Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Conselho da Usiminas aprova proposta de aumento de capital de R$ 1 bilhão

Aumento de capital é considerado essencial para evitar que a maior produtora de aços planos do Brasil seja forçada a pedir recuperação judicial

Por Da Redação 14 mar 2016, 08h41

O Conselho de Administração da Usiminas aprovou uma proposta de aumento de capital no valor de 1 bilhão de reais mediante a emissão de 200 milhões de novas ações ordinárias, ao preço de emissão de 5 reais por papel, de acordo com fato relevante divulgado pela empresa na noite de sexta-feira.

O aumento de capital é considerado essencial para evitar que a maior produtora de aços planos do Brasil seja forçada a pedir recuperação judicial diante de sua frágil situação financeira.

A proposta será submetida à Assembleia Geral Extraordinária da companhia, ainda a ser convocada, e está condicionada à celebração de acordo pela Usiminas com seus principais credores.

Durante reunião do conselho da siderúrgica na sexta-feira, foram discutidas duas propostas de aumento de capital: a vencedora, apresentada pela japonesa Nippon Steel, e outra sugerida pela ítalo-argentina Techint. Os dois grupos dividem o controle da siderúrgica brasileira.

O compromisso do grupo Nippon Steel de subscrever até 1 bilhão de reais na operação também está condicionado à celebração de acordos com credores que devem prever o alongamento da dívida e a concessão de prazo de carência.

Continua após a publicidade

A proposta da Techint ainda voltará a ser apresentada na assembleia para discutir o aumento de capital. A proposta prevê aumento de capital de até 563 milhões de reais, mediante emissão de até 100 milhões de ações ordinárias e até 100 milhões de ações preferenciais classe “A”, ao preço de 4,35 reais por ação ordinária e 1,28 real por ação preferencial classe A.

Nova reunião do conselho será realizada em 18 de março para deliberar sobre a convocação da Assembleia Geral Extraordinária e sobre o pedido apresentado pela Techint.

Leia mais:

Apenas combater a corrupção não vai consertar a economia, diz Samuel Pessoa

Na pauta do Supremo, a análise do ritmo do impeachment

(Com Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)