Clique e assine com até 92% de desconto

Bolsonaro batiza o primeiro Gripen F-39E, o novo caça da FAB

Transferência de tecnologia permite a produção de 15 unidades no Brasil; pacote de 36 caças foi comprado em 2013 por Dilma, mas operação ainda é investigada

Por Diego Gimenes Atualizado em 23 out 2020, 17h49 - Publicado em 23 out 2020, 17h37

Em comemoração ao Dia do Aviador, comemorado em 23 de outubro, a Força Aérea Brasileira (FAB) apresentou oficialmente, na manhã desta sexta-feira, o primeiro caça modelo F-39E Gripen, que adquiriu da sueca Saab. Em uma cerimônia realizada em Brasília e que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro, a aeronave fez um voo sobre a base aérea da cidade após a exibição da Esquadrilha da Fumaça. Participaram da solenidade o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, o comandante da FAB, Tenente-Brigadeiro Bermudez e o presidente da Saab, Micael Johansson. Bolsonaro também recebeu uma placa celebrando a parceria sueco-brasileira das mãos de Marcus Wandt, piloto-chefe de testes da Saab e, por fim, estourou um champanhe na aeronave para realizar o tradicional ‘batismo’.

Jair Bolsonaro recebe placa celebrando a parceria sueco-brasileira das mãos de Marcus Wandt, piloto-chefe de testes da Saab Rachel Almeida/Saab/Divulgação

“Fomos capazes de colocar no ar dois vetores que podem transformar de forma irreversível nossa operacionalidade, nossa capacidade logística e de afirmar nossa superioridade nos 22 milhões de km² de espaço aéreo, indispensável à nossa soberania. É uma demonstração cabal de que, com liberdade e comprometimento, o sonho de nosso povo está ao alcance de todos”, afirmou o presidente durante a cerimônia. A aeronave é a primeira de um pacote de 36 unidades que foi adquirido pelo Brasil, sendo que as 15 últimas serão produzidas em território brasileiro, graças à transferência de tecnologia escandinava para a Embraer e fornecedores da cadeia de suprimentos local.

Os caças foram comprados em 2013 pelo governo Dilma Rousseff, a um custo de 17 bilhões de reais, financiados em 25 anos. As condições do negócio ainda são apuradas pela Operação Zelotes. A suspeita é de que o ex-presidente Lula e o ex-chanceler Celso Amorim fizeram tráfico de influência em favor da Saab. Ambos negam as acusações. O julgamento ainda não foi realizado.

Gripen F-39E pousa em Brasília durante evento em celebração ao Dia do Aviador e Dia da Força Aérea Brasileira – Rachel Almeida/Saab/Divulgação

A aeronave chegou ao país pelo mar no final de setembro, pois ainda não estava apta para voo. À época, o translado entre o porto de Navegantes (SC) e o aeroporto da cidade, feito durante a madrugada, atraiu a atenção de centenas de curiosos, que acompanharam o trajeto de aproximadamente dois quilômetros pelas estreitas ruas da cidade catarinense. O transporte foi realizado sob um forte esquema de segurança, composto por 140 policiais militares de três cidades vizinhas, do Batalhão de Choque, guardas municipais, além de militares da própria Aeronáutica e trabalhadores do aeroporto. No local, o caça recebeu as últimas peças e partiu, em seu primeiro voo no Brasil, para a unidade de fabricação de aeronaves da Embraer, em Gavião Peixoto (SP).

Por lá, as atividades incluem testes nos sistemas de controle de voo e de climatização. Além dos ensaios, serão testadas no Brasil algumas características únicas das aeronaves brasileiras, como integração de armamentos e o sistema de comunicação Link BR2 — que fornece dados criptografados e comunicação de voz entre as aeronaves. A FAB prevê substituir toda a frota atual, composta pelos caças americanos F-5 e os Mirage 2000, pelas aeronaves suecas, que são mais modernas, possuem custos operacionais menores e são consideradas mais eficientes.

  • Desde 2014, mais de 350 técnicos e engenheiros brasileiros participam, na Suécia, de treinamentos teóricos e práticos para adquirirem o conhecimento necessário para a execução das mesmas tarefas no Brasil. Até o momento, mais de 230 profissionais já concluíram os cursos e a maior parte deles já voltou ao país para trabalhar no Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen. A partir de 2021, a montagem completa de 15 aeronaves terá início localmente. Os caças são capazes de voar a uma velocidade máxima de 2.400 km/h. “É uma grande honra ver o Gripen na cerimônia alusiva ao Dia do Aviador e ao Dia da Força Aérea Brasileira. Acredito que não há ocasião mais representativa para essa apresentação, pois, certamente, significa muito para todos os aviadores brasileiros ter a aeronave voando nos céus do país. Esse é o resultado de uma colaboração real entre Brasil e Suécia, e uma grande oportunidade para estreitar ainda mais os laços entre os países”, disse Micael Johansson, CEO e presidente da Saab. Os primeiros caças serão entregues à Força Aérea Brasileira em Anápolis (GO), a partir do final de 2021.

    Continua após a publicidade
    Publicidade