Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Black Friday alcança 3,9 bilhões de reais e já supera estimativa da CNC

Volume já representa alta de 5% em relação a todo o dia do ano passado; valor médio de compra está em 707 reais

Por Luana Meneghetti Atualizado em 26 nov 2021, 22h01 - Publicado em 26 nov 2021, 18h45

A Black Friday, tradicional data de promoções no comércio eletrônico e físico, já movimenta mais de 3,9 bilhões reais no final da tarde desta sexta-feira, prestes ao horário de encerramento do varejo físico. Isso representa uma alta de 5% em relação ao ano passado, na comparação desde o início da meia-noite de sexta.

O faturamento já supera o previsto pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), que estimou um volume de 3,93 bilhões de reais, mas ainda está longe da previsão mais otimista da Neotrust, empresa de pesquisa para o varejo online, que antevia um faturamento de 6,1 bilhões de reais para a data. O faturamento está sendo beneficiado por conta do aumento do tíquete médio, que está subindo acima dos 5% em relação ao do ano passado, atingindo 707 reais.

O segmento de moda e acessórios e o de beleza e perfumaria representam as maiores vendas. A informação surpreende, em momento em que a inflação corrói o poder de compra das famílias, e era esperada uma procura maior por itens de necessidade básica.

A participação das pequenas e médias empresas também chama a atenção. Segundo Alejandro Vázquez, executivo-chefe de operações e cofundador da Nuvemshop, plataforma de e-commerce com foco em pequenos e médios empreendedores, até o momento o faturamento é bastante positivo e superior ao do ano passado. Essas categorias de empresas já movimentaram 10,8 milhões de reais com e-commerce nas primeira doze horas de Black Friday, montante 13% superior ao registrado no ano passado, de 9,6 milhões.

A Nuvemshop também divulgou que o PIX, que faz sua estreia na Black Friday, representa 9% dos meios de pagamentos nas vendas, enquanto o pagamento com boletos recua 3%. No entanto, a preocupação com fraudes é grande. Até o momento, teriam sido evitadas 74.715.189,35 milhões de fraudes. De acordo com a ClearSale, empresa especializada em segurança da informação, as tentativas de fraude devem ter um aumento de 52% no e-commerce, neste ano. Em quantidade de tentativas, em 2020, houve 22.467 mil pedidos fraudulentos. Para 2021, a estimativa é que o e-commerce registre 34.089 mil deles. 

Continua após a publicidade

Publicidade