Clique e assine com até 92% de desconto
Rio Grande do Sul Por Veja correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens gaúchos. Por Paula Sperb, de Porto Alegre

Câmara de Comércio pretende ampliar exportação do RS para o Líbano

Consulado gaúcho comemora 75 anos de independência do país

Por Paula Sperb 29 nov 2018, 16h18

Neste ano, foi criada a Câmara de Comércio Líbano-Brasileiro no Rio Grande do Sul para ampliar as relações econômicas entre o estado e o país do oriente médio. Atualmente, o Rio Grande do Sul é o oitavo estado que mais exporta para o Líbano, atrás do Mato Grosso do Sul e Minas Gerais – o estado que mais exporta para o país é o Pará, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

A ideia é que a Câmara recém-criada colabore para que os gaúchos subam neste ranking dos estados exportadores, segundo Ricardo Malcon, cônsul honorário do Líbano no Rio Grande do Sul.

“O Líbano tem muito interesse em comprar e importar cosias do Brasil, especialmente do Rio Grande do Sul. Eles têm interesse em comprar ônibus, carrocerias, implementos agrícolas, frutas, suco concentrado, material elétrico e tecnologia para construção civil”, disse Malcon a VEJA.

  • Em 2018, o Brasil exportou 209,23 milhões de dólares para o Líbano e importou 23 milhões de dólares. As principais mercadorias exportadas pelo Brasil atualmente são carne de gado (30%), bovinos vivos (17%), café (17%), milho (13%), açúcar (4,9%), carne de frango (3,8%) e fumo (2,5%) e celulose (1,6%).

    Quanto aos produtos importados, o Brasil recebeu do Líbano fertilizantes ou adubos (90%) e equipamentos médicos (1,9%).

    Nesta sexta-feira, 30, o cônsul hora irá divulgar as oportunidades comerciais no estado a empresários e também comemorar os 75 anos de independência do Líbano, que ocorreu em 1943. O evento será no Instituto Ling, em Porto Alegre, para convidados.

    Continua após a publicidade
    Publicidade