Clique e assine a partir de 9,90/mês

Indicado para comandar privatizações, Salim Mattar doou para Onyx e Zema

Futuro ministro-chefe da Casa Civil recebeu 100 mil reais; governador eleito de MG, 700 mil

Por Machado da Costa - Atualizado em 23 Nov 2018, 16h48 - Publicado em 23 Nov 2018, 14h54

Salim Mattar, empresário que deve estar à frente de todas as privatizações do próximo governo, foi o quarto maior doador individual de campanha nas eleições de 2018. Entre os agraciados com os recursos, estão Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que será o ministro-chefe da Casa Civil, e Romeu Zema, governador eleito de Minas Gerais. Mattar, dono da locadora de veículos Localiza, repassou, no total, 2,92 milhões de reais para 28 candidaturas.

O empresário aceitou o convite feito pelo futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, para assumir a Secretaria Geral de Desestatização e Desimobilização. Será essa a pasta responsável por levantar mais de 500 bilhões de reais com a venda de empresas estatais durante o governo de Jair Bolsonaro. O trabalho é estratégico: a venda dos ativos é uma das saídas propostas por Guedes para cobrir o rombo fiscal do país.

Mattar foi o terceiro maior financiador de Onyx Lorenzoni, reeleito deputado federal. Ao todo,o futuro ministro-chefe da Casa Civil recebeu 663 mil reais de doadores individuais, além da fatia de 1 milhão de reais do fundo partidário do DEM. Destes, 100 mil saíram do bolso do dono da Localiza, que também fez repasses à campanha do filho do político – Rodrigo Marques Lorenzoni (DEM-RS) concorreu para deputado estadual, mas não venceu.

O empresário foi o maior doador da campanha do governador eleito de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), que recebeu 700 mil reais. Nove candidatos do Novo receberam recursos.

Continua após a publicidade

Entre outros políticos beneficiados por Mattar estão Kim Kataguiri (DEM-SP), Arthur “Mamãe Falei” do Val (DEM-SP), com 50 mil reais cada um, e Marcel Van Hattem (Novo-RS), com 100 mil reais.

Velhos nomes do Congresso também captaram recursos. Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente da Câmara dos Deputados, utilizou 200 mil reais para se reeleger. Ricardo Ferraço (PSDB-ES), que concorria a reeleição ao Senado, não fez valer outros 200 mil reais doados pelo empresário. O mesmo destino teve Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), que não conseguiu se reeleger ao Senado, mesmo tendo recebido 200 mil reais.

Mattar é fundador e presidente do conselho da Localiza, uma das maiores locadoras de veículos do país. O dono do império de 18 bilhões de reais já está há algum tempo envolvido na política. Em 2014, realizou doações de campanha que somaram 1,75 milhão de reais. À época, os recursos foram destinados para as campanhas de Carlos Melles e Gustavo Correa, do DEM, Cássio Cunha Lima, do PSDB, e Marcel Van Hattem, que estava no PP à época.

O empresário é membro do Instituto Millenium, organização criada por Guedes e outros economistas para promover o liberalismo. Suas associações demonstram que o empresário tem fortes convicções liberais. Ele também foi um dos fundadores do Instituto de Formação de Líderes (IFL).

Publicidade