Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Congresso começa a votar Previdência no 1º semestre, diz Bolsonaro

Para aprovar alteração mais rapidamente, presidente eleito cogita usar proposta de Michel Temer

Por Machado da Costa Atualizado em 5 dez 2018, 16h08 - Publicado em 5 dez 2018, 15h11

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou desejar que os primeiros pontos de sua reforma da Previdência já estejam aprovados até o final do primeiro semestre de 2019. Segundo ele, parlamentares serão convidados para discutir uma reforma possível, principalmente a criação de uma idade mínima, para desenvolver um texto que passe mais rapidamente pelo Congresso.

“Nos primeiros seis meses, o Congresso começará a votar essas propostas. Antes de mandar qualquer proposta, vou convidar os líderes partidários para discutir, vou convidar suas respectivas assessorias técnicas, para que, quando [a reforma] for enviada, pouca coisa tenha que ser alterada”, disse.

Para isso, ele cogita a usar a proposta encaminhada por Michel Temer, que tem Arthur Maia (DEM-BA) como relator. “O grande problema nosso, o que mais interessa num primeiro momento, é a idade mínima. [Restringir a reforma] não significa que houve recuo, só mais negociação. A proposta que está aí, conversando com o relator, começaria votando a idade mínima logo agora em dezembro. Uma ‘reformazinha’, com PEC, sem aquele todo trâmite de várias sessões até chegar ao plenário.”

Bolsonaro defende fatiar a reforma da Previdência para facilitar sua aprovação. Mais de um projeto será encaminhado ao Congresso no início do mandato. Os novos deputados e senadores tomam posse em 1º de fevereiro do próximo ano.

Um dos projetos tratará da aposentadoria de servidores públicos. Será criada uma idade mínima de 65 anos para funcionários que ingressaram no serviço público após 2004. Caso o projeto que já tramita no Congresso seja descartado, o texto também deve prever a criação da idade mínima de 65 anos para as aposentadorias do setor privado.

Atualmente, não há idade mínima para a aposentadoria por tempo de contribuição, que pode ser obtida com 35 anos de recolhimentos ao INSS, para homens, e trinta anos, para mulheres.. Por idade, é possível conseguir a aposentaria aos 65 anos, para homens, e 60 anos, para mulheres, com, no mínimo, quinze anos de contribuição à Previdência.

O rombo do Regime Próprio de Previdência dos Servidores da União (RPPS) foi de 86,34 bilhões de reais em 2017, uma alta de 11,9% em relação ao ano anterior. Já o déficit do INSS, meio pelo qual os trabalhadores da iniciativa privada se aposentam, foi de 182,45 bilhões de reais no ano passado.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês