Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Funcionários da American Airlines processam empresa de uniforme

Funcionários relatam casos de mal-estar após usarem novo uniforme, lançado no ano passado

Funcionários da American Airlines estão movendo uma ação coletiva contra a fabricante dos novos uniformes da empresa, Twin Hill. A nova peça de roupa estaria causando náuseas, alergias e dores de cabeça aos trabalhadores expostos.

Mais de 70 mil funcionários estão usando o uniforme e 400 deles registraram reclamações sobre a vestimenta, de acordo com informações o site Business Insider. Foi a primeira vez em 30 anos que a empresa atualiza o guarda-roupa dos pilotos, aeromoças e atendentes.

O lançamento do novo uniforme foi anunciado em setembro de 2016 pela companhia aérea e celebrado como uma moderna coleção.

A ação movida pelos funcionários é encabeçada pela advocacia Balaban & Spielberger, com o escritório Kabateck Brown Kellner. No Facebook, uma das funcionárias da American Airline, Heather Poole, convidou outros trabalhadores da empresa que tenham sido prejudicados a se juntarem contra a fabricante Twin Hill.

As vestimentas foram fabricadas em diversos países, incluindo Sri Lanka, China, Vietnã, Bangladesh e Indonésia. Os materiais usados foram lã e poliéster para as camisas masculinas e algodão nas blusas femininas.

Em defesa, a Twin Hill encaminhou e-mail para a American Airlines. A empresa defendeu as peças de roupa e afirmou que mais de cinco milhões de pessoas usam uniformes da Twin Hill para ir trabalhar diariamente. “Somos uma empresa que põe os usuários em primeiro lugar: priorizamos segurança, conforto e qualidade acima de tudo. Estamos extremamente preocupados com as reclamações que começaram a aparecer sobre as reações de seus funcionários”, disse a empresa.

Em 2013, a fabricante se envolveu em um caso parecido. Aeromoças da Alaska Airlines reclamaram de dores de cabeça, irritação na pele e respiratória após exposição ao uniforme da empresa. Três anos depois, a Twin Hill foi considerada inocente, quando testes não puderam comprovar os sintomas relatados.

A American Airlines informou à VEJA que dará início a um processo para escolha de uma nova fornecedora de uniformes, mas afirmou que não foi notificada formalmente sobre a ação movida pelos funcionários. “Segurança é e permanece sendo nossa prioridade número um e nós nunca pediríamos a nossa equipe que usassem uniformes inseguros. Nós providenciamos muitas alternativas para quem estiver preocupado com o uniforme atual”.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Isso aí é descoolpa para processar a empresa aérea e arrancar uma grana. 400 pessoas de 70 mil é 0,5% dos funcionários. Desses 400, talvez 100 entraram com um processo, o que dá 0,1% dos funcionários.

    Curtir

  2. Eu, por exemplo, tive uma pequena empresa. Já assinei umas 50 carteiras. Levei uns 10 processos trabalhistas nas costas, com as descoolpas mais esfarradas possíveis, só pelo fato de arrancarem mais dinheiro de mim.

    Curtir