Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Governo altera normas de segurança e saúde no trabalho

Planalto prevê que iniciativa proporcione um impacto positivo de 68 bilhões de reais em dez anos para as empresas

Por Reuters - 31 jul 2019, 02h28

O governo do presidente Jair Bolsonaro anunciou, nesta terça-feira 30, mudanças em três normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho, prevendo com a iniciativa um impacto positivo de 68 bilhões de reais em dez anos para as empresas.

O governo revogou a chamada NR 2, que exigia uma inspeção do trabalho prévia para abertura de negócios. Também atualizou outra norma, a NR 12, de segurança do trabalho com máquinas e equipamentos, no que o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, chamou de “um marco do início da reindustrialização do Brasil”.

O governo também alterou a NR 1, que trata das disposições gerais sobre saúde e segurança. Uma das mudanças flexibiliza a obrigatoriedade de treinar trabalhadores que mudam de emprego dentro de uma mesma atividade.

Segundo Marinho, estimativas feitas pela equipe econômica apontam que apenas a revisão da NR 12 pode reduzir em até 43,4 bilhões de reais os custos para a indústria no prazo de dez anos, refletindo em aumento entre 0,5% e 1% da produção industrial.

Publicidade

A mudança na NR 1 tem impacto estimado de 25 bilhões de reais, também em dez anos.

Publicidade