Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Conheça o perfil do público feminino no e-commerce

Faixa etária, categorias mais consumidas e regiões em que as mulheres mais consomem são alguns dos pontos levantados pela Compre&Confie

Por Manoel Schlindwein 13 mar 2020, 13h00

Um levantamento realizado entre 22 de fevereiro e 7 de março mostra que as compras online realizadas por mulheres movimentaram R$ 1,5 bilhão no país, um aumento de 50,6% em relação ao mesmo período do ano passado. A alta é atribuída ao aumento no número de pedidos realizados. Ao todo, foram 3,9 milhões de compras no período, um aumento de 55,1%.

Os dados foram compilados pela Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado especializada em e-commerce.

Segundo a pesquisa, as mulheres que mais compram pela internet têm entre 36 e 50 anos. Elas são responsáveis por 35,9% dos pedidos realizados em todo o país. Em seguida, estão as de 26 a 35 anos (32,8%) e, em terceiro lugar, as que têm 25 anos ou menos (17,3%). Por último, estão aquelas com 51 anos ou mais (14%).

“A idade média das consumidoras de e-commerce é de 37 anos. Em nossa experiência, percebemos que elas são as principais responsáveis pelo alto volume de compras online realizadas no país, ainda que frequentemente gastem menos em cada compra, em relação ao público masculino”, destaca André Dias, diretor executivo do Compre&Confie. O valor médio das compras no período foi de R$ 371,29.

Ao analisar o volume de pedidos feito pelo público feminino, é possível identificar as cinco categorias mais consumidas pelas mulheres: moda e acessórios, entretenimento e artigos para casa ocupam os três primeiros lugares. Já móveis, construção e decoração e telefonia ficam em quarto e quinto, respectivamente.

Já em relação às regiões, o sudeste ocupa a liderança, sendo responsável por 67,4% dos pedidos realizados por mulheres em todo o país. Em segundo lugar, está o sul (14%) e, em terceiro, o nordeste (11,9%). Por último, estão centro-oeste (5%) e norte (1,7%).

Continua após a publicidade

Publicidade