Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

A operação de Zuckerberg para salvar o Instagram

Após resultados sombrios da Meta, empresa recorre a um dos primeiros recursos da rede social para tentar desbancar o TikTok

Por Luana Meneghetti Atualizado em 24 mar 2022, 21h33 - Publicado em 24 mar 2022, 10h59

Numa crise avassaladora, a Meta Plataforms, antigo Facebook, viu o anúncio de resultados relativos ao quarto trimestre de 2021 lançar uma sombra sobre o seu futuro. Pela primeira vez em seus dezoito anos, a empresa de Mark Zuckerberg, que reúne as redes sociais Facebook, Instagram e WhatsApp, registrou queda no número de usuários. A derrocada impulsionou a companhia a adotar uma nova estratégia em uma operação para salvar o Instagram, que ganhou com o TikTok um rival de peso na disputa pela preferência do público.

A mudança se trata de novas configurações para o feed, que volta a ter a opção de ordem cronológica, como era no início da rede social. Além do feed atual, os usuários poderão montar outros dois feeds por meio das opções “seguindo” e “favoritos”. Em ambos, o feed segue a ordem cronológica, mas só aparecem as publicações de quem o usuário segue e mais interage ou aqueles que o usuário escolheu como preferência para visualizar os conteúdos. O formato atual do feed será mantido na página inicial da rede social, da mesma forma que funciona hoje. Atualmente, ele é organizado por um algoritmo que combina publicações de acordo com o interesse dos usuários, com base no comportamento e perfil do usuário na rede.

Com perda de popularidade entre os mais jovens, a Meta vinha tentando impulsionar o Reels, uma funcionalidade do Instagram que é uma cópia do TikTok. Mas, não tem funcionado. Além da dificuldade de monetizar o Reels, o rival TikTok se tornou o aplicativo mais baixado do mundo nos últimos dois anos, tirando o reinado das três redes da Meta. Ainda sem conseguir impulsionar o Reels, a companhia passa a focar na força principal do Instagram: o feed. A mudança visa a atender ao pedido do público, que vinha reclamando do atual formato baseado em algoritmo, e pedia pela volta das publicações em ordem cronológica.

A mudança já estava prevista no calendário da companhia de Zuckerberg. O CEO da plataforma, Adam Mosseri, anunciou as alterações em janeiro, em um vídeo realizado em seu próprio perfil no Instagram, mas a atualizações ficaram disponíveis aos usuários nesta quarta-feira, 23.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)