Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Focus: mercado aumenta projeção de crescimento após alta do PIB

Os analistas subiram a previsão para 2017, de 0,39% para 0,50%; o resultado do 2º trimestre, divulgado pelo IBGE na sexta, foi considerado positivo

Por Da redação Atualizado em 4 set 2017, 09h39 - Publicado em 4 set 2017, 09h35

Os analistas do mercado financeiro subiram a projeção de crescimento da economia em 2017, de 0,39% para 0,50%, segundo o Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira. A alta nessa estimativa é a segunda consecutiva, e ocorre após a divulgação do resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo semestre. O crescimento de 0,2% no período, divulgado pelo IBGE na última sexta-feira, foi considerado positivo pelos economistas.

A previsão do Focus para o crescimento da economia no ano que vem permaneceu inalterada pela nona semana consecutiva, em 2%.

Em relação à inflação, os analistas consultados para o boletim voltaram a reduzir as expectativas para o avanço dos preços. A revisão ocorre na semana em que há decisão sobre os juros. As estimativas para o IPCA em 2017 caíram de 3,45% para 3,38%, segunda queda consecutiva. E, para o ano que vem, baixaram de 4,20% para 4,18%. O centro meta da inflação estabelecida pelo governo para este ano é de 4,5% – com a margem de tolerância, ela pode variar entre 3% e 6%.

Além do IPCA, que é o índice oficial usado pelo governo, houve queda nas estimativas dos economistas para os outros três indicadores de inflação analisados no Focus: o IPC-Fipe (de 3% para 2,99%), o IGP-M (de -0,76% para -0,86%) e o IGP-DI (-1,04% para -1,07%). Os quatro índices são usados pelo mercado para monitorar o comportamento dos preços. Os números são diferentes entre si pois as metodologias e as instituições responsáveis pelos cálculos são distintas.

A inflação em ritmo mais fraco tem motivado o Copom a reduzir a taxa básica de juros – a Selic -, atualmente em 9,25% ao ano. O Comitê se reúne entre os dias 5 e 6 para deliberar sobre o assunto. A expectativa do mercado, segundo o Focus, é que haja um novo corte, para 8,25%. As estimativas para a Selic ao fim de 2017 e 2018 permanecem em 7,25% e 7,50%, respectivamente.

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)