Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Inadimplência das famílias segue estável mesmo com pandemia

Indicador da CNC registrou variação quase nula entre março e abril deste ano.

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 14 abr 2020, 11h19 - Publicado em 14 abr 2020, 08h30

Apesar das dificuldades com a quarentena por conta do coronavírus, as famílias estão conseguindo quitar os compromissos com empréstimos e financiamentos. A constatação vem de uma nova pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) que mede o endividamento dos brasileiros (Peic).

O percentual de pessoas que declarou não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes, apresentou queda no comparativo mensal, passando de 10,2% do total em março de 2020 para 9,9% em abril. No mesmo período do ano passado, o indicador havia alcançado 9,5%.

ASSINE VEJA

O vírus da razão O coronavírus fura a bolha de poder inflada à base de radicalismo. Leia também: os relatos de médicos contaminados e a polêmica da cloroquina
Clique e Assine
Publicidade