Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

O gênio enlouqueceu?

As atitudes destemperadas do empreendedor sul-africano Elon Musk em 2018 levaram o mundo a fazer essa pergunta

Por Bianca Alvarenga Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 4 jun 2024, 16h03 - Publicado em 21 dez 2018, 07h00

Elon Musk sempre será reconhecido por sua genialidade. O empreendedor sul-africano de 47 anos fundou a plataforma de pagamentos PayPal, a montadora de carros elétricos Tesla e a empresa aeroespacial SpaceX. Seu patrimônio ultrapassa 20 bilhões de dólares. Mas o comportamento de Musk em 2018 levou o mundo a se perguntar: o gênio enlouqueceu? O destempero é característica de sua personalidade, mas ele nunca chegara a tanto. No início do ano, anunciou que começaria a vender lança-chamas pela internet. Depois, piorou. Usou o Twitter para disparar mensagens polêmicas. No episódio mais notável, chamou de “pedófilo” um dos mergulhadores que participavam do resgate dos doze meninos presos em uma caverna na Tailândia, apenas porque o governo local recusou seu plano de ajuda (que ele nunca explicou qual seria). Mais tarde, pediu desculpas. Em seguida, voltou a acusá-lo de “pedófilo”.

Em agosto, também por meio de um tuíte, Musk afirmou que pretendia fechar o capital da Tesla. Um fundo compraria cada ação da empresa na bolsa por 420 dólares — o número é usado como gíria nos Estados Unidos para se referir à maconha. As ações, que no mercado valiam 342 dólares, dispararam. Um mês depois, apareceu fumando um baseado enquanto concedia uma entrevista ao vivo pelo YouTube. Os investidores finalmente captaram a gíria e derrubaram as ações em 9%.

O anúncio do tal fundo que compraria as ações da companhia rendeu uma investigação da SEC, autoridade que fiscaliza o mercado financeiro americano. A descoberta: o tal fundo não estava garantido. O gênio foi processado por manipulação do mercado. Pagou uma multa, mas a Tesla achou pouco: sacou seu fundador da presidência do conselho de administração. Punido, Musk afirmou que “não respeita a SEC”. Em seguida, admitiu estar deprimido. Que ano!

Publicado em VEJA de 26 de dezembro de 2018, edição nº 2614

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.