Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Correios reduzem prejuízo, mas encerram 2023 com perdas de R$ 597 mi

Foi o segundo ano consecutivo com resultado no vermelho; expectativa das empresa é voltar a dar lucros em 2024

Por Juliana Elias Atualizado em 8 Maio 2024, 12h03 - Publicado em 28 mar 2024, 13h27

Os Correios fecharam 2023 com um prejuízo de 597 milhões de reais, de acordo com relatório de resultados divulgado nesta quinta-feira, 28. É o segundo ano consecutivo com as contas no vermelho, embora em trajetória de melhora: o resultado ficou 22% acima das perdas de 768 milhões de reais registradas em 2022.

A receita teve queda de 1,8%, para 21,67 bilhões de reais, enquanto as despesas caíram 2,5%, para 22,26 bilhões de reais.

A expectativa da estatal é que, em 2024, o resultado possa voltar para o positivo, com uma perspectiva de lucros da ordem de 150 milhões de reais. Entre os fatores que causam o prejuízo, a empresa apontou a redução nas entregas de encomendas internacionais, que tiveram queda após a entrada em vigo do programa Remessa Conforme. O relatório também aponta o que chamou de “evasão de postagens e clientes devido ao processo de privatização dos Correios, implementado no governo anterior”, ou seja, a perda de clientes que argumenta ter sido herdada da gestão passada. Juntos, esses elementos reduziram em mais de 1 bilhão de reais as receitas do ano, informou a companhia.

O governo de Jair Bolsonaro chegou a estruturar e aprovar na Câmara dos Deputados, em 2021, o projeto que abria caminho para a privatização dos Correios. O texto acabou parado depois no Senado e não vingou. Logo que Luiz Inácio Lula da Silva assumiu a Presidência da República, no início de 2023, a empresa foi tirada da lista de privatizações.

“A diretoria executiva da empresa conseguiu resgatar clientes importantes que haviam sido perdidos durante o governo anterior e trabalhou para a inclusão dos Correios no Novo PAC (que irá permitir o investimento de mais de R$ 800 milhões em infraestrutura até 2026) e para a aprovação de projetos de lei que vão trazer mais recursos para o caixa, como a legislação que estabelece a contratação prioritária dos Correios pelos órgãos públicos federais”, informaram os Correios em comunicado.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.