Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

CPI da Pandemia: Carlos Bolsonaro participou de reunião com a Pfizer

Vereador e Filipe Martins, assessor de assuntos internacionais da Presidência, participaram de encontro com Secom e diretoria jurídica da Pfizer em dezembro

Por Larissa Quintino Atualizado em 13 Maio 2021, 16h10 - Publicado em 13 Maio 2021, 13h38

O vereador pelo Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro (Republicanos), o filho ‘zero dois’ do presidente Jair Bolsonaro, esteve presente em uma reunião com a Pfizer na Secretaria de Comunicação do governo. Em dezembro, a diretora jurídica da empresa, Shirley Meschke, se reuniu com o ex-secretário Fábio Wajngarten. Segundo Carlos Murillo, em depoimento na CPI da Covid, além do vereador, esteve presente Filipe Martins, da Assessoria Internacional da Presidência.

Murillo afirma que não estava na reunião, que foi pedida pela própria empresa e conduzida pelo departamento jurídico para explicar cláusulas do contrato. A pedido do relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), que pediu detalhes a empresa sobre quem participou do encontro, Murillo disse não saber mas afirmou que buscaria informações. Pouco mais de duas horas após o início de sua oitiva, ele leu um documento enviado pela empresa que continha a informação da reunião feita no gabinete de Wajngarten. Após o início do encontro, Wajngarten recebeu uma ligação e Carlos Bolsonaro e Filipe Martins entraram na sala. Ainda segundo o documento lido por Murillo, o vereador permaneceu pouco tempo na reunião.

Na véspera, Wajngarten relatou o encontro com a Pfizer em seu gabinete, mas disse não se lembrar quem havia participado, quando questionado da presença de Carlos Bolsonaro e Martins.

LEIA TAMBÉM: Wajngarten confirma que governo ignorou oferta de vacina da Pfizer

As tratativas da Pfizer com Wajngarten começaram em novembro, após o então secretário procurar a matriz da empresa sobre o andamento das negociações. Segundo Murillo, as tratativas com Wajngarten ocorreram para tentar coordenar o contato com o governo brasileiro, mas negociações e detalhes sobre contrato, cronograma e entrega das doses continuaram a ser feitas com o Ministério da Saúde. A primeira oferta de vacina foi feita pela empresa em agosto de 2020.

Continua após a publicidade
Publicidade