Previdência: Reforma excluirá servidores de Estados e municípios

Temer disse que medida foi tomada em respeito ao pacto federativo

Os únicos servidores públicos afetadas pela proposta de reforma da Previdência serão os servidores federais. O presidente Michel Temer anunciou ao lado de líderes no Congresso que servidores de Estados e municípios ficarão fora da reforma.

Temer afirmou que tomou a decisão após recentes reuniões e que a medida foi tomada, segundo ele, em respeito ao pacto federativo. O presidente disse que mudanças para os servidores de Estados e municípios dependerão das manifestações dos governos e dos Legislativos locais.

A medida deve reduzir a pressão de professores e policiais contra a reforma da Previdência, duas categorias que vinham se posicionando publicamente contra a reforma.

Na semana passada, Temer já dava sinais de que admitiria mudar o conteúdo da reforma. “Haverá propostas de modificação num ou noutro ponto, é muito provável. […] O que não podemos é quebrar a espinha dorsal da (reforma da) Previdência.”

Para facilitar a aprovação da reforma da Previdência no Congresso, o governo articula a redação de um relatório de consenso entre deputados e senadores e deve anunciar ainda nesta semana “ajustes” à proposta enviada ao Legislativo, disse o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).

O Planalto entende que a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência terá impactos imediatos na recuperação econômica. A estratégia do relatório conjunto foi acertada em reunião nesta terça-feira no Palácio entre Temer e líderes nas duas Casas. “O dogma não é que nada pode ser mudado. O dogma é sair um texto equilibrado”, disse Jucá. “O restante sai no ‘relatório da consolidação’. Temos que anunciar algumas coisas até o final da semana.”

Segundo ele, o governo avalia quais pontos poderiam ser “ajustados” no texto da proposta, caso da contribuição de trabalhadores rurais, classificado pelo senador como um dos “calcanhares de Aquiles” da reforma.

O líder sugere que seja adotado um valor fixo de contribuição, algo mais simplificado do que estabelecer a cobrança por meio de porcentagem. A questão, porém, ainda não está fechada. Jucá também defende que seja mantida a idade mínima para a aposentadoria de homens e mulheres aos 65 anos.

O senador avalia ainda que é natural haver embate político sobre o tema, principalmente com a oposição, e promete rebater os argumentos contrários lembrando que mesmo a ex-presidente Dilma Rousseff chegou a se posicionar favorável a alterações na Previdência.

Defendeu, no entanto, que a base governista se empenhe na aprovação da proposta, de forma a melhorar o ambiente econômico, o que beneficiaria o clima político em geral. “A base será fortalecida se a economia mostrar resultados”, disse.

Aliados do governo têm oferecido resistências à medida, e fizeram chegar ao Executivo uma série de sugestões e propostas de

(Com agência Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Fabrício Candido De Almeida, Primeiramente no Brasil nunca existiu Esquerda e muito menos Direita… A não ser é claro, que o senhor esteja se referindo à mão que aceita a corrupção!!!

    Curtir

  2. heron Malaghini

    Isso é a fragmentação do povo Brasileiro, primeiro retira os militares depois os servidores, assim fica apenas os sujos sindicatos para tentar lutar contra, aprovase com facilidade e gradativamente se eleva a todas as classes, acordem brasileiros vamos ser mastigados pela classe politica corrupta

    Curtir

  3. José Carlos Pons

    Triste assim. Daqui a pouco os servidores federais tambem vão ser excluidos, depois os politicos, depois os mais pobres, em seguida, os que recebem até 2 salários mínimos, enfim, vai sobrar somente a classe trabalhadora, que vai arcar com mais impostos pra pagar todos eles. É assim, o Brasil NÃO MUDA, SE O POVO CONTINUAR ASSISTINDO TUDO CALMAMENTE. VAMOS PRA RUAAAAAAA

    Curtir

  4. Jose Eugenio Bevilaqua

    (Risos, infelizmente) Pacto federativo de que? Acho que atualmente tudo que está ocorrendo e prevalecendo em ‘banânia’ é o ‘pacto do diabo’, ou não? …

    Curtir