Clique e assine a partir de 8,90/mês

Bolsa tem queda leve mesmo após Brasil perder grau de investimento

Após abrir em forte baixa, bolsa brasileira reduziu perdas, com investidores em busca de oportunidades um dia após o país perder selo de bom pagador

Por Da Redação - 10 set 2015, 18h34

A Bovespa teve uma queda comedida nesta quinta-feira, 10, a despeito da perda do grau de investimento pelo Brasil, anunciada na quarta-feira, 9, pela Standard and Poor’s (S&P). Durante o dia, o Ibovespa, principal índice, operou em alta por alguns momentos, com investidores em busca de oportunidades e uma sensação de que o fundo do poço já pode ter sido alcançado – ou estar bem perto. No fim, a bolsa brasileira terminou a sessão em baixa de 0,33%, aos 46.503,99 pontos. Na mínima, marcou 45.592 pontos (-2,28%) e, na máxima, 46.819 pontos (+0,35%). No mês, acumula perda de 0,26% e, no ano, de 7,01%. O giro financeiro totalizou R$ 7,870 bilhões.

O piso da sessão foi registrado logo após a abertura dos negócios, num forte movimento de correção. A partir disso, a trajetória melhorou e o Ibovespa foi evoluindo até marcar sua máxima, em alta, no começo da tarde.

Segundo um operador, a maior parte da perda da nota de bom pagador do Brasil já tinha sido antecipada pela Bovespa e, hoje, restou pouco a ser ajustado. Por fim, houve abertura de oportunidades. “O mercado vive de oportunidades e elas apareceram na sessão de hoje”, comentou um profissional da mesa de renda variável para justificar a melhora ao longo da sessão.

A entrevista que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deu, no meio da tarde, não chegou a influenciar os negócios, embora na ocasião a Bovespa tivesse dado uma pequena piorada. O titular da Fazenda defendeu aumento de impostos para cobrir o rombo do orçamento de 2016, cobrou a sociedade a dar sua contribuição e se comprometeu com o ajuste fiscal e a meta para 2016.

Entre as blue chips, as ações mais negociadas, Petrobras ON (com direito a voto) caiu 3,82% e a PN (sem direito a voto), 5,01%. A S&P também rebaixou o rating da estatal, de BBB- para BB, que agora perdeu seu grau de investimento por essa agência.

Continua após a publicidade

Na contramão, Vale e siderúrgicas foram beneficiadas pela alta do dólar e do preço do minério e estiveram entre os destaques positivos do dia. Vale ON terminou com valorização de 4,62% e Vale PNA, de 4,17%.

Leia mais:

Standard & Poor’s tira selo de boa pagadora também da Petrobras

Após ultrapassar R$ 3,90, dólar perde fôlego e fecha a R$ 3,85

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade