Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Radar

Por Gustavo Maia (interino) Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

A otimista previsão de Haddad sobre a regulamentação da reforma tributária

O ministro da Fazenda e o líder do governo, José Guimarães, cravaram que projeto terá mais de 400 votos na Câmara

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO 2 jul 2024, 12h18

Depois de receber deputados de uma comissão que discute um dos projetos de regulamentação da reforma tributária na Câmara, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse que a votação das propostas deverá ser mais tranquila que a da PEC aprovada no ano passado, que foi “muito mais difícil”. E disse concordar com o prognóstico do líder do governo Lula na Casa, José Guimarães (PT-CE), de que os projetos terão mais de 400 votos.

“Olha, se tem um processo suprapartidário que está acontecendo no Brasil, é o da reforma tributária. Você não consegue nem distinguir um parlamentar do outro, um partido. Está todo mundo empurrando para o mesmo lado, de pacificar esse país em relação a isso, de diminuir litigiosidade, aumentar a transparência, fazer todo mundo pagar para pagar menos, a cesta básica, o consumo popular ter uma incidência menor de alíquota, está todo mundo na mesma linha, todo mundo concorda nesses princípios”, comentou Haddad, na saída do encontro, ao lado dos parlamentares.

Questionado sobre a expectativa de aprovação, ele lembrou que o governo conseguiu aprovar uma emenda constitucional. “Foi muito mais difícil. Agora são detalhes perto do que já foi discutido. Os temas centrais já estão na Constituição. Agora, o que entra aqui, o que entra lá, é detalhe. Não é isso que vai impedir. E outra, é uma votação só, 257 votos, então está tudo bem mais tranquilo”, declarou o ministro

“Podem cravar, vai ser mais de 400 votos”, comentou Guimarães.

“Bom, a emenda constitucional beirou os 400 votos. Essa aqui está mais tranquila do que a emenda constitucional. Eu concordo”, conclui Haddad.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.