Clique e assine a partir de 9,90/mês
Maílson da Nóbrega Por Coluna Blog do economista Maílson da Nóbrega: política, economia e história

O IBGE vai poder divulgar normalmente dados ruins?

É infantilidade e bobagem adiar a divulgação de dados da evolução da covid-19, buscando evitar que eles sejam veiculados pelo Jornal Nacional

Por Maílson da Nóbrega - Atualizado em 9 Jun 2020, 15h44 - Publicado em 6 Jun 2020, 12h51

“Acabou matéria no Jornal Nacional”, disse ontem o presidente Jair Bolsonaro, referindo-se à sua decisão de adiar, das 18h para as 22h, a divulgação dos dados oficiais da Covid-19 pelo Ministério da Saúde. Ele aproveitou para atribuir à Rede Globo, que transmite o Jornal Nacional, o título de “TV funerária”. 

Foi uma atitude infantil e boba. Logo após a divulgação, a Rede Globo interrompeu a novela das 21h para divulgar um plantão do JN com as informações do governo. A audiência nas redes sociais foi mais ampla do que ocorreria se a notícia houvesse sido veiculada no horário habitual do noticioso.

Bolsonaro parece imaginar que as informações sobre a evolução de mortes e novo casos de covid-19 ganham destaque apenas no Jornal Nacional. Elas são divulgadas igualmente por outros canais, bem como pela internet e pelos jornais digitais e impressos que circulam no dia seguinte. E são propagadas pelas redes sociais. 

Mesmo que as más notícias da pandemia ficassem restritas ao Jornal Nacional, a ideia de restringir sua divulgação revelaria uma visão típica de governos autoritários, que costumam bloquear a divulgação de notícias que julgam inconvenientes. Na União Soviética, seus departamentos de propaganda alteravam fotos e informações para que elas chegassem ao público da maneira que interessava ao regime. 

Continua após a publicidade

O que fará Bolsonaro quando as más notícias sobre a atividade econômica se multiplicarem? Os maus resultados da atividade econômica e do desemprego começarão a aparecer cada vez mais frequentemente nos próximos meses. O PIB do segundo trimestre, a ser divulgado em agosto, pode mostrar uma queda de dois dígitos. Em 2020, a economia poderá despencar em níveis inéditos.

As estimativas do PIB anual têm sido sistematicamente revistas por bancos e consultorias. Neste momento, já se fala em redução de 7% a 8% e um banco já projetou uma recessão de 11%. O desemprego pode atingir 17 a 18 milhões de brasileiros, ou mais, até o fim do ano. Como reagirá Bolsonaro? Deixará o IBGE divulgar notícias tidas como desfavoráveis pelo governo?

Hoje, o IBGE publica esses dados às 8h, portanto antes de os mercados financeiros abrirem. Além de evitar a divulgação com os mercados em pleno funcionamento, o IBGE dá tempo para que a imprensa, inclusive os noticiosos da televisão, ouçam especialistas e analisem os impactos dos dados. A regra seria alterada? Note-se que o adiamento de horas não evitaria sua veiculação pelo Jornal Nacional. Seria uma outra bobabem. A ver. 

Adiar a divulgação ou suprimir informações do público, buscando inutilmente bloquear sua veiculação por um determinado noticioso de televisão, não faz sentido. Bolsonaro não evitará que más notícias sobre a covid-19 cheguem ao grande público, inclusive pelo Jornal Nacional da Rede Globo.

Publicidade