Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

GameStop sobe 70% no pré-mercado e reaviva meme stocks

Abertura de mercado: O papel sobe mais de 70% depois que um dos influencers da onda de 2021 voltou a postar sobre o tema

Por Tássia Kastner
Atualizado em 3 jun 2024, 08h11 - Publicado em 3 jun 2024, 08h10

O primeiro dia útil de junho começa a volta de um fenômeno insólito: as meme stocks. Lá na pandemia, quando a taxa de juros zerada nos Estados Unidos, e os governos distribuíam pagamentos emergenciais para pessoas que não conseguiam trabalhar, um punhado de pequenos investidores decidiu usar o tempo livre para entrar no cassino do day trade.

Eles trocavam “dicas” de investimentos no Reddit e iam com tudo nas apostas, de forma orquestrada. Tudo em um ambiente cheio de postagens engraçadinhas, daí o apelido de meme stocks. Uma ação virou símbolo máximo dessa história: a GameStop, uma rede de lojas de games. Lá em 2021 a ação saiu da faixa de US$ 1 para US$ 80 dólares.

Diz a máxima do mercado financeiro que os preços tendem ao equilíbrio. Então, essas tentativas de manipulação de mercado tendem a ter vida curta. Aconteceu com a GameStop. As ações entraram em queda livre com a volta à vida normal e a subida da taxas de juros, que drenou o dinheiro “de graça” da economia e fez com que essas apostas fossem ainda mais arriscadas. Afinal, os juros americanos estão no maior patamar em décadas.

Contrariando todas as probabilidades, a GameStop voltou a ocupar o noticiário. Na manhã desta segunda, o papel sobe mais de 70% depois que um dos influencers de 2021 voltou a postar sobre o tema. “Roaring Kitty”, o apelido do influencer no Reddit, postou o que seria uma aposta de US$ 116 milhões na alta dos preços da GameStop, numa combinação de compra de ações e contratos de opções. Não é possível checar a veracidade do investimento. O fato é que a publicação serviu de gatilho para impulsionar o papel para o espaço. A ação era cotada ao redor de US$ 40. Ainda assim, trata-se da metade do valor registrado do auge da mania das meme stocks.

Nesta segunda, os futuros de S&P 500 e Nasdaq avançam em Nova York, enquanto as bolsas europeias registram altas robustas. A principal notícia da semana é a reunião do Banco Central Europeu, que deve promover o primeiro corte de taxa de juros após a crise inflacionária gerada pelo combo pandemia + guerra na Ucrânia. A decisão deve ser importante porque deve ocorrer em contraste com o Fed, que deve empurrar a baixa de juros nos EUA para o segundo semestre.

Continua após a publicidade

Não está claro se o Ibovespa conseguirá começar a semana acompanhando as bolsas internacionais. Isso porque o minério de ferro e o petróleo, as commodities que comandam o Ibovespa, operam em queda. O ETF EWZ, que dá pistas sobre o futuro do Ibovespa, não tem referência de preços.

Além disso, a agenda hoje é fraca. Logo mais o BC divulga a pesquisa Focus que reflete expectativas de economistas para os principais indicadores da economia. De resto, saem os índices PMI (índice gerente de compras), que dá uma pista sobre a atividade econômica dos países.

Agenda do dia

8h25: BC divulga relatório Focus
10h: Brasil/S&P Global – PMI industrial de maio
10h45: EUA/S&P Global – PMI industrial de maio
11h: EUA/ISM – PMI industrial de maio
12h: Mundo/S&P Global/JPMorgan – PMI global industrial de maio
15h: Secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, testemunha no Senado

Esta é a versão online da newsletter de ‘VEJA Negócios – Abertura’ de mercado enviada hoje. Quer receber a newsletter completa, apenas para assinantes, amanhã? Cadastre-se aqui

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.