Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Governo estuda cortar bolsa de Paulo André, atleta que participa do ‘BBB’

Ministro João Roma (Cidadania) pede averiguação sobre situação do velocista, que abdicou de competições para concorrer a prêmio de R$ 1,5 milhão no reality

Por Felipe Mendes Atualizado em 14 mar 2022, 11h34 - Publicado em 12 mar 2022, 13h48

O ministro da Cidadania, João Roma, mostrou-se surpreso ao ser informado que o velocista Paulo André, que participou dos Jogos Olímpicos em 2021, está recebendo assistência do governo enquanto disputa o reality show ‘Big Brother Brasil (BBB)’ da TV Globo. Confinado na casa desde janeiro, o atleta abdicou dos treinos e de competições importantes para participar do programa televisivo que premia seu vencedor com 1,5 milhão de reais, mas, enquanto isso, continua fazendo parte do Bolsa Atleta e recebendo encargos que, somados ao salário de terceiro-sargento da Marinha, ultrapassam a faixa de 8.000 reais mensais.

À frente da pasta que está acima da Secretaria Especial do Esporte, Roma reconhece que o montante pago tem a ver com os resultados obtidos pelo atleta em 2021, mas diz que irá “verificar” a situação do velocista e a possibilidade de corte do benefício. “Se ele está no programa e recebendo o Bolsa Atleta, eu acredito que possa ser cortado sim. Vou até verificar”, afirmou ele, em entrevista a VEJA. “Eu preciso checar as condicionantes para entender essa situação”. Advertência, suspensão e até o cancelamento do benefício estão previstos nos editais dos programas de assistência.

Roma defende os programas de incentivo, no entanto, e reconhece que foram primordiais para que o Brasil atingisse um volume recorde de medalhas nos últimos jogos — foram 21 medalhas na Olímpiada e 72 pódios nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2021. “A gente cresceu ouvindo que o Brasil não investia na base do esporte. Hoje, nós conseguimos vencer isso atuando muito forte justamente na base. No ano passado, mais de 85% dos atletas olímpicos e 92% dos atletas paralímpicos foram contemplados com o Bolsa Atleta ou Bolsa Pódio. Isso faz toda a diferença para eles”, diz ele, que inaugurou na última sexta-feira, 11, uma unidade da “Estação Cidadania”, projeto de apoio ao esporte para crianças e jovens, em Ribeirão Preto (SP).

No caso de Paulo André, o atleta recebe 1.850 reais por mês pelo Bolsa Atleta federal, 2.000 reais pelo Bolsa Atleta Capixaba, e um salário próximo a 5.000 reais pela patente que ocupa na Marinha. Ele ainda recebe uma quantia da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) por integrar a seleção permanente da categoria, e também se qualificou para receber o Bolsa Pódio, programa que paga de 5 mil a 15 mil reais mensais, mas não entregou os documentos para garantir o benefício.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)