Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Econômico Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por Pedro Gil (interino)
Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes e Felipe Erlich
Continua após publicidade

Fraudes aumentaram para 36% dos varejistas em 2022 e elevam risco

Um a cada quatro consumidores foi vítima das ações criminosas, perdendo mais de 800 reais em média

Por Felipe Erlich Atualizado em 14 Maio 2024, 00h10 - Publicado em 20 jul 2023, 13h13

Para 36% dos varejistas, o ano de 2022 foi marcado por um aumento em tentativas de fraudes no Brasil, já consideradas o segundo maior risco para os negócios do setor, atrás apenas da redução do poder de compra causada pela inflação. Os dados são do Relatório Varejo 2023, levantamento realizado pela plataforma de pagamentos Adyen em parceria com as consultorias globais Opinium Research e Censuswide. Também é detalhado que o golpe mais comum contra os comerciantes é a réplica do site das empresas a fim de manipular seus clientes, com mais de um terço dos varejistas — ou 35% deles — afirmando terem sofrido esse tipo de ataque.

O crescimento desse tipo de ação criminosa tem estimulado investimentos por parte dos varejistas, além de causar prejuízos financeiros. Mais da metade dos participantes da pesquisa — 51%)l dos entrevistados — afirmam que estão dobrando seu número de funcionários no setor de fraude e risco em 2023, a mesma porcentagem que diz que transações fraudulentas e estornos são fatores significativos para o custo do negócio. “Estar um passo à frente e sempre atento às ações dos criminosos virtuais é vital para os negócios. Contar com ferramentas de proteção eficazes para dar segurança a informações sensíveis da empresa e dos clientes ainda é o melhor caminho”, diz Thais Fischberg, CEO da Adyen na América Latina.

Já em relação a como os consumidores são afetados pelo problema, o levantamento aponta que um em cada quatro brasileiros (26%) diz ter sido vítima de fraude ao longo do último ano, com uma média de prejuízo de 853 reais por pessoa. Como resultado das constantes tentativas de fraudes, o brasileiro estaria receoso em relação ao ambiente digital. Cerca de 68% acreditam que o risco de fraude torna as compras online menos atraentes. Outros 38% são conservadores na hora de adotar novas formas de pagamentos ou hábitos de consumo digital por medo de fraudes, enquanto 31% não permitem que seus dispositivos lembrem seus detalhes de pagamento como precaução.

Siga o Radar Econômico no Twitter

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.