Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

Justiça bloqueia R$ 28 milhões de um dos maiores fundos do país

Ou… Entenda o novo bloqueio nas contas da Previdência Usiminas

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 15 Maio 2024, 23h39 - Publicado em 22 jun 2023, 19h51

O caso que opõe ex-funcionários da Companhia Ferro e Aço Vitória (Cofavi), falida nos anos 1990, e a Previdência Usiminas, antiga gestora do plano de previdência da siderúrgica, continua rendendo movimentações milionárias por meio de decisões judiciais.

No capítulo mais recente dessa contenda, o Tribunal de Justiça do Espírito Santo determinou o bloqueio de quase R$ 28 milhões de uma só vez das contas da entidade. 

Essa é uma das decisões de maior valor desde que a disputa chegou aos tribunais. Em outubro passado, uma sucessão de deliberações desencontradas na corte do ES resultou no saque de mais de R$ 80 milhões da conta judicial da gestora. 

STJ e o Tribunal de Justiça do ES têm nos seus gabinetes mais de 200 processos envolvendo os pedidos de complementos de aposentadoria de ex-funcionários da Companhia Ferro e Aço Vitória (Cofavi). A siderúrgica aderiu a um plano da gestora poucos anos antes de falir, mas parou de fazer depósitos e os recursos do fundo se esgotaram. Agora, os aposentados cobram da entidade a continuidade do pagamento de benefícios. 

Continua após a publicidade

O imbróglio já é uma das maiores disputas judiciais em previdência privada no país. Até agora, mais de R$ 282 milhões saíram das contas da gestora. Os saques impactam o fundo dos aposentados de outra siderúrgica, a antiga Companhia Siderúrgica Paulista (Cosipa), em Cubatão, que paga benefícios a mais de 7 mil aposentados e pensionistas. 

Boa parte dos montantes movimentados vai direto para as bancas que representam os aposentados capixabas na Justiça – a principal delas é a que pertence ao ex-ministro do STJ Cesar Asfor Rocha. Os honorários já somam mais de R$ 100 milhões.

Segundo a entidade, se a Justiça continuar determinando bloqueios e saques, os beneficiários paulistas correm o risco de ficar sem seus pagamentos dentro de alguns anos. A Previdência Usiminas pontua, ainda, que a justiça do Espírito Santo tem ignorado a previsão legal e deliberado os bloqueios mesmo com a apresentação do seguro garantia judicial. O Superior Tribunal de Justiça  deve analisar em breve um recurso da gestora. O relator na corte é o ministro João Otávio de Noronha.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.