Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Estudo aponta os diferentes efeitos da pandemia nas pequenas empresas

Agro, delivery e saúde tiveram salto no faturamento em 2020

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 4 fev 2021, 15h30 - Publicado em 5 fev 2021, 17h32

A pandemia afetou os negócios de pequenas e médias empresas de modos distintos, revela um estudo desenvolvido pela Omie, plataforma de ERP na nuvem. As PMEs do agronegócio tiveram um crescimento de 470% no faturamento médio entre janeiro e dezembro do ano passado. Já as pequenas e médias de entrega e delivery registraram um salto de 420% no período.

De modo geral, as empresas do setor de saúde tiveram aumento de 80% no faturamento, com alguns picos de até 300% em alguns casos. Enquanto isso, o setor imobiliário teve crescimento de dez vezes no faturamento.

Na outra ponta, empresas das áreas de artes, cultura, esporte e recreação apresentaram uma redução de 76,1% no faturamento médio. Já o setor de construção civil ficou em segundo lugar, com uma queda de 74,6%, seguido pelo transporte aéreo, que mostrou encolhimento de 60,9%.

Há ainda um terceiro grupo, formado por empresas que mostraram elevada resiliência em meio às turbulências da pandemia. Empresas do setor de confecção e vestuário registraram uma virtual estagnação, com faturamento médio em 2020 apenas 1% superior ao registrado em 2019.

“Podemos observar uma mudança de demanda por parte população, a crise do coronavírus trouxe novos hábitos e novas necessidades”, avalia Marcelo Lombardo, CEO e fundador da Omie. O estudo teve como referência os dados de 55.000 clientes da Omie.

Continua após a publicidade
Publicidade