Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Anúncio sobre saída da Ford do Brasil é “alerta para o país”, diz Fiesp

Federação das Indústrias de São Paulo condena carga tributária brasileira e fala que é preciso reduzir impostos

Por Mariana Muniz Atualizado em 11 jan 2021, 20h54 - Publicado em 11 jan 2021, 20h27

O anúncio da Ford nesta segunda-feira de que encerrará a produção de veículos nas três plantas de produção que tem no Brasil é um alerta para o país. A opinião é da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que condenou a carga tributária brasileira e chamou de absurdo medidas como o aumento do ICMS pelo governo paulista.

Em nota, a entidade afirma que a decisão da montadora de fechar suas fábricas em Camaçari (BA), Horizonte (CE) e Taubaté (SP), depois de mais de 100 anos de atividade, é uma “triste notícia para o país” e um “movimento que tem de ser olhado com atenção”.

“A Fiesp tem alertado sobre a necessidade de se implementar uma agenda que reduza o custo Brasil, melhore o ambiente de negócios e aumente a competitividade dos produtos brasileiros. Isso não é apenas discurso. É a realidade enfrentada pelas empresas”, diz o comunicado.

De acordo com a Fiesp, ” a alta carga tributária brasileira faz diferença na hora da tomada de decisões. O custo de cada automóvel produzido aqui, por exemplo, dobra apenas por conta dos impostos – e ainda há governantes que pensam no absurdo de aumentar tributos, como no caso da inacreditável alta do ICMS em São Paulo”.

“Precisamos urgentemente fazer as reformas estruturais, baixar impostos e melhorar a competitividade da nossa economia para atrair investimentos e gerar os empregos de que o Brasil tanto precisa”, afirmam.

Continua após a publicidade
Publicidade