Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Comissão Europeia espera resultado positivo de reunião dos líderes gregos

Por Da Redação 8 fev 2012, 11h26

Bruxelas, 8 fev (EFE).- A Comissão Europeia reafirmou que o fechamento de um acordo com os principais partidos da coalizão ‘está nas mãos das autoridades gregas’ e disse esperar que a reunião desta quarta-feira entre as partes termine satisfatoriamente.

‘Esperamos um resultado positivo’ da reunião entre o primeiro-ministro grego, Lucas Papademos, e os líderes dos partidos da coalizão governamental sobre a resposta às exigências da ‘troika’, formada pela Comissão Europeia, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Central Europeu (BCE), disse o porta-voz comunitário para Assuntos Econômicos, Amadeu Altafaj.

O porta-voz da União Europeia (UE) reafirmou que as autoridades gregas têm a responsabilidade de fechar o acordo e conseguir o sinal verde dos ministros de Finanças da zona do euro no segundo resgate.

A reunião tem que produzir resultados ‘concretos’ que depois possam ser analisados pelo Eurogrupo, destacou Altafaj, que explicou que não deve haver apenas um acordo com os credores privados, mas também ‘clareza’ sobre o segundo resgate e as ‘ações prévias’ de aplicação dos ajustes e reformas estipuladas.

As negociações da Grécia com a troika e os principais partidos da coalizão foram nesta quarta-feira alvo de análise no colégio de comissários, onde ‘todos’ apoiaram plenamente a política da Comissão Europeia para o país.

‘Houve um apoio claro, pleno e ativo e um grande compromisso com a política e o trabalho do vice-presidente e comissário para Assuntos Econômicos e Monetários, Olli Rehn, e do presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, sobre a Grécia’, disse a porta-voz comunitária Pia Ahrenkilde em sua entrevista coletiva diária.

A vice-presidente da Comissão e comissária da Agenda Digital, Neelie Kroes, afirmou na reunião que suas declarações dadas a um jornal holandês, ao qual disse que a zona do euro ‘não afundaria’ se deixasse a Grécia para trás, foram ‘mal interpretadas’.

‘Não é um cenário que desejamos contemplar. Queremos que a Grécia continue no euro’, acrescentou Pia. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade