mil empregos em toda a empresa, o maior plano de demissões da sua história. A Amazon tem plano de demitir até 10 mil funcionários até o fim do ano. A Tesla, de Elon Musk, também realizou um corte de 10% da força de trabalho e, no comando do Twitter, o empresário também fez uma demissão em massa na rede social. Microsoft, Netflix e Disney também reduziram o quadro de funcionários e congelaram contratações.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.