Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Funcionários do aeroporto de Guarulhos aderem à greve geral

Sindicato dos aeroviários do maior terminal do país decidiu aderir à paralisação convocada pelas centrais em protesto contra reforma trabalhista

Por Da redação 25 abr 2017, 20h33

Os aeroviários que trabalham no aeroporto de Guarulhos decidiram aderir à greve convocada pelas centrais sindicais no dia 28, em protesto contra a reforma trabalhista e da Previdência que tramitam na Câmara. A decisão foi tomada em assembleia realizada na segunda-feira.

Segundo o presidente do Sindgru, Rodrigo Maciel Silva. será mantida em atividade a porcentagem minima exigida por lei para serviços considerados essenciais, de 30% dos funcionários. Mas a categoria pretende protestar contra as propostas em discussão. “A reforma trabalhista é um ataque aos direitos dos trabalhadores. Decidimos atender ao chamado das centrais sindicais”, disse à VEJA.

Os aeroviários são os funcionários das empresas aéreas que trabalham em funções como o check-in, auxiliar de serviços gerais, mecânicos de pista.  Além dos profissionais do terminal localizado na Grande São Paulo –  o maior do país -, os aeroviários de Porto Alegre e Recife realizarão assembleias na quarta-feira para decidir se vão aderir à greve.

Na última segunda-feira, os aeronautas (pilotos e comissários) e os aeroportuários (funcionários dos aeroportos) aprovaram a entrada em estado de greve. No total, pelo menos vinte categorias profissionais decidiram entrar em greve até a tarde desta terça-feira.

A comissão especial da Câmara aprovou o relatório da reforma trabalhista na tarde desta terça após mais de cinco horas de discussão. A medida foi proposta pelo poder Executivo, e o relatório é de autoria do deputado Rogério Marinho (PSDB-RN). O texto foi aprovado por 27 votos a 10 e nenhuma abstenção, com ressalvas aos destaques incluídos no relatório durante a discussão. A previsão é que a proposta seja votada pelo plenário ainda nesta semana.

Continua após a publicidade

Publicidade