Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Jovens aumentaram o consumo de vinho na pandemia, diz estudo

Nascidos entre as décadas de 60 e 80 ainda são os principais compradores, mas Geração Z tem despontado na compra de garrafas, mostra pesquisa da Evino

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 26 jul 2021, 16h25 - Publicado em 26 jul 2021, 12h30

Os jovens da Geração Z representam a faixa etária que mais aumentou o consumo de vinho entre 2020 e 2021, segundo dados compilados recentemente pela Evino, plataforma digital de venda de rótulos. Foram mais de 5 milhões de garrafas vendidas no período.

O levantamento mostra que os nascidos a partir de 1996, apesar de serem ainda a menor fatia de compradores — representando 3,5% dos 350.000 clientes do e-commerce — ampliaram o consumo da bebida em 30%.

Em segundo, aparecem os Baby Boomers, nascidos entre 1945 e 1964, com aumento de 5% na compra de garrafas.

A pesquisa mostra que quem lidera o consumo de vinho é a Geração X, com os nascidos entre 1965 e 1989, representando 40% dos clientes da plataforma.

Em segundo, estão os Millenials (também conhecidos como Geração Y), nascidos entre 1981 e 1995, e que somam 30% do público.

Além da faixa etária, outro ponto curioso é a proporção de gênero entre os compradores. Quantos mais jovem o grupo, menor é a diferença no comportamento de compra.

No caso dos Baby Boomers, 75% dos clientes são homens, que representam 64% do público da Geração X e, 57% nos Millenials.

Na Geração Z, a proporção é basicamente a mesma: 50% homens e 50% mulheres.

As uvas campeãs, para todas as gerações, foram a Tempranillo, Malbec, Pinot Noir e Cabernet Sauvignon.

Continua após a publicidade
Publicidade