Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Conta de luz deve subir 5,6% em média em 2024, estima Aneel

Previsão é superior à projeção para o IPCA, de 3,9%, e deve pressionar o índice; em 2023, conta subiu 5,9%, abaixo do esperado pela agência, de 6,8%

Por da Redação
Atualizado em 23 jan 2024, 16h36 - Publicado em 23 jan 2024, 16h04

A conta de luz deve subir, em média, 5,6% em 2024, indica projeção da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta terça-feira, 23.

 A estimativa está acima da inflação projetada para o ano. Segundo o Boletim Focus, que compila projeções do mercado financeiro, o IPCA deve encerrar o ano em 3,86%. Os preços administrados, categoria na qual a conta de luz está inserida, devem subir 4,16% no ano, segundo os analistas.

A VEJA, a agência disse em nota que a estimativa leva em conta o aumento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) que engloba quase a totalidade dos subsídios do setor — com  aumento de 35 bilhões de reais em 2023 para 37 bilhões em 2024, em proposta que está em consulta pública. Além disso, a agência diz que há “finalização da devolução dos recursos de PIS e COFINS nas tarifas onde o maior montante foi devolvido ano passado e no ano de 2022 e o aumento dos custos da expansão da transmissão de energia elétrica”. 

“É fato que a tarifa não reduziu mais porque os contratos de distribuição possuem encargos setoriais de geração e transmissão que precisam ser pagos conforme aprovação em lei, e também pelo fato de que, no ano passado, conseguimos aliviar a tarifa do consumidor de energia elétrica em função de alguns componentes de custo que este ano vão sair da conta e não mais servirão para reduzir a conta de energia elétrica”, disse Sandoval Feitosa, O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em entrevista ao canal CNN

Aumentos

A Aneel reajusta anualmente as tarifas de energia cobradas pelas distribuidoras, na data de aniversário de concessão. Os ajustem levam em conta fatores como o custo da geração e transmissão de energia e encargos do setor. A inflação no período e os custos de operação da distribuidora também entram no cálculo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.