Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Exportação de alimentos tem alta de 20% de janeiro a julho, diz Abia

Dólar forte e retomada da economia mundial impulsionam vendas ao exterior; mercado externo representa apenas 26% do setor

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 21 set 2021, 19h42 - Publicado em 22 set 2021, 09h30

A alta do dólar e o movimento de retomada da economia mundial na esteira do avanço da vacinação contra a Covid-19 mantém as exportações brasileiras de alimentos em alta. 

Nos sete primeiros meses deste ano, as exportações do setor alimentício bateram 25,10 bilhões de dólares, alta de 19,7% em relação a igual período do ano passado. Considerando o volume enviado, o aumento no período foi de 4,2%.

As informações constam da pesquisa conjuntural mensal da Abia, a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos, concluída na última segunda.   

Os principais produtos da pauta exportadora foram as carnes, com alta de 13,2% nas vendas ao exterior no período, seguidas de açúcar (alta de 22,3%), farelo de soja (26,5%) e do grupo dos óleos e gorduras (62,0%).

A China segue como o principal comprador dos produtos brasileiros. As exportações para o país bateram recorde de 5,46 bilhões de dólares de janeiro a julho, alta de 26,9% frente a igual período do ano passado. 

A Abia lembra que o setor externo representa 26% das vendas da indústria de alimentos brasileira, enquanto o mercado interno responde por 74%.

Continua após a publicidade

Publicidade