Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Greve paralisa metrô de Lisboa nesta quinta-feira

Paralisações são reação dos sindicados ao corte de salários dos funcionários e aumento de impostos

Lisboa amanheceu nesta quinta-feira com todas as estações de metrô fechadas e o serviço totalmente paralisado em uma nova greve parcial de seus funcionários em protesto contra a política de ajustes do governo. Sindicatos e a empresa informaram que os trens não circularam durante as primeiras horas de serviço, das 06h até as 10h30 (locais), o que levou muitos portugueses a optar pelo carro e engarrafou ainda mais o trânsito na capital lusitana.

As paralisações são uma reação dos sindicados ao corte de salários dos funcionários do metrô, que transporta, por dia, cerca de 450 mil pessoas. Os funcionários se opõem à possibilidade de privatização da companhia que administra o metrô de Lisboa, em meio aos esforços do governo português conservador para reduzir o gasto público.

Leia mais:

Portugal abandona plano polêmico, mas pode elevar impostos

Recessão em Portugal se agrava com queda de 3,3% do PIB

Portugal fornece �€ 135 milhões em ajuda para Açores

Risco de insolvência da Itália ‘parece ter acabado’, diz premiê

Portugal, país que teve intervenção da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional há um ano e meio, se comprometeu, em troca do resgate financeiro, a diminuir o déficit público para 5% do PIB em 2012 e para 4,5% em 2013.

Para atingir a meta, o governo do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho aplicou severas medidas de austeridade destinadas a cortar as despesas do Estado, ao mesmo tempo em que realizou uma onda de alta de impostos generalizada para tentar melhorar a arrecadação.

(Com agência EFE)