Este site utiliza cookies e tecnologias semelhantes para personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso serviço você aceita tal monitoramento. Para mais informações leia nossa Política de Privacidade
Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças
Economia

Selic a 2% não reduziu custo e piorou perfil da dívida

Não se concretizou um dos trunfos de quem defendeu que a redução da taxa básica de juros (Selic) a 2% para melhorar o perfil da dívida pública. Na prática, o juro estruturalmente se mostra como uma armadilha devido aos efeitos sobre o dólar, elevando a inflação de curto prazo e encarecendo a dívida de longo prazo.

Segundo análise feita por Felipe Beckel, da Eleven Financial, desde que a Selic caiu de 4,5% para 2%, o custo da dívida pública passou de 8,71% para 8,29% ao ano. Adicionalmente, a vida média dos títulos públicos caiu de 5,42 anos para 4,86 anos. Ou seja, por mais que os juros tenham caído um pouco — mas nada que guarde proporcionalidade com o tamanho do corte da Selic —, isso não fez diferença positiva, pois mais dívida está vencendo mais rapidamente.

O importante da análise de Beckel é mostrar que uma redução estrutural dos juros da economia, com impacto nos financiamentos, investimentos privados e custo da dívida pública, não aconteceu ainda. O Banco Central, que faz trabalho louvável, diga-se, ainda precisa balancear melhor a política monetária para que os juros não estejam baixos somente no papel, mas por toda a atividade econômica do país.

+Siga o Radar Econômico no Twitter

Continua após a publicidade
LEIA MAIS