Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Econômico

Por Pedro Gil (interino)
Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes e Felipe Erlich
Continua após publicidade

Com vaivém de restrições em SP, Justiça volta a conceder corte em aluguéis

Em decisão, desembargador afirma que medidas impossibilitam utilização adequada do imóvel e garante corte de 50% no custo da locação

Por Machado da Costa Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 15 fev 2021, 13h07 - Publicado em 15 fev 2021, 11h57

A Justiça de São Paulo está retomando o entendimento de que aluguéis comerciais na capital devem ser reduzidos devido às diferentes fases de restrição, ora vermelha, ora laranja — atualmente está na fase amarela —, impostas pelo governo do Estado. Decisões proferidas, principalmente na segunda instância, já estão garantindo aos locatários de bares e restaurantes até 50% de redução no valor das locações. Um dos casos é o do Café Creme, tradicional bar presente na Avenida Paulista desde 1988. “É inegável que efetivamente foi reconhecido o estado de calamidade pública e é notório que, em razão da adoção de medidas restritivas de emergência, direcionadas ao enfrentamento da pandemia da covid-19, em especial o isolamento social, geraram a impossibilidade de utilização adequada do imóvel objeto da locação”, escreveu o desembargador Antonio Rigolin ao conceder liminar em favor do estabelecimento com corte de 50% no valor do aluguel.

A ação foi proposta pelo advogado João Maia Correa Joaquim, do escritório Maricato Advogados Associados, para quem a redução de aluguéis é imposição de bom senso e beneficia locador e locatários, além da economia como um todo, da oferta de empregos, tributos, serviços e demais benefícios propiciados pelo comércio. “De fato, a redução do aluguel, alguns obtidos amigavelmente, outros judicialmente, tem permitido aos restaurantes respirar e sobreviver. Muitos não conseguiram, fecharam as portas e assim também os locadores foram prejudicados. Com os imóveis vazios, não só deixam de receber aluguéis, como têm que pagar IPTU”, diz Joaquim.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.