Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Oi diz não ter sido informada sobre investimentos da Portugal Telecom

Acionistas e conselheiros questionam falha de governança e transparência da empresa

A operadora Oi afirmou nesta quinta-feira que não foi informada pela Portugal Telecom sobre o investimento na Rio Forte Investments, acrescentando que tomará medidas para defender seus interesses. A empresa portuguesa comprou 897 milhões de euros em notas promissórias da Rio Forte, holding do Grupo Espírito Santo (GES). Vale ressaltar, porém, que o GES é o maior acionista da Portugal Telecom. A Rio Forte passa por dificuldades financeiras e sua controladora direta, a Espírito Santo International Rioforte, está sendo investigada por irregularidades financeiras.

O negócio não foi comunicado a todos os membros do Conselho de Administração da Oi, o que levou à renúncia de dois representantes da Oi no conselho da Portugal Telecom – Otávio Azevedo, presidente do grupo Andrade Gutierrez, e Fernando Magalhães Portella, da Jereissati Participações – e gerou também rumores sobre potenciais impactos na fusão em curso entre as companhias de telecomunicação.

A preocupação é que a suposta falha de governança na transação possa contaminar a atuação da Oi. Em fato relevante, a Oi afirmou ter solicitado esclarecimentos adicionais sobre o assunto. A Oi tem visto o preço das suas ações despencar nos últimos dias. O negócio foi tema de debate nesta quarta-feira na reunião de diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), um dos acionistas controladores da Oi. Outros grandes sócios, como fundos de pensão, também pediram explicações sobre a transação.

Leia mais:

Oi fecha acordo bilionário com empresa americana

Lucro da Oi cai com aumento de despesas financeiras

Anatel aprova plano de fusão da Oi com a Portugal Telecom

Segundo a Oi, o investimento da parceira portuguesa, que corresponde a cerca de 40% de sua posição de caixa, foi feito antes da subscrição e integralização do capital da Oi pela Portugal Telecom. “A Oi não foi informada, nem participou das decisões que levaram à realização das aplicações de recursos em questão”, disse a operadora. “A Oi já solicitou esclarecimentos adicionais à Portugal Telecom, analisará as informações recebidas e tomará as medidas necessárias à defesa de seus interesses”, afirma a empresa, sem esclarecer quais medidas tomará.

O jornal Valor Econômico, citando uma fonte próxima às empresas, publicou nesta quinta-feira que os sócios da Oi e da Portugal Telecom “deverão rediscutir a relação de troca de ações entre as duas operadoras caso a Rio Forte não honre os pagamentos à Portugal Telecom”.

Contatados, representantes da Oi não estavam imediatamente disponíveis para comentar o assunto. A assembleia de acionistas da Oi está prevista para setembro ou outubro para discutir as operações envolvidas no processo de fusão com a Portugal Telecom. Entre estas operações está a incorporação das ações da operadora portuguesa no grupo brasileiro.

(com agência Reuters e Estadão Conteúdo)